15 de julho de 2009

Samba de Padeirinho revive na voz de Tantinho

Resenha de CD
Título: Tantinho Canta
Padeirinho da Mangueira
Artista: Tantinho
da Mangueira
Gravadora: Sem
indicação
Cotação: * * * *

Osvaldo Vitalino de Oliveira, o Padeirinho da Mangueira (1927 - 1987), foi um compositor da Estação Primeira de Mangueira que saiu de cena no ano, 1987, em que gravaria seu primeiro disco. Sua obra intuitiva foi gravada por cantores como Jamelão (1913 - 2008). Mas muitos sambas de Padeirinho ainda permaneciam inéditos até que Devani Ferreira, o Tantinho da Mangueira, os registrou neste valioso Tantinho Canta Padeirinho da Mangueira, álbum gravado graças a um patrocínio da Petrobrás. É na voz segura desse cantor da verde-e-rossa que saem do baú jóias como o partido alto Cuidado Mulher, dividido por Tantinho com Marquinhos China. O CD evidencia a impressionante versatilidade da obra de Padeirinho, hábil tanto na criação de sambas sincopados (como A Situação do Escurinho, registrado em apropriado clima de gafieira) como de sambas mais dolentes, caso do melancólico Esta Saudade, que ostenta a grife melódica e poética típica dos clássicos dos bambas da Velha Guarda. Sem falar no samba de terreiro, gênero exemplificado em Terreiro em Itacuruçá. O CD Tantinho Canta Padeirinho da Mangueiratem importância histórica por registrar títulos inspirados (Rua das Casas, Logo a Mim, Modificado) de obra que corria risco de cair em completo esquecimento. Mesmo sambas razoavelmente conhecidos, como Favela e Linguagem do Morro, merecem ser ouvidos por novas gerações. Até porque a direção musical e os arranjos - a cargo de Paulão 7 Cordas - são reverentes ao universo de Padeirinho, sem invencionices. E, como Tantinho sabe o que canta (e ele ter confiado a interpretação do samba O Remerso me Persegue a Mestre Birinha apenas reforça o valor vocal do anfitrião), o resultado é disco essencial para todos que se interessam pela produção do samba carioca. Padeirinho é bamba!!

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Osvaldo Vitalino de Oliveira, o Padeirinho da Mangueira (1927 - 1987), foi um compositor da Estação Primeira de Mangueira que saiu de cena no ano, 1987, em que gravaria seu primeiro disco. Sua obra intuitiva foi gravada por cantores como Jamelão (1913 - 2008). Mas muitos sambas de Padeirinho ainda permaneciam inéditos até que Devani Ferreira, o Tantinho da Mangueira, os registrou neste valioso Tantinho Canta Padeirinho da Mangueira, álbum gravado graças a um patrocínio da Petrobrás. É na voz segura desse cantor da verde-e-rossa que saem do baú jóias como o partido alto Cuidado Mulher, dividido por Tantinho com Marquinhos China. O CD evidencia a impressionante versatilidade da obra de Padeirinho, hábil tanto na criação de sambas sincopados (como A Situação do Escurinho, registrado em apropriado clima de gafieira) como de sambas mais dolentes, caso do melancólico Esta Saudade, que ostenta a grife melódica e poética típica dos clássicos dos bambas da Velha Guarda. Sem falar no samba de terreiro, gênero exemplificado em Terreiro em Itacuruçá. O CD Tantinho Canta Padeirinho da Mangueira já tem importância histórica por registrar títulos inspirados (Rua das Casas, Logo a Mim, Modificado) de obra que corria risco de cair em completo esquecimento. Mesmo sambas razoavelmente conhecidos, como Favela e Linguagem do Morro, merecem ser ouvidos por novas gerações. Até porque a direção musical e os arranjos - a cargo de Paulão 7 Cordas - são reverentes ao universo de Padeirinho, sem invencionices. E, como Tantinho sabe o que canta (e ele ter confiado a interpretação do samba O Remerso me Persegue a Mestre Birinha apenas reforça o valor vocal do anfitrião), o resultado é disco essencial para todos que se interessam pela produção do samba carioca. Padeirinho é bamba!!

15 de julho de 2009 11:41  
Anonymous Anônimo said...

Tantinho lançou o excelente Memória em Verde e Rosa, pena que encontra-se fora de catálogo!
Mauro poderia nos dar mais detalhes sobre a distribuição. Será nacional?
E Linguagem no Morro foi gravada duas vezes pela Rainha do Samba Beth Carvalho (Claro! Tinha que ser ela!) nos cd's: Brasileira da Gema (96) e 40 anos no Teatro Municipal (2006). Isso sem contar a ode de amor à Mangueira dada pelo compositor a cantora que chama-se: Salve a Mangueira!, do histórico álbum: Na Fonte, de 1981. Inclusive, o compositor grava a cabeça/chamada do samba no disco. Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

15 de julho de 2009 13:17  
Anonymous Anônimo said...

Como faço pra comprar???

15 de julho de 2009 22:29  
Blogger samba choro videos said...

Escreve para Tantinho pata ter mais informações sobre a aquisição dos CDs.
tantinhodev@gmail.com

Abraço,
Anildo Guedes

12 de novembro de 2009 19:12  
Blogger sonia said...

Nao estou encontrado este CD....onde procurar?
Sonia Marins

27 de janeiro de 2010 22:42  

Postar um comentário

<< Home