4 de dezembro de 2009

Leona Lewis ecoa padrões insossos no CD 'Echo'

Resenha de CD
Título: Echo
Artista: Leona Lewis
Gravadora: Sony Music
Cotação: * *

Cantora inglesa projetada em 2006 ao vencer o programa X Factor, espécie de American Idol da TV britânica, Leona Lewis pertence àquele time de cantoras que realçam ao máximo o poder de sua voz. Spirit, seu primeiro álbum, editado em 2007, reuniu um punhado de baladas que poderiam figurar em discos de Whitney Houston ou de Mariah Carey. Echo é o segundo álbum de Leona (ou o terceiro, se levado em conta Best Kept Secret, abortado disco da fase pré-X Factor que foi editado em 2008 à revelia da artista depois que Leona se tornou uma campeã de vendas no mercado fonográfico inglês). O título é bem apropriado, aliás, pois o álbum ecoa padrões insossos que regem a obra fonográfica dessas cantoras de vozes potentes. Baladas como Happy (raro destaque entre o repertório) e Brave parecem produzidas numa escala de montagem. Can't Breathe é outro exemplo de faixa em que a cantora dispara sua artilharia vocal em tons altos. Nem a intervenção de Justin Timberlake - como parceiro e convidado de Don't Let me Down, tema mais próximo do r & b - altera o panorama desfavorável. Fora da seara baladeira, há Outta my Head, música que transita pelo universo do eurodance. No todo, Echo é tão decepcionante quanto Spirit. Boa cantora do ponto de vista meramente técnico, Leona Lewis continua jogando notas fora, seguindo a fórmula de Mariah Carey.

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Cantora inglesa projetada em 2006 ao vencer o programa X Factor, espécie de American Idol da TV britânica, Leona Lewis pertence àquele time de cantoras que realçam ao máximo o poder de sua voz. Spirit, seu primeiro álbum, editado em 2008, reuniu um punhado de baladas que poderiam figurar em discos de Whitney Houston ou de Mariah Carey. Echo é o segundo álbum de Leona (ou o terceiro, se levado em conta Best Kept Secret, abortado disco da fase pré-X Factor que foi editado em 2008 à revelia da artista depois que Leona se tornou uma campeã de vendas no mercado fonográfico inglês). O título é bem apropriado, aliás, pois o álbum ecoa padrões insossos que regem a obra fonográfica dessas cantoras de vozes potentes. Baladas como Happy (raro destaque entre o repertório) e Brave parecem produzidas numa escala de montagem. Can't Breathe é outro exemplo de faixa em que a cantora dispara sua artilharia vocal em tons altos. Nem a intervenção de Justin Timberlake - como parceiro e convidado de Don't Let me Down, tema mais próximo do r & b - altera o panorama desfavorável. Fora da seara baladeira, há Outta my Head, música que transita pelo universo do eurodance. No todo, Echo é tão decepcionante quanto Spirit. Boa cantora do ponto de vista meramente técnico, Leona Lewis continua jogando notas fora, seguindo a fórmula de Mariah Carey.

4 de dezembro de 2009 20:46  
Anonymous Anônimo said...

Pra que cutucar a Mariah num post sobre a Leona Lewis?

4 de dezembro de 2009 22:13  
Anonymous Anônimo said...

who is leona lewis?????

5 de dezembro de 2009 08:17  
Blogger Alan said...

Gente.. qual o problema em citar o nome da MC? Aliás, acho que algumas músicas desse álbum ficariam melhores se fossem interpretadas por Mariah.
Concordo com sua avaliação, Mauro. Particularmente achei esse CD bem inferior ao primeiro (oficial). Parece que todas as músicas são parecidas (melodicamente falando) e nenhuma delas me fez sentir vontade de ouvir novamente.

6 de dezembro de 2009 14:37  
Blogger Bruno said...

Gostaria de saber a fórmula secreta pra uma artista vocalmente conceituada elaborar algum material de qualidade.

20 de dezembro de 2009 15:01  

Postar um comentário

<< Home