5 de dezembro de 2009

Ao expiar dores, Rihanna põe peso em 'Rated R'

Resenha de CD
Título: Rated R
Artista: Rihanna
Gravadora: Universal
Music
Cotação: * * *

Não é por acaso que a mão direita de Rihanna cobre parte de seu rosto na foto exposta na capa do quarto álbum da cantora, Rated R. Em seu primeiro trabalho de inéditas após o estouro de Good Girl Gone Bad, álbum de 2007 que lhe deu projeção mundial por conta do estouro de Umbrella e Don't Stop the Music, Rihanna não parece preocupada em reeditar a fórmula de seu sucesso. O foco absoluto de Rated R - e o que lhe dá peso (ideológico, mas não musical) - é a expiação das dores emocionais ainda sentidas pela surra que levou do ex-namorado, o rapper Chris Brown, em fevereiro. "Você agiu como um imbecil", acusa Rihanna em verso de Stupid in Love, balada que já denuncia no título o conteúdo raivoso da letra. Baladas, aliás, são a matéria-prima principal de Rated R. Temas como Wait your Turn e G4L estão bem distantes da leveza pop de Umbrella. Nem mesmo a presença do rapper will.i.am em Photographs contribui com a vibração esperada. O nome de Chris Brown não é citado em nenhuma das letras, mas não há dúvidas de que ele é o único alvo de versos de músicas como Rude Boy - uma das poucas faixa com jeito de hit - e Cold Case Love, balada que traz Justin Timberlake na co-autoria. Rated R agrega também na ficha técnica nomes como o guitarrista Slash (convidado de Rockstar 101) e o rapper Jeezy (em Hard, faixa de maior pulsação). Contudo, ninguém é capaz de alterar o tom sombrio e pesado do álbum, especialmente morno em sua segunda metade. Rated R faz o acerto de contas de Rihanna com o ex-namorado. Pelo conteúdo sincero dos versos confessionais, o disco merece algum crédito. Pena que a música não esteja em sintonia com a virulência das letras de alvo certeiro.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Não é por acaso que a mão direita de Rihanna cobre parte de seu rosto na foto exposta na capa do quarto álbum da cantora, Rated R. Em seu primeiro trabalho de inéditas após o estouro de Good Girl Gone Bad, álbum de 2007 que lhe deu projeção mundial por conta do estouro de Umbrella e Don't Stop the Music, Rihanna não parece preocupada em reeditar a fórmula de seu sucesso. O foco absoluto de Rated R - e o que lhe dá peso (ideológico, mas não musical) - é a expiação das dores emocionais ainda sentidas pela surra que levou do ex-namorado, o rapper Chris Brown, em fevereiro. "Você agiu como um imbecil", acusa Rihanna em verso de Stupid in Love, balada que já denuncia no título o conteúdo raivoso da letra. Baladas, aliás, são a matéria-prima principal de Rated R. Temas como Wait your Turn e G4L estão bem distantes da leveza pop de Umbrella. Nem mesmo a presença do rapper will.i.am em Photographs contribui com a vibração esperada. O nome de Chris Brown não é citado em nenhuma das letras, mas não há dúvidas de que ele é o único alvo de versos de músicas como Rude Boy - uma das poucas faixa com jeito de hit - e Cold Case Love, balada que traz Justin Timberlake na co-autoria. Rated R agrega também na ficha técnica nomes como o guitarrista Slash (convidado de Rockstar 101) e o rapper Jeezy (em Hard, faixa de maior pulsação). Contudo, ninguém é capaz de alterar o tom sombrio e pesado do álbum, especialmente morno em sua segunda metade. Rated R faz o acerto de contas de Rihanna com o ex-namorado. Pelo conteúdo sincero dos versos confessionais, o disco merece algum crédito. Pena que a música não esteja em sintonia com a virulência das letras de alvo certeiro.

5 de dezembro de 2009 09:57  
Anonymous Nildo said...

Ela até tentou fazer um cd de rock mas a gravadora barrou. Teria sido mais verdadeiro...
Por sinal, adorei o canto meio ragga dela em algumas músicas, principalmente "wait you turn" e "hard".

5 de dezembro de 2009 22:22  
Blogger Alan said...

Achei apelação demais essas letras com aspecto de vingança. Poucas músicas com "cara de hit" e, mesmo com as participações especiais interessantes, não barrou o Good Girl Gone Bad. Pra ser sincero, a única música que gostei logo de primeira foi "Te amo", justamente quando ela foge à linha revoltada-pela-surra-que-levei.

7 de dezembro de 2009 13:04  

Postar um comentário

<< Home