18 de setembro de 2009

Com Kadosch, Tetê dá voz às línguas já mortas

Babel Eyes - Música das Línguas Virgens é o título do novo álbum de Tetê Espíndola. O disco marca a retomada da parceria da cantora com o compositor francês Philippe Kadosch - iniciada no CD VOZ VOIX VOICE (2001). A ideia foi criar música a partir de fragmentos de línguas já mortas ou em processo de extinção. O disco foi gravado em Paris, no estúdio de Kadosch, com orquestra formada por músicos de várias partes do mundo. Os arranjos são assinados pelos brasileiros Alexandre Mihanovich, Gil Reyes e pelo próprio Kadosch. Kaprolin, Mawaca e Sadis Magicus são algumas músicas do álbum - promovido com shows em São Paulo.

15 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Babel Eyes - Música das Línguas Virgens é o título do novo álbum de Tetê Espíndola. O disco marca a retomada da parceria da cantora com o compositor francês Philippe Kadosch - iniciada no CD VOZ VOIX VOICE (2001). A ideia foi criar música a partir de fragmentos de línguas já mortas ou em processo de extinção. O disco foi gravado em Paris, no estúdio de Kadosch, com orquestra formada por músicos de várias partes do mundo. Os arranjos são assinados pelos brasileiros Alexandre Mihanovich, Gil Reyes e pelo próprio Kadosch. Kaprolin, Mawaca e Sadis Magicus são algumas músicas do álbum - promovido com shows em São Paulo.

18 de setembro de 2009 16:51  
Anonymous Anônimo said...

Porque Tetê não facilita as coisas e grava umas músicas mais palatáveis??? Se a intenção é ficar cada vez mais afastda dos público...ela tá conseguindo. Ninguém quer que ela viva de Escrito nas Estrelas a vida toda, mas um cd como Só Tetê que ela grava Djavan, Tom, Assunção e outros seria maravilhoso novamente.

18 de setembro de 2009 19:28  
Anonymous Anônimo said...

Concordo com o anônimo que diz que Tetê se afasta cada vez mais do público. As gravações dela são muito alternativas. Não tem mais espaço para música assim. Tetê precisa colocar sua voz a serviço de música mais fácil de se consumir. Não quer dizer que ela precise gravar alguma coisa tipo "Escrito nas Estrelas". Mas que grave os novos compositores que seu filho afirma ser um representante. Dificuldade ela não terá, pois o filhote conheçe todos os novos compositores... Seria uma boa. Vc não acha Mauro?

18 de setembro de 2009 20:34  
Anonymous Anônimo said...

Tetê é o máximo. O grande trunfo dela foi exatamente não se preocupar em ser palatável, mas em ser ela mesma. Uma das grandes e mais originais cantoras desse país.

18 de setembro de 2009 21:21  
Anonymous Anônimo said...

OBS> Quis dizer DO público.

19 de setembro de 2009 00:38  
Blogger CN said...

Mauro, é sempre necessário reverenciar o inconformismo, a inquietude e a coragem de uma artista única como Tetê, que sabe explorar a multiplicidade que só ela tem. Ao meu ver, isto não a afasta de forma nenhuma do público, basta observar os shows que realiza pelo Brasil e pelo mundo afora. O público popular cativado como "Escrito nas Estrelas" continua, mas outros vão se juntando a este e esta voz xamânica segue cada vez mais forte. Como artista, fã e brasileiro que sou, meu dever é aplaudí-la e aprender sempre. Nem Cristo conseguiu agradar a todos e a unaminidade é sempre pouco inteligente. E impossível ser indiferente a Tetê e isto, minha gente, é privilégio de poucos.
Carlos Navas, cantor, SP

19 de setembro de 2009 02:12  
Anonymous Anônimo said...

Acho q ela grava essas coisas de propósito...Não é possível que alguém seja tão alternativo assim e não se importe em não vender...qual o intuito então em gravar??? Fica em casa cantando pra si mesmo. Grave coisas NORMAIS Tetê! Please!!

19 de setembro de 2009 09:04  
Anonymous Anônimo said...

Os que estão fazendo estes comentários costuma acompanhar seus shows? Duvido!
Cantar estas coisas pra que, querido? Por que se não, ninguém mais fará. Coragem dela em ser experimental e não alternativa (expressão antiga, não é?). Não é ela que tem que gravar coisas "mais normais", são os ouvidos que têm de se acostumar e abrir à diversidade. Sábias palavras do Carlos Navas, excepcional cantor e pupilo de Tetê que, se não conhecem, deveriam. Abraços, Renato/ SP

19 de setembro de 2009 09:30  
Anonymous Homroca said...

Nada surpreendente pra quem já cantou com as araras.

E Tete faz o que quiser e o que lhe dá tesao de fazer.

As cantoras sao todas muito iguaizinhas. Vida longa à Tete.

19 de setembro de 2009 11:06  
Anonymous Anônimo said...

Por isso quase não vende...mas se ela quer assim..deixa ela com as araras, com os bem te vis, com as líguas mortas e o que mais lhe der na telha.

19 de setembro de 2009 13:31  
Anonymous Anônimo said...

Por isso que sou fã de Tetê, desde o "Pássaros na Garganta". Sua música é surpreendente, seu trabalho é de grande valor. Se fosse para apelar ao óbvio não seria a Tetê que ela é. Vamos respeitá-la, pois ela tem história!

19 de setembro de 2009 17:43  
Anonymous Anônimo said...

Não vi nenhum desrespeito a Tetê aqui nesse post. As pessoas não podem dar opiniões contrárias que vem uns e outros querendo deturpar o que se é colocado. Também sou adepto de uma Tetê mais "palatável" e isso não quer dizer que se tenha que cair no óbvio. Essa gente precisa de umas aulas de interpretação...

19 de setembro de 2009 23:17  
Anonymous Anônimo said...

É isso aí!
Aqui nesse blog a gente pode falar.
Ter opinião sobre o trabalho de um artista não é falta de respeito. Não podemos, e nem o Mauro vai publicar, ataques de graça aos artistas. Opinião todo mundo tem o direito de ter. Sem ofender pessoalmente o cantor ou cantora. Democracia é muito salutar. Não é só na política que democracia cai bem, na música também. Esse blog é o melhor do Brasil pela responsabilidade do Mauro Ferreira e dos frequentadores. Falar sobre a obra da Tetê Espíndola é normal, pois é coisa pública. Falar da mulher Tetê Espíndola, ir para o pessoal não é bacana. Aqui ninguém foi para o pessoal. Então que as opiniões sobre o trabalho público e profissional de Espíndola sejam respeitadas. Democracia nas artes também!...

21 de setembro de 2009 22:41  
Anonymous Anônimo said...

Só uma coisa a dizer: daqui a 100 anos, é "Babel Eyes" que vão ouvir. Não "Só Tetê".

22 de setembro de 2009 13:54  
Anonymous Anônimo said...

Tetê Espíndola é a GRANDE criadora da música popular brasileira surgida após os '70. Nada do que ela faz tem referências anteriores, ela funda. Dizer que o cantor Carlos Navas é seu pupilo artístico é reduzi-la ao lodo da obviedade. Nada a ver, linhas diferentes, opostas. Independente diss: Tetê é GRANDE, sem equivalente.

22 de setembro de 2009 14:07  

Postar um comentário

<< Home