14 de julho de 2009

Regravações valorizam segundo disco de Caram

Resenha de CD
Título: Feriado Pessoal
Artista: Bruna Caram
Gravadora: Dabliu Discos
Cotação: * * 1/2

Conseguir dar um toque todo pessoal a uma música muito associada a Cássia Eller (1962 - 2001) não é tarefa das mais fáceis. Bruna Caram realiza a proeza em seu segundo álbum, Feriado Pessoal, ao imprimir certa malícia em Gatas Extraordinárias, o tema de Caetano Veloso lançado por Cássia em 1999 e repaginado por Caram com direito a arranjo de cordas que não abafa a pulsação pop da música. Gatas Extraordinárias é um dos melhores momentos do CD, que cresce nas regravações. Cheio de frescor, o registro de Caram para Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor - a irresistível canção de Lô e Márcio Borges, lançada por Milton Nascimento em 2002 no álbum Pietá - já vale a audição do disco. Ao fim do CD, outra ótima regravação - Cuide-se Bem (1976), música do primeiro LP solo de Guilherme Arantes, agora incrementada com a guitarra havaiana tocada por Christiaan Oyens - aponta cantora promissora, hábil ao revelar intenções e nuances de canções. O problema de Feriado Pessoal é seu repertório novo. Falta uma grande música. Nascer de Novo - balada de Dani Black entoada por Caram na companhia solitária do piano de Marcelo Jeneci - e Caminho pro Interior (parceria de Otávio Toledo e J.C. Costa Netto, valorizada pelo trombone espirituoso de Bocato) até chegam perto, mas não cruzam o pódio. E por falar em Caminho pro Interior, o acordeom de Guilherme Ribeiro faz Em Paz (Rafael, Pedro e Rita Altério) seguir por trilha ruralista em outro ótimo arranjo que sinaliza que a produção (de Alexandre Fontanetti) e a cantora são bem melhores do que o repertório do disco. Em seu primeiro fraco álbum, Essa Menina (2006), Bruna Caram radicalizou ao cantar somente músicas de Otávio Toledo e J.C. Costa Netto. Em Feriado Pessoal, cuja suingada faixa-título indica que a cantora não deve enfatizar sua produção como compositora, já há salutar busca pela diversidade. Tivesse sido mais rigorosa na seleção do repertório, Bruna Caram teria feito um álbum à altura de seu canto leve e envolvente. Contudo, Feriado Pessoal sinaliza evolução e a certeza de que discos melhores virão. Bruna Caram já brilha no país das cantoras.

21 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Mauro vc foi muito generoso com a Bruna Caram dando duas estrelas e meia.As novas canções realmente são sofríveis.E a Bruna precisa amadurecer o canto.Ao vivo,já vi no Tom Jazz,ela grita muito e não tem presença de palco.Mas com o tempo ela pode amadurecer.Mas tem que estudar muito.Esse é o caminho.Ela deveria se preparar como fez Roberta Sá.Saiu do Fama, se preparou, e voltou por cima.Parar muitas vezes é ser inteligente.Caram não pode encarar de frente,ainda,uma diva da nova geração como Roberta Sá.É uma constatação.Já vi as duas em dico e ao vivo.A diferença é muito grande.Chega a ser covardia comparar.

14 de julho de 2009 00:57  
Anonymous Moisés said...

Caram tem um canto um tanto limitado e extramente burocrático aliados a um mau repertório. Melhor fugir.

14 de julho de 2009 04:25  
Blogger Zózimo Trabuco said...

Não concordo muito com os comentários sobre as músicas inéditas. E principalmente quando tomam uma cantora como referência para analisar as outras. Bruna Caram escolheu nomes muito ligados à cena paulista, e principalmente novos autores, e talvez isso não agrade a quem quer ver os mesmos novos autores em todas as novas cantoras ou os mesmos velhos autores em todas as novas cantoras. Ainda não a vi no palco, e com certeza ela tem muita estrada pela frente, mas foje da obviedade marcando diferença no timbre de voz, nos novos compositores que escolhe e na maneira de cantar coisas já gravadas. Como fã sou suspeito pra falar, mais considero o melhor "segundo CD" da nova geração paulista de cantoras.

Mas parabéns ao Mauro Ferreira pela forma de analisar criticamente sem desreipeitar quem está sendo avaliado.

14 de julho de 2009 09:58  
Blogger Zózimo Trabuco said...

Desculpem os erros de português no comentário acima. No lugar de foje é FOGE. E no lugar de desreipeitar é DESRESPEITAR.

14 de julho de 2009 10:45  
Blogger Balaio said...

Achei de bom tamanho a avaliação.

O canto da Bruna é lindo!

O repertório deve melhorar, mas como bem citou o Mauro a regravação de "Quem sabe .." já paga o CD.

Lindo!

14 de julho de 2009 11:54  
Anonymous Tony said...

Mauro, "Quem sabe isso quer dizer amor" é de Lô e Márcio Borges e NÃO está no Lp Os Borges, de 1980, já que foi composta em 2000.

14 de julho de 2009 12:58  
Blogger Washington said...

O Tony tem razão. Logo depois do Milton o próprio Lô gravou em seu disco solo "Um dia e meio", em 2003.

14 de julho de 2009 15:50  
Anonymous Lucio Alves said...

Engraçado... Já eu, achei o repertório incrível, não consigo parar de ouvir.
Se "Nascer de Novo" não é uma grande música, meu Deus!!!, estou ficando louco.

Pra mim, a Bruna ainda será reconhecida como a maior cantora do Brasil, porque dentre todas essas novas, é a única que faz a gente chorar. Procurem saber.

14 de julho de 2009 15:56  
Anonymous Anônimo said...

O primeiro disco da Bruna Caram é de péssimo repertório e arranjos antigos,não tradicionais,mas de gosto duvidoso.Ela vai ser uma boa cantora,é muito nova.

14 de julho de 2009 16:08  
Anonymous Luis Tadeu Santos said...

O que para o Mauro Ferreira é o problema no novo CD de Bruna, para mim é exatamente a sua maior virtude: o repertório novo.
Além da letra maravilhosa de Dani Black, cantada em toda a sua emoção por Bruna e musicada por Jeneci, Nascer de Novo para mim é a melhor das faixas. Sim, Caminho pro Interior é contagiante, nela destacando o irreverente trombone de Bocato. Mas Alquimia, de Caê Rolfsen, é pura poesia. Gargalhadas, de Pedro Altério e Pedro Viáfora é uma ode ao riso, ao bom humor e alto astral. Fim de Tarde, de Juca Novaes e Eduardo Santhana passa o agito no trânsito das grandes metrópolis em contrapartida à esperança de encontrar o amor. E, por fim, a primeira incursão da intérprete como compositora é muito feliz: Feriado Pessoal trata o que normalmente seria uma dor de cotovelo com muito riso, cantarolando, soltando as amarras e caindo na farra. Um início espetacular da compositora.
Na minha opinião, são elas que fazem do segundo CD de Bruna Caram seguramente o melhor do ano, até aqui.

14 de julho de 2009 16:47  
Blogger davi said...

Poxa... O primeiro disco da Bruna, Essa Menina, é muuito gostoso de ouvir, assisti ao show dela na Virada Cultural passada e me arrepiei, acho o segundo disco legal, mas não superior ao primeiro.. confesso q andava ansioso para ler essa resenha, mas foi um balde de água fria, sobretudo sobre a opnião dada sobre o Essa Menina. Resta concordar ou não.. Eu não concordo

14 de julho de 2009 17:47  
Blogger Eliane said...

O melhor disco do ano é um pouco demais Luiz Tadeu.Tem a Ná Ozzetti com o sensacional disco da Carmen.E ainda a Zelia Duncan que fez o melhor disco de sua carreira.
Conheço o disco novo da Caram e concordo com a crítica do Mauro.A nova safra gravada de compositores é muito regular.Nem tudo que os novos fazem é de alta qualidade de letra e melodia.Tudo que é novo a galera sai elogiando de graça,não é assim.Tem que ter critério.A Bruna Caram é uma cantora bem comum.Nada de especial.Falta maturidade na voz.Ao vivo a gente sente que ela não sabe muito bem o que fazer no palco.É issso.

14 de julho de 2009 18:15  
Anonymous Luis TAdeu Santos said...

São opiniões, Eliane, e precisam ser vistas e respeitadas como tal.
Tenho o CD e assisti ao show Balangandãs; adoro Zélia e também já tenho o Pelo Sabor do Gesto. Acho que ambas já fizeram trabalhos bem melhores...
Agora cantora comum e que não sabe o que faz no palco certamente denota falta de conhecimento do trabalho e do crescimento da Bruna, principalmente no último ano e no Feriado Pessoal.
Mas tudo bem, é uma opinião.
;-)

14 de julho de 2009 19:01  
Anonymous Anônimo said...

Se "Nascer de Novo" não é uma grande música, meu Deus!!!, estou ficando louco. (2)
Eu comprei o cd e adorei, está ótimo o album feriado pessoal. Tem futuro.

14 de julho de 2009 19:21  
Anonymous Anônimo said...

O repertório do primeiro disco da Bruna Caram, 'Essa Menina', é muito bom e original. Já estive num show dela na Choperia do Sesc Pompéia, em SP, e ela arrasa ao vivo. Tem muita personalidade, voz linda e emociona.
Já ouvi o novo CD, 'Feriado Pessoal' e as regravações dão um banho nas inéditas dos novos compositores. Agora, temos que admirar a coragem da moça em gravar uma turma totalmente desconhecida. Parabéns, Bruna.

14 de julho de 2009 19:45  
Anonymous Anônimo said...

Eu também ia "consertar" mas o Tony e o Whashington já providenciaram. Quando eu digo que o nível aqui é alto...

14 de julho de 2009 20:38  
Anonymous Helen said...

Puxa, eu discordo sobre seu show!
Logo no primeiro que assisti, percebi que há algo muito bonito em sua apresentação: Caram entra totalmente em sintonia com a música. É lindíssimo.
Acho que você ficaria com saldo positivo se revisse um outro show dela.


Quanto ao repertório, a música que o Mauro diz que "chegou perto do pódio", "Nascer de Novo" é uma das que menos ouço do CD! Acho que o repertório inteiro foi muito bem escolhido, (com a ressalva pessoal). Creio que esse tamanho rigor que você mencionou no último parágrafo tenha existido, sim. De outra forma, não teria me agradado tanto o novo disco! Parecia que algo faltava ao "Essa Menina", e foi o que encontrei em "Feriado Pessoal".
Mas de qualquer forma, conforme já foi dito, é tudo questão de opinião.

15 de julho de 2009 10:24  
Blogger Zózimo Trabuco said...

Não sei avaliar a Bruna no palco porque infelizmente nunca fui ao show dela, mas quem quer avaliá-la no palco tem que considerar sua presença de palco em relação às músicas que ela canta e não em relação à presença de palco de outros artistas.

Pelo que vi dos vídeos da fase "Essa Menina" e da fase "Feriado Pessoal" me pareceu que a Bruna evoluiu muito no palco também.

E tem mais a evoluir, ela tem só 23 anos, tem o mundo pela frente, e só espero que ela "cuide-se bem... pra nunca perder esse riso largo e essa simpatia estampada no rosto"

15 de julho de 2009 11:00  
Anonymous Anônimo said...

A interpretação de "Quem Sabe isso Quer Dizer Amor" está exagerada d+!

Interpretar não quer dizer exagero e sim entrar em sintonia com a letra e a canção!

Péssima!

15 de julho de 2009 17:38  
Blogger codigoacesso said...

ACHO QUE ESSE É UNS DOS MELHORES ALBUNS QUE ESCUTEI ESSE ANO, INCLUINDO ZÉLIA DUNCAN, CEUMAR, MARIANA AYDAR.
LINDO DEMAIS

16 de julho de 2009 20:00  
Anonymous Anônimo said...

A emoção dela?? Alguém viu?
E o disco não tem arranjo não.
Ela é uma cantora com agilidade. Só isso.

5 de setembro de 2009 15:26  

Postar um comentário

<< Home