4 de setembro de 2009

Coletânea resume catálogo do Clã para o Brasil

Um dos nomes mais cultuados da ainda desconhecida cena pop de Portugal, Clã - grupo formado em 1992 - tem ótima coletânea editada no Brasil no embalo de suas parcerias com Arnaldo Antunes e o Pato Fu. Antunes, aliás, assina o texto que apresenta Catalogue Reissoneé, a tal compilação, produzida por Sandro Belo, do selo goiano Allegro, com base na seleção de repertório feita pelos seis integrantes do Clã. A edição é caprichada. No farto encarte, além da apresentação de Arnaldo Antunes, há texto do jornalista português Jorge Manuel Lopes que contextualiza o surgimento e o som antenado do Clã na cena pop lusitana que se desenvolveu após a Revolução dos Cravos. Cada uma das 15 faixas vem com a letra e um comentário assinado pelos músicos do Clã. A seleção abrange período que vai de 1996 a 2005, incluindo parcerias do grupo com John Ulhoa (Carrossel dos Esquisitos) e com Arnaldo Antunes (H2omem e Eu Ninguém). Detalhe: Antunes é convidado do registro ao vivo de Consumado, parceria dele com Carlinhos Brown e Marisa Monte. É belo cartão-de-visitas para o som do Clã.

6 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Um dos nomes mais cultuados da ainda desconhecida cena pop de Portugal, Clã - grupo formado em 1992 - tem ótima coletânea editada no Brasil no embalo de suas parcerias com Arnaldo Antunes e o Pato Fu. Antunes, aliás, assina o texto que apresenta Catalogue Reissoneé, a tal compilação, produzida por Sandro Belo, do selo goiano Allegro, com base na seleção de repertório feita pelos seis integrantes do Clã. A edição é caprichada. No farto encarte, além da apresentação de Arnaldo Antunes, há texto do jornalista português Jorge Manuel Lopes que contextualiza o surgimento e o som antenado do Clã na cena pop lusitana que se desenvolveu após a Revolução dos Cravos. Cada uma das 15 faixas vem com a letra e um comentário assinado pelos músicos do Clã. A seleção abrange período que vai de 1996 a 2005, incluindo parcerias do grupo com John Ulhoa (Carrossel dos Esquisitos) e com Arnaldo Antunes (H2omem e Eu Ninguém). Detalhe: Antunes é convidado do registro ao vivo de Consumado, parceria dele com Carlinhos Brown e Marisa Monte. É belo cartão-de-visitas para o som do Clã.

4 de setembro de 2009 11:29  
Anonymous Anônimo said...

Clã é uma banda fantástica da cena portuguesa, uma pena ainda não ter conseguido merecido reconhecimento aqui no Brasil, tomara q essa coletânea seja só o começo de um reconhecimento maior por aqui.

4 de setembro de 2009 11:34  
Anonymous Mauricio Peixoto said...

Mauro, conheci teu blog agora, qdo tava procurando sobre o projeto Beatles '69, do qual participo com minha banda Aerocirco. Achei bem legal mesmo, parabéns pelo trabalho!

abraço do novo leitor!

4 de setembro de 2009 17:15  
Blogger Leonardo B. said...

Meu Caro Mauro

esta é daquelas que me deixa mesmo muito orgulhoso, até porque "o sucesso dos nossos, é o nosso sucesso, também"... fiz um link para este seu post, lá na minha esplanada das letras...
não podia deixar em claro, essa satisfação, de ver os Clã, que muito e bem merecem, a galgar mar...

Um enorme e transtlântico abraço

Leonardo B.
Bizarril

[o link directo é: http://impressoesdigitais2.blogspot.com/2009/09/hoje-ha-motivos-de-orgulho-amanha-logo.html]

4 de setembro de 2009 18:46  
Blogger Luanda said...

os clã são bons demais!
que bom saber dels por cá tb!
beijos lusos,
Lu!

5 de setembro de 2009 12:20  
Blogger Carlos Lopes said...

Já os vi ao vivo várias vezes e tenho quase todos os discos dos Clã. Há um namoro antigo entre Clã e Pato Fu, entre Clã e Arnaldo Antunes e parece que chegou a hora de um reconhecimento maoir aí no Brasil. Eles merecem. Em Portugal não há banda de rock tão batalhadora como os Clã.

7 de setembro de 2009 09:21  

Postar um comentário

<< Home