13 de outubro de 2009

Air viaja no tempo da delicadeza no belo Love 2

Resenha de CD
Título: Love 2
Artista: Air
Gravadora: EMI Music
Cotação: * * * *

Quinto álbum de estúdio do Air, mas já o sétimo título da coerente obra fonográfica do duo francês se também forem levados em conta o inicial EP Premiers Symptomes e a trilha sonora do filme As Virgens Suicidas, Love 2 viaja no tempo da delicadeza em torno dos diversos estágios do amor. É, no todo, disco mais inspirado do que o anterior Pocket Symphony (2007), em que o Air transitou por sonoridades orientais sem de fato impressionar. Love 2 é o primeiro álbum gravado pelos franceses Nicolas Godin e Jean-Benoît Dunckel em seu recém-inaugurado estúdio Atlas. O próprio duo assina - sozinho - a produção dos 12 temas. Be a Bee é a faixa instrumental de tom viajante que melhor traduz o espírito de Love 2, álbum que não perde a ternura mesmo quando soa épico. Por isso mesmo, é pena que a pop Sing Sang Sung tenha sido escolhida o segundo single do álbum, sucedendo Do the Joy, tema que combina guitarras, sintetizadores e distorções com maestria. African Velvet, Love e Tropical Disease (esta um pouco longa demais) seriam faixas mais adequadas para apresentar Love 2 ao público. Mesmo sem alterar a receita de seu som eletrônico, que se situa em algum ponto entre o rock progressivo e a atmosfera lounge da cena atual, o Air ainda consegue soar bem interessante.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Quinto álbum de estúdio do Air, mas já o sétimo título da coerente obra fonográfica do duo francês se também forem levados em conta o inicial EP Premiers Symptomes e a trilha sonora do filme As Virgens Suicidas, Love 2 viaja no tempo da delicadeza em torno dos diversos estágios do amor. É, no todo, disco mais inspirado do que o anterior Pocket Symphony (2007), em que o Air transitou por sonoridades orientais sem de fato impressionar. Love 2 é o primeiro álbum gravado pelos franceses Nicolas Godin e Jean-Benoît Dunckel em seu recém-inaugurado estúdio Atlas. O próprio duo assina - sozinho - a produção dos 12 temas. Be a Bee é a faixa instrumental de tom viajante que melhor traduz o espírito de Love 2, álbum que não perde a ternura mesmo quando soa épico. Por isso mesmo, é pena que a pop Sing Sang Sung tenha sido escolhida o segundo single do álbum, sucedendo Do the Joy, tema que combina guitarras, sintetizadores e distorções com maestria. African Velvet, Love e Tropical Disease (esta um pouco longa demais) seriam faixas mais adequadas para apresentar Love 2 ao público. Mesmo sem alterar a receita de seu som eletrônico, que se situa em algum ponto entre o rock progressivo e a atmosfera lounge da cena atual, o Air ainda consegue soar bem interessante.

13 de outubro de 2009 09:49  
Anonymous wagner said...

Belo disco do Air, que prioriza a delicadeza em arranjos e melodias, com destaque para o piano em várias faixas, que versam sobre o poder do amor. Completando a ótima crítica vale destacar a sublime faixa Heaven´s Light.

14 de outubro de 2009 11:56  
Anonymous Lurian said...

O Air compõe um pop de primeira qualidade, sempre faz-nos ter uma viagem fantástica!!!

30 de abril de 2010 09:46  

Postar um comentário

<< Home