5 de julho de 2009

Psicodelia e eletrônica elevam rock do Kasabian

Resenha de CD
Título: West Ryder
Pauper Lunatic Asylum
Artista: Kasabian
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * * * 1/2

Terceiro álbum do Kasabian, o ótimo West Ryder Pauper Lunatic Asylum expõe no título o nome de um hospital psiquiátrico da Inglaterra. A capa é inspirada em Their Satanic Majesties Request, o LP psicodélico lançado pelos Rolling Stones em 1967. Tais referências não soam aleatórias. Doses concentradas de psicodelia (sobretudo na inebriante Fast Fuse) e de eletrônica (sobretudo em Swarfiga, tema instrumental de moldura tecno) elevam a cotação do rock do quinteto inglês no mercado do BritPop. Trata-se do melhor álbum da banda pela produção rica em referências ao rock dos anos 60 (e 70) e pelo repertório de excelente nível. Difícil resistir à pegada de Where Did All the Love Go?, faixa com alto teor de consciência social e humanitária. Entre balada de textura acústica (Thick as Thieves) e rock bem poderoso (Underdog), há Take Aim, faixa em que o guitarrista da banda, Sergio Pizzorno, se aventura como vocalista. São tantas músicas boas que a escolha de Fire como primeiro single do álbum pareceu desprovida de razão diante da força de outras faixas, embora a música tenha seus encantos. Quando vem a última das 12 faixas, Happiness, a sensação é justamente de felicidade pelo prazer de escutar um álbum que avança em relação aos antecessores Kasabian (2004) e Empire (2006). West Ryder Pauper Lunatic Asylum celebra a primeira década de vida do Kasabian com vigor insuspeito e já tem presença garantida na lista de melhores discos de 2009. Até os loucos vão concordar.

3 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Terceiro álbum do Kasabian, o ótimo West Ryder Pauper Lunatic Asylum expõe no título o nome de um hospital psiquiátrico da Inglaterra. A capa é inspirada em Their Satanic Majesties Request, o LP psicodélico lançado pelos Rolling Stones em 1967. Tais referências não soam aleatórias. Doses concentradas de eletrônica (sobretudo na inebriante Fast Fuse) e de eletrônica (sobretudo em Swarfiga, tema instrumental de moldura tecno) elevam a cotação do rock do quinteto inglês no mercado do BritPop. Trata-se do melhor álbum da banda pela produção rica em referências ao rock dos anos 60 (e 70) e pelo repertório de excelente nível. Difícil resistir à pegada de Where Did All the Love Go?, faixa com alto teor de consciência social e humanitária. Entre balada de textura acústica (Thick as Thieves) e rock bem poderoso (Underdog), há Take Aim, faixa em que o guitarrista da banda, Sergio Pizzorno, se aventura como vocalista. São tantas músicas boas que a escolha de Fire como primeiro single do álbum pareceu desprovida de razão diante da força de outras faixas, embora a música tenha seus encantos. Quando vem a última das 12 faixas, Happiness, a sensação é justamente de felicidade pelo prazer de escutar um álbum que avança em relação aos antecessores Kasabian (2004) e Empire (2006). West Ryder Pauper Lunatic Asylum celebra a primeira década de vida do Kasabian com vigor insuspeito e já tem presença garantida na lista de melhores discos de 2009. Até os loucos vão concordar.

5 de julho de 2009 09:27  
Blogger Flávio Voight said...

"Doses concentradas de eletrônica (sobretudo na inebriante Fast Fuse) e de eletrônica (sobretudo em Swarfiga, tema instrumental de moldura tecno)"

Eletrônica e eletrônica, Mauro? Vou conferir o disco...

5 de julho de 2009 13:10  
Blogger Mauro Ferreira said...

Flávio, muito obrigado pela observação. Claro que no lugar de uma eletrônica é psicodelia. abs, MauroF

5 de julho de 2009 17:28  

Postar um comentário

<< Home