28 de novembro de 2009

Solo de Julian não foi tragado pela onda dos 80

Resenha de CD
Título: Phrazes for the
Young
Artista: Julian
Casablancas
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * * * 1/2

Primeiro álbum solo de Julian Casablancas, Phrazes for the Young não é um trabalho do Strokes, o grupo do qual Casablancas é vocalista. Ou seja, não foi gravado - com produção de Jason Lader e Mike Mogis - por uma questão de ego, ainda que egotrips estejam rondando a banda. Com repertório formado por oito composições compostas pelo artista (em cidades norte-americanas como Los Angeles, Nova York e Nebraska), o disco se revela surpreendente e, em alguns momentos, encantador. O álbum é aberto com Out of the Blue, faixa que evoca a pegada pop da New Wave. Sim, Casablancas pegou a onda dos anos 80 - formatando com sintetizadores faixas como 11th Dimension - mas não se deixa tragar por ela. Ludlow St. - tema que dialoga com o universo country - é um dos destaques do disco ao lado de 4 Chords of Apocalypse (bonita balada de alta voltagem emocional) e da sublime Glass. Nem sua música menos inspirada, River of Brakelights, atenua o brilho do disco no todo. Fechado com Tourist, música de beleza estranha (e grande letra), Phrazes for the Young acerta ao se distanciar do som roqueiro do Strokes e ao esboçar identidade própria para a já promissora obra solo de Casablancas, enquanto a banda não entra em estúdio.

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Primeiro álbum solo de Julian Casablancas, Phrazes for the Young não é um trabalho do Strokes, o grupo do qual Casablancas é vocalista. Ou seja, não foi gravado - com produção de Jason Lader e Mike Mogis - por uma questão de ego, ainda que egotrips estejam rondando a banda. Com repertório formado por oito composições compostas pelo artista (em cidades norte-americanas como Los Angeles, Nova York e Nebraska), o disco se revela surpreendente e, em alguns momentos, encantador. O álbum é aberto com Out of the Blue, faixa que evoca a pegada pop da New Wave. Sim, Casablancas pegou a onda dos anos 80 - formatando com sintetizadores faixas como 11th Dimension - mas não se deixa tragar por ela. Ludlow St. - tema que dialoga com o universo country - é um dos destaques do disco ao lado de 4 Chords of Apocalypse (bonita balada de alta voltagem emocional) e da sublime Glass. Nem sua música menos inspirada, River of Brakelights, atenua o brilho do disco no todo. Fechado com Tourist, música de beleza estranha (e grande letra), Phrazes for the Young acerta ao se distanciar do som roqueiro do Strokes e ao esboçar identidade própria para a já promissora obra solo de Casablancas, enquanto a banda não entra em estúdio.

28 de novembro de 2009 10:59  

Postar um comentário

<< Home