17 de dezembro de 2009

Lafayette reedita pop dos 60 em tremendo disco

Resenha de CD
Título: As 15 Super Quentes de Lafayette & Os Tremendões
Artista: Lafayette & Os Tremendões
Gravadora: Arterial Music / Rob Digital
Cotação: * * * *

Pilar da arquitetura sonora da Jovem Guarda, o órgão Hammond pilotado pelo tecladista Lafayette Coelho Vargas Limp ainda soa sedutor. No primeiro CD de Lafayette & os Tremendões, banda em atividade desde 2005 (ano em que gravou obscuro compacto), o órgão reproduz com exatidão a atmosfera e o som daquelas jovens tardes de domingo. Já na primeira faixa, Esqueça, As 15 Super Quentes de Lafayette & Os Tremendões faz supor se tratar de disco gravado na era dos brotos e carrões - impressão ampliada pela arte gráfica e pelo título do CD ora editado pelo selo Arterial Music, braço pop da gravadora carioca Rob Digital. A diferença é que os vocais da faixa estão a cargo do guitarrista Nervoso. Sim, a grande sacada do grupo é juntar o seminal Lafayette a músicos da atual cena indie carioca, casos de Nervoso, do também guitarrista Gabriel Thomaz (da boa banda Autoramas), do baterista Marcelo Calado (integrante da BandaCê, de Caetano Veloso), do baixista Melvin e da cantora Érika Martins, ajustada perfeitamente ao tom de rocks cheios de determinação como Você Não Serve pra mim, Vou Botar pra Quebrar (esquecido hit da saudosa Sylvinha) e Pare o Casamento. Érika, Gabriel, Renato Martins (guitarrista da banda Canastra) e Nervoso se revezam nos vocais das 15 faixas, a grande maioria pescada no baú de pérolas da Jovem Guarda. E o melhor é que há verdadeiras joias pouco lapidadas entre hits como Nossa Canção (com Nervoso), Só Vou Gostar de Quem Gosta de mim (a cargo de Renato Martins) e É Papo Firme (com Nervoso). Uma delas (solada por Renato Martins) é Do Outro Lado da Cidade, da lavra da compositora Helena dos Santos, fornecedora habitual do repertório inicial de Roberto Carlos, morta em 2005. Pena que, das três músicas recolhidas fora do universo da Jovem Guarda, duas soam deslocadas. Eu e Você (tema recente do grupo Brazilian Bitles) se ajusta bem à estética do pop dos 60. Já Je t'Aime... Moi Non Plus - o hit erótico do compositor francês Serge Gainsbourg (1928 - 1991) - soa fora de propósito, embora seja de 1968. Contudo, nada soa mais estranho no disco do que Força Estranha, a música de Caetano Veloso, totalmente deslocada por nada ter a ver com a simplicidade pop da Jovem Guarda. Liberdade poética à parte, o CD do septeto Lafayette & Os Tremendões é super quente.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Pilar da arquitetura sonora da Jovem Guarda, o órgão Hammond pilotado pelo tecladista Lafayette Coelho Vargas Limp ainda soa sedutor. No primeiro CD de Lafayette & os Tremendões, banda em atividade desde 2005 (ano em que gravou obscuro compacto), o órgão reproduz com exatidão a atmosfera e o som daquelas jovens tardes de domingo. Já na primeira faixa, Esqueça, As 15 Super Quentes de Lafayette & Os Tremendões faz supor se tratar de disco gravado na era dos brotos e carrões - impressão ampliada pela arte gráfica e pelo título do CD ora editado pelo selo Arterial Music, braço pop da gravadora carioca Rob Digital. A diferença é que os vocais da faixa estão a cargo do guitarrista Nervoso. Sim, a grande sacada do grupo é juntar o seminal Lafayette a músicos da atual cena indie carioca, casos de Nervoso, do também guitarrista Gabriel Thomaz (da boa banda Autoramas), do baterista Marcelo Calado (integrante da BandaCê, de Caetano Veloso), do baixista Melvin e da cantora Érika Martins, ajustada perfeitamente ao tom de rocks cheios de determinação como Você Não Serve pra mim, Vou Botar pra Quebrar (esquecido hit da saudosa Sylvinha) e Pare o Casamento. Érika, Gabriel, Renato Martins (guitarrista da banda Canastra) e Nervoso se revezam nos vocais das 15 faixas, a grande maioria pescada no baú de pérolas da Jovem Guarda. E o melhor é que há verdadeiras joias pouco lapidadas entre hits como Nossa Canção (com Nervoso), Só Vou Gostar de Quem Gosta de mim (a cargo de Renato Martins) e É Papo Firme (com Nervoso). Uma delas (solada por Renato Martins) é Do Outro Lado da Cidade, da lavra da compositora Helena dos Santos, fornecedora habitual do repertório inicial de Roberto Carlos, morta em 2005. Pena que, das três músicas recolhidas fora do universo da Jovem Guarda, duas soam deslocadas. Eu e Você (tema recente do grupo Brazilian Bitles) se ajusta bem à estética do pop dos 60. Já Je t'Aime... Moi Non Plus - o hit erótico do compositor francês Serge Gainsbourg (1928 - 1991) - soa fora de propósito, embora seja de 1968. Contudo, nada soa mais estranho no disco do que Força Estranha, a música de Caetano Veloso, totalmente deslocada por nada ter a ver com a simplicidade pop da Jovem Guarda. Liberdade poética à parte, o CD do septeto Lafayette & Os Tremendões é super quente.

17 de dezembro de 2009 11:17  
Blogger Daniel said...

Poxa,Mauro!Esse CD promete mesmo!Pena que,por ser de uma gravadora pequena,fique quase impossível de se achar,mesmo para compra on line!A distribuição é muito mal feita!Por favor,se vc souber onde está vendendo,me avise!

Abs!

17 de dezembro de 2009 15:07  
Anonymous Anônimo said...

Sinceramente, essa Érika Martins não dá... Que voz enjoada! Estava entusiamado com a resenha até ler o nome dela. A gravação do Herbert Vianna com ela de "In between days" me traumatizou para sempre.

19 de dezembro de 2009 01:00  

Postar um comentário

<< Home