24 de agosto de 2009

Alcione se ilumina na segunda parte de 'Acesa'

Resenha de CD
Título: Acesa
Artista: Alcione
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * *

Acesa, 34º álbum de Alcione, fecha um pouco o amplo leque estético aberto no anterior De Tudo que Eu Gosto (2007). Porém, entre sambas de nível até bom e baladas de cepa ruim, o álbum não deixa de pecar pela irregularidade que vem diluindo a discografia da Marrom ao longo dos últimos 20 anos. Apesar de Acesa ser um CD mais alegre, é rala a inspiração do repertório alinhado na primeira metade das 14 faixas. Salvam-se O Samba me Chamou - parceria do certeiro Sombrinha com Marquinho PQD - e Acesa, o samba que dá título ao disco e é assinado por Roque Ferreira com Telma Tavares. Já na infeliz balada que abre o álbum, Eu Não Domino Essa Paixão (Neneo e Paulinho Rezende), Alcione desfia sua habitual ladainha amorosa envolta nos toques de tango que pontuam o arranjo brega. Dama da Paixão (Jefferson Junior e Umberto Tavares) também se situa em nível rasteiro. Já em Eternas Madrugadas (Fred Camacho e Cassiano Andrade) a Marrom chora as mágoas de amor em tom mais desencanado e no compasso feliz do samba. Na seara do romantismo despudorado, o repertório destaca Quem Dera, parceria de Reinaldo Árias e Paulo Sérgio Valle que revela - já no fim do disco - melodia e letra acima da média das baladas gravadas ultimamente pela intérprete. Aliás, verdade seja dita, Acesa se ilumina de maneira mais uniforme na segunda metade. A começar pela oitava faixa, Nair Grande, em que Telma Tavares e Paulo César Feital homenageiam a personagem-título, lendária integrante do Bloco dos Arengueiros, que viria a dar origem à Estação Primeira de Mangueira. A levada de Nair Grande é tão contagiante quanto o suingue de Chutando o Balde, tema de Nei Lopes que Alcione canta com Wilson Simoninha, autor do arranjo calcado no naipe de metais. O nível se mantém alto no partido A Casa da Mãe Gente (Junior Rodrigues e Gilson Nogueira) e na bonita toada Imperador Tocantins (Carlinhos Veloz). Produzido por Jorge Cardoso, Acesa não roça o brilho dos álbuns gravados por Alcione nos anos 70 e 80 - apesar dos eventuais acertos no repertório - mas sinaliza, sim, sutil upgrade em relação a títulos pobres como Uma Nova Paixão (2005). Há alguma luz no fim...

107 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Acesa, 34º álbum de Alcione, fecha um pouco o amplo leque estético aberto no anterior De Tudo que Eu Gosto (2007). Porém, entre sambas de nível até bom e baladas de cepa ruim, o álbum não deixa de pecar pela irregularidade que vem diluindo a discografia da Marrom ao longo dos últimos 20 anos. Apesar de Acesa ser um CD mais alegre, é rala a inspiração do repertório alinhado na primeira metade das 14 faixas. Salvam-se O Samba me Chamou - parceria do certeiro Sombrinha com Marquinho PQD - e Acesa, o samba que dá título ao disco e é assinado por Roque Ferreira com Telma Tavares. Já na infeliz balada que abre o álbum, Eu Não Domino Essa Paixão (Neneo e Paulinhoa Rezende), Alcione desfia sua habitual ladainha amorosa envolta nos toques de tango que pontuam o arranjo brega. Dama da Paixão (Jefferson Junior e Umberto Tavares) também se situa em nível rasteiro. Já em Eternas Madrugadas (Fred Camacho e Cassiano Andrade) a Marrom chora as mágoas de amor em tom mais desencanado e no compasso feliz do samba. Na seara do romantismo despudorado, o repertório destaca Quem Dera, parceria de Reinaldo Árias e Paulo Sérgio Valle que revela - já no fim do disco - melodia e letra acima da média das baladas gravadas ultimamente pela intérprete. Aliás, verdade seja dita, Acesa se ilumina de maneira mais uniforme na segunda metade. A começar pela oitava faixa, Nair Grande, em que Telma Tavares e Paulo César Feital homenageiam a personagem-título, lendária integrante do Bloco dos Arengueiros, que viria a dar origem à Estação Primeira de Mangueira. A levada de Nair Grande é tão contagiante quanto o suingue de Chutando o Balde, tema de Nei Lopes que Alcione canta com Wilson Simoninha, autor do arranjo calcado no naipe de metais. O nível se mantém alto no partido A Casa da Mãe Gente (Junior Rodrigues e Gilson Nogueira) e na bonita toada Imperador Tocantins (Carlinhos Veloz). Produzido por Jorge Cardoso, Acesa não roça o brilho dos álbuns gravados por Alcione nos anos 70 e 80 - apesar dos eventuais acertos no repertório - mas sinaliza, sim, sutil upgrade em relação a títulos pobres como Uma Nova Paixão (2005). Há alguma luz no fim...

24 de agosto de 2009 17:07  
Anonymous Anônimo said...

Não tenho mais esperança em ter a "minha" Alcione de volta, não: a grande sambista que um dia foi...

Não me surpreendi com a resenha, Mauro. Pena.

24 de agosto de 2009 18:32  
Anonymous Anônimo said...

Mauro esse cd tá tudo de bom!

24 de agosto de 2009 18:38  
Anonymous Anônimo said...

Um espetáculo, SALVE A MARROM!

24 de agosto de 2009 18:38  
Blogger Renascer said...

Mauro, se eu ñ domino essa paixão é brega, então eu quero ser!!!


Linda música!

24 de agosto de 2009 18:42  
Anonymous Anônimo said...

O conceito de "brega" é muito simples: "Oceano", a bela música de Djavan, tocou tanto, mais tanto que dá a impressão de ser "brega".
Já outras músicas na 3ª audição já enjoa - aí não é impressão, é "brega" mesmo. E Alcione há muito tempo enjoa na 3ª audição.

24 de agosto de 2009 18:47  
Anonymous Anônimo said...

Infelizmente não concordo com seus comentários Mauro. É um disco ótimo!!!!!!!!!! Salve a Marrom

24 de agosto de 2009 19:01  
Blogger Renascer said...

Alcione tem um vozeirão de tremer a terra, o Samba, o Jazz, o Soul e tudo que estiver parado"

24 de agosto de 2009 19:11  
Blogger Tanto que aprendi de amor said...

Alcione é unanimidade em sucesso e brilho ,há tempos pode por sua voz em tudo que quiser .
Alcione é uma diva ,e sua divindade está na história da Musíca popular brasileira.
Portanto baladeira ou não,ja é um mito.

24 de agosto de 2009 19:15  
Anonymous Anônimo said...

Alcione deveria ser uma exceção a regra. Com essa bela voz - na dosagem certa - deveria gravar mais discos tributos. A MPB agradeceria a ausência de tanta coisa inédita e descartável que vem gravando há anos.

PS: seu último trabalho que apreciei foi justamente um tributo - "Celebração".

24 de agosto de 2009 19:17  
Anonymous Anônimo said...

Fico triste com esses lançamentos de Alcione. Uma super cantora entregue a um repertório menor. Quando a gente ouve "Ouça", "Explode Coração" e "Rio Antigo" tem a certeza que essa mulher pode muito mais do que isso que é apresentado nos seus discos normais de carreira.

24 de agosto de 2009 19:17  
Anonymous Anônimo said...

EU NÃO SEI ONDE ALCIONE ACHA ESSES "COMPOSITORES". TEM TANTO TALENTO - ANTIGO OU RECENTE - EM NOSSA MÚSICA E ELA NÃO CONSEGUE ACHAR UM QUE PRESTE.
QUE ME PERDOEM OS FÃS MAS "NÃO DÁ, NÃO DÁ, Ô MARROM COM VOCÊ NÃO DÁ".

PS: e o conceito do "brega" aí foi perfeito.

24 de agosto de 2009 19:25  
Anonymous Anônimo said...

Sou colecionador e desde que me entendo por gente compro os discos de Alcione para manter a coleção em dia - este também vou comprar.
Mas não sou fã cego. Assim como aturei 1 década de bobanges de Simone ou Fafá de Belém e uns 3 ou 4 anos de Gal (caso menos grave) tenho de admitir que não é a mesma cantora. Pena (2).

24 de agosto de 2009 19:28  
Anonymous Anônimo said...

Ela é brega !!!
É necessário aceitar isso !!!

24 de agosto de 2009 19:36  
Anonymous Anônimo said...

Alcione já provou que tem voz e talento para cantar de tudo. Não precisa carregar o rótulo de sambista. Precisa é escolher melhor o que canta. Quando sai do samba é um desastre!!!

24 de agosto de 2009 19:36  
Anonymous Anônimo said...

Esse disco é bom, não é ótimo. Sou fãzaço de Alcione e reitero a opinião de Mauro que os seus melhores momentos foram os anos 80. É só ouvir "Nosso nome:resistência" pra saber que nossa marrom errava muito menos do que agora.
Realmente a segunda metade do disco é louvável, a primeira nem tanto. A faixa que abre o disco é um poço de cafonice, idem Dama da paixão.
As melhores: O sono dos justos,que desfia a beleza do Rio de Janeiro, A casa da mãe da gente, grande partido alto, com letra à altura do estilo, e Tocantins, poema e música maravilhosos, guardados infelizmente para a última faixa do disco. Tomara que alguém resista ouvir até o final.
Grande Alcione, volte.

24 de agosto de 2009 19:37  
Anonymous Anônimo said...

Acabei de comprar o cd e estou ouvindo. Engraçado que fico na torcida para escutar antes da resenha do Mauro. Sinceramente, gostei da primeira balada, brega por sinal, chamada: Eu não domino essa paixão.
O samba me chamou é um belo samba e se não fosse pela atuação do Xande de Pilares (por sinal sempre bom), seria melhor, confesso que a atuação dele me decepcionou.
Eternas madrugadas também é boazinha. Agora, a faixa título eu achei mediana!!!! Não é nenhuma pérola do Roque Ferreira, mas felizmente apagou a primeira impressão que tive quando escutei ao vivo (no blog da Sra. Joelma)! Talvez eu me acostume com o tempo e passe a gostar.
As faixas que prejudicam o cd: Dama da Paixão (super-brega e chata, hit de motel) e Não me peça pra ficar (idem) são os percalços do disco. Mas segue a linha romântico-brega da Alcione que TANTO faz a felicidade dos seus fãs. Eu, particularmente, não curto! Mas com certeza deverá virar hit das rádios!
Outra mediana é O sono dos justos! "Estou sereno, nem sinal de dor, vou me deitar com esta cidade". Bonita, mas um tédio.
E Nair Grande felizmente também me redimi da primeira audição. Muito legal! Linda! Samba do bom que a Marrom arrebenta! Uma das melhores faixas do cd.
O Mauro percebeu o mesmo que eu, o disco ganha fôlego a partir da faixa 8 (Nair). A música da Lapa é boazinha também e Chutando o Balde (regravação do bom disco do Nei) também ficou muito legal na voz da Marrom, já na do Simoninha (questionável!).
Quem dera é muito bonita também! Mas é outra balada! E A Casa da mãe da gente é a melhor faixa do cd! Parabéns aos compositores: Junior Rodrigues e Gilson Nogueira!
Sinuca de bico é muito bonita! Serginho Meriti acertou em cheio! A última eu não curti também!
Mas sem dúvida o saldo é positivo! Apagou a péssima impressão do cd e dvd anterior (De tudo que "EU" não gosto). Salve Alcione! E os sambas felizmente melhoraram da água para o vinho. Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: E a voz está BEM MELHOR!

24 de agosto de 2009 20:19  
Anonymous Anônimo said...

Eu já escutei o cd e achei lindo. Vamos parar com esse preconceito. O disco tá embalado. Cheio de músicas de qualidade. o Mauro mesmo reconhece, apesar do "pé atrás" que todo mundo sabe que ele tem com Alcione. Comprem e comprovem. Não vão se arrepender.

Márcio

24 de agosto de 2009 20:36  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Comprar Alcione ? "Nem morta".

24 de agosto de 2009 22:24  
Anonymous Anônimo said...

O disco é belo tem faixas fracas ,se fossem cantadas por joannna ou fabio jr,mas com D.alcione ficam novas e lindas,vide dalva e angela.
Alcione menos populista,mais muito mais popular ,concerteza mais um grande trabalho ,dessa mulher corajosa,q faz do seu sobrenome sucesso.
faxineira

24 de agosto de 2009 22:26  
Anonymous Anônimo said...

Preconceito contra o brega não é preconceito É BOM GOSTO. I'm sorry.

24 de agosto de 2009 22:28  
Anonymous Anônimo said...

Mauro, as 3 estrelinhas não estão de acordo com o texto.
Acho que o sentimento(amizade) passou por cima da razão.
O seu mote caiu por terra.

Abraço

25 de agosto de 2009 01:27  
Anonymous Anônimo said...

DE FATO A SEGUNDA METADE DO DISCO É A MELHOR, ANTES MESMO DE LER A RESENHA, JÁ HAVIA NOTADO ISSO. AS MELHORES MÚSICAS DO DISCO SÃO: NAIR GRANDE, CASA DA MÃE DA GENTE, CHUTANDO O BALDE, ACESA E QUEM DERA.
NO GERAL O DISCO É BOM, VALE A PENA.
QUANTO AS BALADAS, NÃO ME INCOMODAM, SÓ O QUE NÃO GOSTEI FORAM ALGUMAS EXPRESSÕES MAIS OUSADAS, DERIVADAS DO CREU.

25 de agosto de 2009 08:12  
Anonymous Anônimo said...

As pessoas dizem que querem a Alcione dos anos 70 e 80, mas se olharmos de verdade, ela continua a mesma, principalmente se comparada aos anos 80. As baladas criticadas, ela começou cantar em 1983, e antes disso, vinham letras romanticas, com a batida do samba.
O disco citado, Nosso nome resistência, possui Estranha loucura, Meu vicio é você e Ou ela ou eu, hiper criticadas e q o Brasil ama.
Alcione está acima das criticas, é uma excelente cantora e sempre grava músicas inéditas e bonitas.
Comprei o disco e não me arrependi.

25 de agosto de 2009 08:17  
Anonymous Anônimo said...

Como já comprei o cd, posso falar por ter ouvido e não pela resenha: o disco é bom, com altos e baixos.
Acesa, Quem dera ( linda balada ) e Casa da mãe da gente, têm tudo para se tornarem hits da Alcione; Chutando o balde é uma delícia; Nair grande é maravilhosa. Eu vou pra Lapa e Imperador Tocantins, são duas músicas sem graça de tudo. Sono dos justos e Sinuca de bico, são sambas muito bonitos.
Eu não domino essa paixão, Dama da paixão não são lá essas coisas mesmo, mas também não podem ser chamadas de brega, muito menos na voz de Alcione. O samba me chamou é uma música sem graça, que poderia ter sido gravada por qualquer um, e a participação do Revelação, piorou mais ainda a situação da música.

25 de agosto de 2009 08:26  
Anonymous Anônimo said...

Alcione arrasa!


e tem muita coragem de gravar musicas inéditas, pq ela pode!

ñ ficou no passado!

25 de agosto de 2009 09:46  
Anonymous Anônimo said...

O fato de Alcione ter a voz que tem e já ter provado que é grande interprete em searas diferentes do samba é que permite a ouvidos mais sensíveis ou exigentes dizer que é um desperdício aplicar tanta arte em repertório brega e desconexo.
Os fanáticos se permitem a cegueira e surdez,mas aos isentos não. Alcione, como tantas outras, faz muita concessão para ficar em evidência.

25 de agosto de 2009 09:52  
Anonymous Anônimo said...

O público de Alcione gosta desse repertório popular, de melodias fracas e rimas fáceis. Infelizmente pra nós que gostamos de uma Alcione gravando coisas melhores e de melhor nível.

25 de agosto de 2009 10:46  
Anonymous Anônimo said...

10:46
EM UM MESMO DISCO VOCÊ ENCONTRA AS DUAS COISAS.
AS PESSOAS FALAM AQUI SÓ DO QUE NÃO GOSTARAM, E DEIXAM DE FALAR DO QUE HÁ DE BOM NO DISCO.

25 de agosto de 2009 11:40  
Anonymous Anônimo said...

"As pessoas dizem que querem a Alcione dos anos 70 e 80, mas se olharmos de verdade, ela continua a mesma, principalmente se comparada aos anos 80. As baladas criticadas, ela começou cantar em 1983, e antes disso, vinham letras romanticas, com a batida do samba.
O disco citado, Nosso nome resistência, possui Estranha loucura, Meu vicio é você e Ou ela ou eu, hiper criticadas e q o Brasil ama.
Alcione está acima das criticas, é uma excelente cantora e sempre grava músicas inéditas e bonitas."

ERA EXATAMENTE ISSO QUE IA COMENTAR!!!!!!

QUEM CONHECE A TRAJETÓRIA DE ALCIONE E OUVE ESSE POVO CRITICA-LA (PQ FICAM QUE NEM PAPAGAIOS REPETINDO O QUE ESCUTAM E NÃO SE DÃO AO TRABALHO DE ESCUTAR DE FATO SUA DISCOGRAFIA), SABE QUE TAIS CRÍTICAS NÃO FAZEM SENTIDO.

ELA GRAVA UM DISCO MARAVILHOSO COMO É O "ACESA" E ELES CONTINUAM COM O PAPO. POIS ISSO É QUE EU CHAMO DE A LEGÍTIMA LADAINHA ROMÂNTICA.

CARTOLA NÃO ACABA, CANDEIA NÃO ACABA. MAS NÃO DÁ PRA FICAR SÓ NISSO.

ALCIONE É OUSADA COMO SÓ ELA. SABE TUDO DE SAMBA. E NÃO RENEGA SUAS ORIGENS, QUER ELAS ESTEJAM EM CARTOLA E CANDEIA, OU QUER ESTEJAM EM ANGELA MARIA E NELSON GONÇALVES.

Márcio

25 de agosto de 2009 12:22  
Anonymous Anônimo said...

Eu compro disco para aproveitar de 70% a 100%. Se for para jogar fora a metade como há muito se vê em discos de Alcione NÃO COMPRO.

25 de agosto de 2009 13:09  
Anonymous Anônimo said...

Alcione arrasa!!!! Não ficou no passado como várias outras cantoras e pode sim, cantar o que quiser e como quiser, que faz sucesso! É a maior voz do Brasil e vende por isso!!!!! Ela sim vai em qualquer programa de tv, canta em qualquer cidade, faz dos seus fãs, eternos apaixonados por seu talento INQUESTIONÁVEL!!!!!!!!!!!!!!!
Acenda cada vez mais o Brasil, Marrom!

25 de agosto de 2009 15:03  
Anonymous Anônimo said...

Belo cd! Bem melhor que o antigo! Mais um grande registro para a belíssima discografia da Alcione. Comprei, não me arrependo e indico!

25 de agosto de 2009 15:04  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Comprar Alcione ? "Nem morta". (2)

25 de agosto de 2009 15:34  
Anonymous Anônimo said...

"Antigo". Dissestes tudo, anônimo. Disco que presta é "ANTERIOR".

25 de agosto de 2009 15:36  
Anonymous Anônimo said...

A MAIOR PARTE DE QUEM ESTÁ FALANDO MAL, NEM OUVIU O DISCO.
A MINHA OPINIÃO SOBRE O DISCO, FOI QUASE TODA DESCRITA PELO MAURO, SOBRETUDO QUE NA SEGUNDA METADE A COISA ESQUENTA !!!
DAMA DA PAIXÃO, EU NÃO DOMINO ESSA PAIXÃO E NÃO PEÇA PRA FICAR, DE FATO NÃO SÃO LÁ ESSAS COISAS, MAS VALE A PENA PELA INTERPRETAÇÃO E PELOS ARRANJOS BONITOS. O RESTANTE DO DISCO TÁ ÓTIMO, APENAS A ÚLTIMA FAIXA E O SAMBA COM O REVELAÇÃO QUE O MAURO ELOGIOU, EU ACHEI QUE NÃO MERECEM TANTOS ELOGIOS.
EU DARIA 4 ESTRELAS COMO NOTA DE ZERO A CINCO.

25 de agosto de 2009 15:39  
Anonymous Anônimo said...

Ficar sem Alcione, "nem morta".

25 de agosto de 2009 15:41  
Anonymous Anônimo said...

Disco muito bom, um pouco melhor até que o ultimo. É de se admirar o respeito que ALCIONE tem com o publico, sempre presenteando-os com novas musicas.
Parabéns Marrom!
MS

25 de agosto de 2009 15:42  
Anonymous Anônimo said...

Ficar sem Alcione, "nem morto".
{2}

25 de agosto de 2009 16:36  
Blogger Marcio Lins - + 1 Banjo no Samba said...

Esquecam tudo que foi postado acima. A faixa "A casa da mae da gente" é o que há.Ela engrendece o CD...Melodia perfeita.

25 de agosto de 2009 19:46  
Anonymous Anônimo said...

Tá! Elogiei o disco, de fato é muito bom! Mas tem muito fanático aí escrevendo asneiras. Eu prefiro que as outras permaneçam no passado a gravar essas pseudo-BOMBAS que permearam a discografia da Alcione nessa década.
E a primeira música (Eu não domino essa paixão) é o fiel retrato do mau gosto musical de determinadas cantoras que não sabem opinar nos seus discos. Coitada, ela não MANJA NADA de arranjos! Só toca trompete! Mas a música é linda, hoje eu escutei melhor e a parte que emendam uma espécie de tango (confesso que não saberia definir a breguice que empregnaram na bela letra), na parte: "esse sujeito, não tem mais jeito, apronta todas e tira onda no meu peito. É tão ingrato, é o retrato do mais perfeito querubim!"
Nessa parte a música decai, é de uma INFELICIDADE TOTAL! Haja breguice nos arranjos!!!!
Estragaram a bela música!
E a capa também faz jus a fama dos seus discos. A anterior era mais bonita. Felizmente escutando o Acesa, esqueci do equívoco TOTAL que foi o De tudo que eu gosto.
Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

25 de agosto de 2009 20:33  
Anonymous Anônimo said...

Francamente, não consigo ver essa coisa brega que falam da Alcione. A batida brega é diferente, não tem nada haver com o que ela faz, basta ouvir um Waldick Soriano, aquilo é brega, mas ainda sim é melhor que muita coisa qu tem por aí ( ! ) como o funk por exemplo.

25 de agosto de 2009 21:51  
Anonymous Anônimo said...

Coitada ! só toca trompete ! não manja nada de arranjos !
Esse foi o cometário mais infeliz de todos os tempos aqui neste blog.

25 de agosto de 2009 21:53  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Comprar Alcione ? "Nem morta". (3)

25 de agosto de 2009 22:02  
Anonymous Anônimo said...

O novo disco de fato está muito bonito, é sempre bom ver Alcione por todo ano no mercado músicas inéditas, adorei Quem dera, Casa da mãe da gente, chutando o balde, Acesa e me emocionei com a Nair.
Marcelo, quando falaram de outras que ficam no passado, não foi com referência à Beth, e sim à grande maioria das cantoras que estão presas lá. Alcione manja muito de música, arranjos e tocar instrumento de sopro ( trompete, saxofone, clarinete e trombone ) não é pra qualquer um, não !!!
Espero que o disco de inéditas que a Beth vai lançar esse ano, venho lindo também, pra eu ouvir muito em casa.

Louela Passos.

25 de agosto de 2009 22:08  
Anonymous Anônimo said...

Quanto vou te deixar Alcione??? Nem mortO! {3}

26 de agosto de 2009 09:08  
Anonymous Anônimo said...

Gostaria de esclarecer algumas coisas...

Alcione é brega? pode até ser...
Qual cantora canta? Samba, Reggae, Jazz,Forró e et...

Qual cantora canta? Em Italiano, Francês, Inglês, Espanhol e até em Russo??? Com uma magnitude impressionante?

Bom nenhuma! e com 62 anos ainda impressiona pela sua Grande VOZ e seu repertório inédito! SALVE A MAIOR VOZ DESSE BRASIL!

Estou doido pra v~e-la cantar no Brazilian Day, o Hino diga-se de passagem...


mauro seu blog está ótimo. Belém-Pa

26 de agosto de 2009 09:15  
Anonymous Anônimo said...

Coitada ! só toca trompete ! não manja nada de arranjos !
Esse foi o cometário mais infeliz de todos os tempos aqui neste blog.
[2]
cara como tu consegues ser tão ignorante?

Raphael Andrade

26 de agosto de 2009 09:20  
Anonymous Anônimo said...

Alcione acendeu esse blog!

SALVE SALVE!

26 de agosto de 2009 09:21  
Anonymous Anônimo said...

"Coitada, ela não MANJA NADA de arranjos! Só toca trompete!"

E depois a gente que é fanático! Olha aqui, Sr. Marcelo, que o sr. não gosta de Alcione, isso já está bem claro pelos comentários que o sr. insiste em publicar. E isso em todas as postagens que falam sobre Alcione. Admiro sua persistência! Não gosta? Esquece!!! Vai escutar outra coisa. Eu não gosto de Simone. Não escuto e pronto! Mas não! Tudo sobre Alcione lhe fascina.

Pra seu conhecimento, Alcione aprendeu música copiando partituras, desenhando as notas. Ela aprendeu solfejo, começou a tocar clarinete aos 8 anos. Aprendeu trompete e saxofone alto.

Qualquer músico que se preste e qualquer pessoa que entenda realmente de música é unânime em dizer que Alcione sabe tudo de música.

Então, quando querem criticar ela, falam de repertório, mas agora o sr. se excedeu. Só toca trompete?

Márcio

26 de agosto de 2009 09:24  
Anonymous Anônimo said...

Eu sinceramente adorei a capa, E as fotos de divulgação idem!

26 de agosto de 2009 09:42  
Anonymous Anônimo said...

Amando ou detestando
Alcione, ela tá sempre bombando. Haja vista a quantidade de mensagens que deixam por aqui todas as vezes que seu nome é mencionado. É a Marrom causando...para quase quarenta anos de estrada, tá bom demais, né?

26 de agosto de 2009 09:58  
Anonymous Anônimo said...

Coitada ! só toca trompete ! não manja nada de arranjos !
Esse foi o cometário mais infeliz de todos os tempos aqui neste blog.[3]

Marcelinho, essa foi forte!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Aterrisaaaaaaaaa!

Servente :P

26 de agosto de 2009 10:46  
Anonymous Anônimo said...

Coitada ! só toca trompete ! não manja nada de arranjos !
Esse foi o cometário mais infeliz de todos os tempos aqui neste blog.[4]

Marcelinho, essa foi forte!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Aterrisaaaaaaaaa!

Raphael

26 de agosto de 2009 11:19  
Anonymous Vagner - Lapa said...

Gostei da capa, não gostei das outras fotos de divulgação. Gostei de O Samba me chamou, Chutando o balde, Sinuca de Bico(Não do arranjo), Nair, Imperador de Tocantins. A primeira realmente já não era boa e arranjo altamente equivocado acabou por destruir. O sono dos justos é a coisa mais sem sentido que já ouvi. Fred Camacho sabe das coisas, ele tem coisas melhores, espero que a Alcione passe a gravá-lo mais e mais. Não gostei da participação do revelação, Xande quase destrói a música e achei o Simoninha ... "pouco", ele é muito melhor que aquilo. Acho que a Alcione está soberba neste CD, cantando de uma forma linda, inteira e sincera. Acho a voz da Alcione, seu talento e musicalidade indiscutível, como é indiscutível que ela subestima seu pública. Com a voz e verdade que tem, poderia cantar Chico, Ivan, Noel, Djavan, Candeia, Gil, Ben Jor ... que seria sucesso, como fez sucesso cantando o melhor do que Clara gravou, como fez sucesso cantando músicas da década de 50, 60, enfim, o que Alcione cantar, seja bom ou ruim, não afastar seu público, só penso que às vezes ela esquece disso e apela. Sem necessidade. Queria chegar aos 62 com essa voz, cantando desse jeito e com todos esses fãs, na boa, Alcione já ganhou esse jogo há muito tempo. E Marcelo ... tsc tsc tsc surtou filhote!

26 de agosto de 2009 12:45  
Anonymous Vagner - Lapa said...

Gostei da capa, não gostei das outras fotos de divulgação. Gostei de O Samba me chamou, Chutando o balde, Sinuca de Bico(Não do arranjo), Nair, Imperador de Tocantins. A primeira realmente já não era boa e arranjo altamente equivocado acabou por destruir. O sono dos justos é a coisa mais sem sentido que já ouvi. Fred Camacho sabe das coisas, ele tem coisas melhores, espero que a Alcione passe a gravá-lo mais e mais. Não gostei da participação do revelação, Xande quase destrói a música e achei o Simoninha ... "pouco", ele é muito melhor que aquilo. Acho que a Alcione está soberba neste CD, cantando de uma forma linda, inteira e sincera. Acho a voz da Alcione, seu talento e musicalidade indiscutível, como é indiscutível que ela subestima seu pública. Com a voz e verdade que tem, poderia cantar Chico, Ivan, Noel, Djavan, Candeia, Gil, Ben Jor ... que seria sucesso, como fez sucesso cantando o melhor do que Clara gravou, como fez sucesso cantando músicas da década de 50, 60, enfim, o que Alcione cantar, seja bom ou ruim, não afastar seu público, só penso que às vezes ela esquece disso e apela. Sem necessidade. Queria chegar aos 62 com essa voz, cantando desse jeito e com todos esses fãs, na boa, Alcione já ganhou esse jogo há muito tempo. E Marcelo ... tsc tsc tsc surtou filhote!

26 de agosto de 2009 12:46  
Anonymous Anônimo said...

GOSTEI DA CAPA E DAS FOTOS DE DIVULGAÇÃO, SE BEM QUE A PREFIRO COM O VISUAL DO DISCO ANTERIOR, POIS A REJUVENECE.
O DISCO ESTÁ MUITO BOM, NÃO GOSTEI DE ALGUMAS COISAS:
- O SAMBA ME CHAMOU É UMA MÚSICA FRACA, ME LEMBROU MUITO FUNDO DE QUINTAL E ESSAS COISAS, E PIOROU COM A PARTICIPAÇÃO DO GRUPO REVELAÇÃO;
- ALGUMAS EXPRESSÕES SENSUAIS USADAS NAS LETRAS, NÃO COMBINAM COM A POSTURA DE ALCIONE E COM A IDADE QUE ELA TEM.
O DISCO TEM SAMBAS MARAVILHOSOS COMO NAIR, CASA DA MÃE, SINUCA DE BICO, CHUTANDO O BALDE, QUE FICOU DELICIOSA.
POSSUI OUTROS SAMBAS BONITOS COMO O SONO DOS JUSTOS, COM UM TOQUE DE BOSSA NOVA - A LETRA NÃO É ISSO TUDO, MAS O ARRANJO E A INTERPRETAÇÃO ESTÃO LINDOS.
A PARTE ROMANTICA JÁ ESTEVE MELHOR EM OUTROS DISCOS, MAS A FAIXA QUEM DERA É SIMPLESMENTE LINDA.
A PRIMEIRA FAIXA MUITO CITADA, NÃO ME INCOMODOU, APENAS FIZERAM ALGO DIFERENTE, JOGARAM UM TANGO NO MEIO DA MÚSICA, ACHO QUE COM A IDEIA DE DESTACAR AS PARTES DA MÚSICA.
VALE A PENA COMPRAR.

26 de agosto de 2009 15:12  
Anonymous Anônimo said...

vale muito a pena comprar!só.

26 de agosto de 2009 15:56  
Anonymous Anônimo said...

Eu peço licença à todos para dizer que acompanho a carreira de Alcione de perto há uns 6 anos. Comprei o Acesa tem quatro dias. É um dos mais lindos álbuns destes últimos anos! Das 14 músicas, eu diria que existem apenas 4 criticáveis. Não que eu as tenha achado ruins, mas não são tão fortes. As outras, não tem o que comentar. Logo, vale muito a pena adquirir! Eu digo, com certeza, que é um disco muito bom! Acrescento estrelas na cotação!

Abraço,

Gino.

26 de agosto de 2009 16:40  
Anonymous Anônimo said...

É, para quem ouve Alcione há 6 anos deve estar no lucro mesmo. Não conheceu a Alcione quando era ALCIONE. Divirta-se.

26 de agosto de 2009 16:50  
Anonymous Anônimo said...

É claro que conheço, querido(a), apesar de não ter tido a oportunidade de apreciar os discos na época em que foram lançados. Me agrada todas as fases da Marrom. Acho interessante como ela consegue se manter "acesa" durante mais de 30 anos. É claro que os tempos são outros; e ela não é boba. A veia romântica sempre esteve presente na Marrom mesmo quando ela não tinha autonomia pra escolher o que queria cantar, como nos primeiros discos. A partir de 83 isso mudou e ela foi imprimindo mais forte seu estilo. Em compensação, ela sempre foi ousada. Se hoje ela canta versos como "só come gostoso se for no meu prato", em 77 ela cantava "Recusa", do aqui já criticado Paulinho Resende. Alcione mantém um linha no seu trabalho ao mesmo tempo em que se atualiza pra não escapar ao tempo. Eu acho isso bárbado.


Gino

26 de agosto de 2009 19:32  
Anonymous Anônimo said...

Eu acompanho Alcione desde 1990, e tenho a coleção completa dela, desde o compacto simples de 1975, antes do primeiro disco, por isso posso dizer que em relação aos seus discos, ela continua a mesma. Desde a decada de 70, ela sempre teve seus discos com ecletismo, claro que menos que hoje, pois ainda era obrigada a obedecer diretor de gravadora, mas em 1983, com o disco Almas e corações, ela passou a cantar tudo o que gosta, e sempre se modernizando com o passar do tempo; tanto é que seu público de início de carreira, ainda a acompanha, juntamente com os mais jovens.
Por ser profundo conhecedor da obra de Alcione, posso afirmar que ela sempre foi versatil e nunca foi presa a rótulos e que este disco está muito bom.

26 de agosto de 2009 20:32  
Anonymous Anônimo said...

Não tenho o compacto, anônino, mas desde o 1º LP tenho todos de sua fase "decente".

Parei com Alcione ainda antes da era do CD. Não dava mais.

NÃO É "A MESMA" MESMO! SEM CHANCE.

SUAS "BALADAS" EM SEUS DISCOS ANOS 70, COMEÇOZINHO DOS 80, PODERIAM ATÉ NÃO SER UM CHICO BUARQUE DA VIDA, MAS OS ARRANJOS BEM MAIS ELABORADOS E MENOS PUXADOS PARA OS BOLEROS AÇUCARADOS (SÓ NANA CAYMMI CONSEGUE MANTER DIGNO UM "BOLERO BRASILEIRO") MAIS SUA VOZ AINDA INTACTA MANTINHA O NÍVEL ALTO.

OS SAMBAS ERAM TODOS BONS, NÃO ERA UM OU OUTRO.

FUI FÃ E TAMBÉM ENTENDO "DAQUELA" ALCIONE.

"ESTA" (COMO CITOU UM ANÔNIMO AÍ) REALMENTE LARGUEI DE MÃO MAS QUANDO OUÇO SÓ LAMENTO E COMPROVO SUA DECADÊNCIA.

ELA NÃO É ÚNICA. SIMONE E FAFÁ DE BELÉM SÃO OUTROS EXEMPLOS DE BELAS CANTORAS COM BELO CURRÍCULO QUE DE UMA HORA PARA OUTRA VIRARAM CANTORAS BANAIS DEVIDO AO PÉSSIMO REPERTÓRIO QUE DOMINOU A MÚSICA ROMÂNTICA A PARTIR DE MEADOS DE 85 (A GERAÇÃO "VENDE MILHÕES" DE SULLIVAN & MASSADAS), SÓ QUE TANTO SIMONE QUANTO FAFÁ RETORNARAM À BOA MPB (SE ISSO ME FAZ ELITISTA, COMO GOSTAM DE ROTULAR POR AQUI, OK! SOU ELITISTA: QUERO OUVIR A MÚSICA BRASILEIRA FEITA POR CHICO BUARQUE E NÃO POR MICHAEL SULLIVAN...)

Abraços e parabéns pela resistência. Sério, parabéns mesmo pela fidelidade a seu artista (aturei muito Fagner brega, muita Simone brega, muita Fafá brega e me mantive fiel). Alcione, infelizmente não deu. O prazo do mau-gosto passou de todos os MEUS limites.

26 de agosto de 2009 21:07  
Anonymous Anônimo said...

Meus caros,

Pena que não pude comentar porque bloquearam o blog do Mauro no meu trabalho (parte de comentários). Primeiramente, minha cara Louela, um beijo e você faz MUITA falta nesse espaço. Apareça mais!
Aos outros e outras, o que quis dizer é que ela não manja NADA de arranjos SIM, sobretudo CORDAS! E se manjasse não deixaria estragar uma música TÃO BONITA como a que eu citei.
Ela toca sim instrumentos de sopro (não precisam me sinalizar isso porque eu sei! Não acompanho a carreira da Alcione agora!), mas e as cordas como ficam? E se ela manjasse tanto assim de arranjos, comprova que foi no mínimo omissa por deixarem FERRAR com a referida (e bela) música.
Eu gosto de cantoras com autonomia, que peitam e que decidem absolutamente TUDO dos seus discos, desde uma simples capa até os mais sofisticados arranjos. Pra poucas né?
Abraços! Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: E o disco é realmente muito bom, PORÉM tem MÚSICAS BREGAS E CAFONAS SIM!
PS2: E Mauro, meus parabéns pela cotação! Como sempre coerente! O disco até mereceria umas quatro estrelas, MAS essa cafonalha que ela insiste em gravar acaba maculando o projeto.

26 de agosto de 2009 21:10  
Anonymous Anônimo said...

Vocês são preconceituosos! O arranjo do Alexandre Menezes na primeira faixa tá perfeito. Diferente, isso sim! É disso que gosto em Alcione: ela não tem medo de errar!

E que voooooooooz!!! E que interpretação... Aos 61...

Márcio.

26 de agosto de 2009 21:56  
Anonymous Anônimo said...

Justamente o diferencial de Alcione são os arranjos, meu amigo! Alcione sempre cantou um repertório popular com arranjos lindos e sofisticados. Capricha demais! A Banda do Sol mata a pau!!! [Cintia Costa]

26 de agosto de 2009 22:00  
Anonymous Anônimo said...

Se voltar para a boa mpb, é ficar patinando ao regravar suas próprias músicas, ou gravar aquilo que todo mundo já cantou de Chico Buarque, divirta-se com os discos da Fafá, principalmene com o Encontro das águas ou aquele Piano e voz.
Referente ao samba, Alcione vem gravando todos os anos sambas dos bons: Primo do jazz, O poder da criação, Xequeré, Corpo fechado, O samba vai balançar, Nair grande, Casa da mãe da gente, A que mais deixa saudade, dentre outros.
Quanto as músicas açucaradas, o povo do Brasil e de outros países amam, e espero que ela grave cada vez mais.
PS
Gosto não se discute´, por isso não ache que o seu gosto é que é o bom, para muitos não é.

26 de agosto de 2009 22:43  
Anonymous Anônimo said...

Boa noite, Marcelo.
Que bom que você sente minha falta !
Concordo com você que o disco tá muito bom, mas não concordo quanto aos arranjos e as cordas - você prestou atenção no violão que tem em Acesa ? De fato o tango no meio da primeira faixa ficou esquisito mesmo, mas não dá pra julgar toda uma obra e os conhecimentos dela por um momento infeliz.
Que bom que você gostou do disco e deixou isso bem claro, assim você mostra ás pessoas que é imparcial, só não foi imparcial porque uma outra cantora que também vai lançar inéditas esse ano, toca cordas.
Beijos
Louela Passos

26 de agosto de 2009 22:54  
Anonymous Anônimo said...

Coerência do Mauro não vejo nemhuma. A resenha é para 2 ou 2,5 estrelas. Até ele ficou confuso com tanto "ecletismo" - palavra para disfarçar a real situação de um disco "mistureba" e "atira para todos os lados".

26 de agosto de 2009 23:41  
Anonymous Anônimo said...

NÃO É "A MESMA" MESMO! SEM CHANCE. (2)

27 de agosto de 2009 01:54  
Anonymous Anônimo said...

Alcione PODE!

27 de agosto de 2009 09:41  
Anonymous Anônimo said...

Quem dera todos fizessem uma mistureba dessas...

27 de agosto de 2009 11:32  
Anonymous Anônimo said...

23:41
VC OUVIU O DISCO ?
A COTAÇAO DO MAURO ESTÁ BOA, O DISCO ESTÁ MUITO BOM, PODERIA ATÉ TER MAIS UMA ESTRELA, QUE SERIA JUSTO, SE FOSSEM 5 ESTRELAS, AÍ REALMENTE NÃO SERIA CORRETO.

27 de agosto de 2009 12:02  
Anonymous Anônimo said...

Coitada ! só toca trompete ! não manja nada de arranjos !
Esse foi o cometário mais infeliz de todos os tempos aqui neste blog.[4]

Marcelinho, essa foi forte!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Aterrisaaaaaaaaa!


Romullo !

27 de agosto de 2009 12:10  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Ouvir Alcione ? "Nem morta".

27 de agosto de 2009 13:18  
Anonymous Vagner - Lapa said...

Não conheço Alcione, mas todos os artistas que cantam ou gravam com ela dizem a mesma coisa de uma forma ou de outra: Ela entende tudo de música. Bethânia, Ana Carolina, Zizi Possi, Leny Andrade, Angela Roro, Ed Motta. É sinal que ela entende mesmo. Faz o trabalho que ela julga ser importante ser feito e talvez, como disse o Marcelo, se omita em alguns momentos de lapidar sua arte, usando este conhecimento tão falado.

27 de agosto de 2009 13:28  
Anonymous Anônimo said...

ALCIONE PODE!!!!!!!!!!!!!!!!!!

27 de agosto de 2009 14:06  
Anonymous Anônimo said...

Como assim existem algumas expressões sensuais que não combinam com a postura da Alcione ou com a idade dela??? Ela sempre foi uma das cantoras mais ousadas, e com ''presença'' de toda a MPB!
Ela sim, mesmo acima do peso, colocou um decotão no especial do Roberto Carlos de 2007 e fez até o Rei perder o rebolado!!!
VIVA A ALCIONE ACESA DE SEMPRE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

27 de agosto de 2009 14:11  
Anonymous Anônimo said...

Mas "recusa" tem arranjo lindo e o responsavel pela produção era o Menescal e Alcione nunca cantou tão bem como la.Agora, gente cade a discografia da marron no capricho?Pra poder ter remaster todos aqueles discos.

27 de agosto de 2009 16:42  
Anonymous Anônimo said...

Deveria ser lançada uma caixa. Alcione de 1975-81. Seria perfeito. Os Robertos (Menescal e Santana) fizeram muito bem para a Marrom, pena que por pouco tempo.

27 de agosto de 2009 18:51  
Anonymous Anônimo said...

Falou e disse o anônimo das 18:51 e eu ainda acrescentaria os grandes maestros Ivan Paulo e Jorge Cardoso, sobretudo, na década de 80. Pra quem já os teve nos seus discos, fica MUITO DIFÍCIL gostar de arranjos da Banda do Sol!
Louella, minha cara, continuo afirmando que o disco é muito bom, hoje escutei duas vezes e felizmente, quanto mais ouço, mais feliz fico principalmente em relação ao EQUÍVOCO que é (era) o disco passado.
E Vagner, continuo achando que se fosse a "bam bam bam desse fuzuê" dos arranjos não se omitiria tanto, não deixaria a cargo dos outros. Na minha opinião e respeitando a dos outros, não entende lhufas de harmonia, de arranjos, de cordas, de nada. Se fosse mais intrometida no sentido melhor da palavra, faria um PRIMOR de disco. Só não me venham com esse papo de que só porque toca instrumentos de sopro entende TUDO e é regente de orquestra sinfônica brasileira. Não entende não!
Mas felizmente, o disco é muito bom e é isso que interessa! Eu daria umas quatro estrelas! Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: Aos que cobram determinadas posturas do Mauro, já escrevi anteriormente, o que fazem por aqui? O blog é do cara e ele cota da forma que achar melhor. Se não estão satisfeitos, procurem outro local, como a comunidade do orkut, a porta da casa da Alcione ou o blog da Sra. Joelma. Sem mais.

27 de agosto de 2009 19:15  
Anonymous Anônimo said...

Jorge Cardoso é bom ? um grande maestro ?
Então olhem quem foi que produziu o disco Acesa, e os discos anteriores de alcione.
A realidade é que o disco tá lindo e como não tem do que falar mal, inventou essa história dos arranjos.

27 de agosto de 2009 21:19  
Anonymous Anônimo said...

"Mas felizmente, o disco é muito bom e é isso que interessa! Eu daria umas quatro estrelas!"

Aeeeeeeeee!!!
Como comprova sua insistência com Alcione, vc é fã! Alcione, bem ou mal, mexe com vc, Marcelo. Vc se incomoda porque ela não se rendeu ao que VC espera dela, mas vc adora Alcione. ALCIONE LHE ACENDE!

A todos nós tb!

Continuem apreciando!!

Márcio.

27 de agosto de 2009 21:25  
Anonymous Anônimo said...

"essa história dos arranjos"...

Meu caro, arranjos são 30% de uma música, a não ser que seja na base voz e violão ou voz e piano - e mesmo assim tem arranjo. Informe-se.

28 de agosto de 2009 01:29  
Anonymous Vagner - Lapa said...

Marcelo, você já foi mais coerente e já foi mais divertido divergir de você. Jorge Cardoso que vem prodizindo os discos da Alcione desde a década de 80, aliás foi ele que lhe devolveu o grande sucesso, com o disco Fruto e Raiz. Já Ivan Paulo sim, grande maestro, oferece a Alcione sempre os melhores arranjos, presença marcante do disco Promessas, um dos melhores das últimas décadas. Claro que Alcione não tem conhecimento para ser regente de orquestra sinfônica, ela é apenas uma cantora popular, nossa melhor cantora de samba. Um disco da Alcione com 8 bons sambas, uma balada pra lá de digna e uma toada, pra mim está muito acima da média. Como diz na músca do Sombrinha, quantas vezes o samba lhe chamar, ela vai.

28 de agosto de 2009 13:33  
Anonymous Anônimo said...

Comprei Acesa e to mto satisfeita. Que disco!!! Alcione veio com muito samba pra calar quem andava dizendo por aí que ela tinha virado uma cantora romântica simplesmente. Como alguém já disse aí, seu público gosta das baladas sim, o que não diminui em nada o talento da artista. Ela canta as românticas e os sambas com a mesma galhardia e competência de quem nasceu pra música. Esse papo de arranjo é pretexto. Como disse o colega aí de cima... era preciso arrumar alguma coisa pra criticar. Um disco excelente! Marrom está mais uma vez de parabéns! Adooooooooooooooooooooooro!!! [Cintia Costa]

28 de agosto de 2009 17:28  
Anonymous Anônimo said...

Com Alcione eu iria até o inferno. Mas dessa vez, eu vou pra Lapa, e com muito orgulho!!!

28 de agosto de 2009 17:30  
Anonymous Anônimo said...

Alcione tem uma fórmula (estilo?). Às vezes dá certo (tempo de guarnicê, nosso nome resistência, promessas, faz uma loucura por mim). Às vezes patina na lama (Pulsa coração, Uma nova paixão, De tudo que eu gosto, A paixão tem memória). Dessa vez deu certo! Acesa é um bom disco.

28 de agosto de 2009 19:45  
Anonymous Anônimo said...

Regular... pra ruim.

28 de agosto de 2009 20:37  
Anonymous Anônimo said...

PULSA CORAÇÃO E A PAIXÃO TEM MEMÓRIA SÃO DISCOS MARAVILHOSOS !!!

28 de agosto de 2009 21:16  
Anonymous Anônimo said...

Ouço Alcione há quase vinte anos, e o que me fez virar fã, não foi nenhuma música, e sim a voz dela, que eu ouvi sem querer no disco de uma novela; me arrepiei ao ouvir aquele vozeirão lindo e daí passei a acompanhar o trabalho dela. Pra mim não importa o que ela está cantando, se é bom ou não, o que importa é o modo como ela interpreta qualquer canção, a emoção que ela passa com a voz e a credibilidade que ela dá para a música.
Alcione é a cantora que mais me emociona e que mais agrada os meus ouvidos.

28 de agosto de 2009 21:35  
Anonymous Anônimo said...

COM A LICENÇA DE NEY LOPES:
SE O ARRANJO NÃO É BOM, FAZ UM SAMBA COMO O DA ALCIONE QUE O POVO APLAUDE.

28 de agosto de 2009 21:36  
Anonymous Anônimo said...

Pulsa coração, A paixão tem memória e Uma nova paixão, são ótimos discos e venderam pra caramba, principalmente o primeiro.
Basta fazer muito sucesso que o povo começa falar mal.

28 de agosto de 2009 21:39  
Anonymous Anônimo said...

Eu primeiro gostaria de parabenizar o Mauro pelo espaço. Qualquer amante da música que se preze precisa conhecer esse blog. Eu estou sempre aqui bebendo dessa fonte e aproveitando as dicas!

Não ia comprar o disco da Marrom, mas depois de ver a resenha e os comentários, resolvi pagar pra ver. De fato! Como muitos disseram, o disco está a cima da média!!!! Fiquei apaixonado!!!! Não me canso de escutar!!! Virei fã! Colocaria mais estrela nessa cotação!

No mais, era isso! Não sou muito de postar, mas não poderia deixar de confirmar o que muitos estão dizendo: o cd é ótimo!

Carlos Rodrigo Penha - PR

28 de agosto de 2009 21:59  
Anonymous Anônimo said...

Essa capa é de "doer".
Totalmente "over".
PeloamordeDeus Marrom sai dessa linha!

28 de agosto de 2009 23:07  
Anonymous Anônimo said...

A capa é muito parecida com todas as outras. Alcione e seu sorrisão metálico. Apesar de todo o colorido, achei sóbrea, bonita, acesa.

29 de agosto de 2009 11:14  
Anonymous Anônimo said...

Este post da Alcione está rendendo até hj? Sinal de que a Marrom não é uma qualquer... ela é simplesmente maravilhosa!

29 de agosto de 2009 12:27  
Anonymous Anônimo said...

Capa over???????????
Tá doido, meu irmão??????
As capaz dos discos de Alcione são sempre na maioria assim. Chegam a ser óbvias até. É ela na frente, de carão. O que aliás, é ótimo. Pq ela é linda desde sempre. Fotografa muito bem e tem um sorrisão que ilumina tudo! Vão falar do que agora???

Pelo amor de Deus!!!

Alcione Acesa Incendeia!!!!

Márcio.

29 de agosto de 2009 15:07  
Anonymous Anônimo said...

Ela é Mara! Que vozeirão!

29 de agosto de 2009 20:15  
Anonymous Anônimo said...

Eu prefiro Alcione de cabelo longo e mais alisado, acho q a rejuvenece, mas achei que ela ficou muito bonita na capa.

29 de agosto de 2009 22:52  
Anonymous Anônimo said...

"Teatral, divertida, suingada, romântica, eclética. São muitos os adjetivos que podemos usar para reverenciar essa artista excepcional que é Alcione. Sem preconceitos estéticos, equilibrando-se entre o sofisticado e o popular, ela é cada vez mais querida por jovens e não tão jovens, gente simples, moderninhos, morro e asfalto, subúrbio e Zona Sul. E tome carisma e talento para conseguir tal façanha! É esta cantora que volta mais Acesa do que nunca em seu 34º disco de carreira. Confira!"

Uhuuuuuuuuu!!!
[Cintia Costa]

31 de agosto de 2009 09:01  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Conferir Alcione ? "Nem morta"

31 de agosto de 2009 14:14  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Conferir Alcione ?

só se for agora!

31 de agosto de 2009 17:37  
Anonymous Anônimo said...

Eu ? Conferir Alcione ?

só se for agora![2]

1 de setembro de 2009 15:55  
Anonymous Anônimo said...

PARA TUDO.

A CASA DA MÃE DA GENTE sem sombra de dúvidas é a melhor música do cd.

Partido alto mesmo...

4 de setembro de 2009 13:02  
Anonymous Anônimo said...

Ela arrasou no brazilian days!

9 de setembro de 2009 15:53  
Anonymous Anônimo said...

Triste com muitos comentários que eu vi por aqui!

Esculacharam com a coitada da Marrom.

Lamentável a começar pelo Mauro, eu acredito que devemos sempre criticar quando necessário, mas ofender também já é demasiada falta de educação por parte de muitos.


Adoro Alcione, tenho 16 anos e não me importa se ela for brega só por gravar de tudo um pouco, se já não é a mesma de 1978 quando cantava no programa "Alerta Geral´" ou se já não é aquela que cantava seus ricos jazz na Boate Preto 22.

Fiz questão de comprar o Cd, adorei, achei melhor que o anterior, Capa e fotos de divulgação boas a cada ano ela arrasa com cada novo visual.

Pra mim as melhores faixas do cd com certeza é "Quem Dera" "Nair Grande" "A Casa da Mae da Gente" "Sinuca de Bico" lindissimo samba, "Chutando o Balde" me lembrou um samba que a marrom cantou em seu disco em 1982.

Gostei dos arranjos e de sua voz perfeita em "Imperador Tocantins"

As outras são boas, mas não são das melhores não é porque eu sou fã eu tenho por obrigação gostar de todas as faixas do disco.

Enfim Alcione sabe o que faz! desejo muito sucesso. E que venhas outros tantos discos como este.

3 de maio de 2010 15:21  

Postar um comentário

<< Home