28 de julho de 2009

Ney ganha Prêmio Shell pela obra camaleônica

Já com base nas alterações do regulamento do Prêmio Shell, que desde 2008 permite também homenagens a intérpretes (e não somente a compositores), Ney Matogrosso foi escolhido pelo júri como o vencedor da edição 2009 do prêmio. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira, 28 de julho. A cerimônia de entrega do prêmio vai ser no Rio de Janeiro, com um show do cantor, em data ainda não divulgada. O júri do Prêmio Shell de Música 2009 é formado por três críticos musicais (Antonio Carlos Miguel, Tárik de Souza e Marcus Preto), por dois produtores (Bruno Levinson e Liminha), a cantora Roberta Sá e pelo saxofonista Leo Gandelman.

11 Comments:

Anonymous Olavo said...

acho louvável premiar cantores, só não dá é para virar regra e esquecerem de quem compõe e não sobe ao palco

28 de julho de 2009 11:37  
Anonymous Anônimo said...

Parabéns, Ney!!!

Um verdadeiro camaleão no bom gosto da música brasileira!

28 de julho de 2009 13:47  
Anonymous Anônimo said...

Justica foi feita!

Se as alterações no regulamento permitiram premiar a maior cantora brasileira, honra-se agora o maior cantor do Brasil.

Salve Ney Matogrosso e toda sua musicalidade, escolha do repertório, criatividade e ousadia.

28 de julho de 2009 15:56  
Anonymous Luc said...

Não estou certo de que a metáfora do camaleão represente Ney Matogrosso. O camaleão mimetiza o meio ambiente para se esconder. Ney sintetiza o objeto musical de sua atenção e o projeta com força e clareza. Está mais para raio laser.

Esse prêmio é justo. Ney Matogrosso fez a grande viagem da música brasileira. Foi de Noel Rosa a Edu Lobo e ainda se esbaldou no pop rock. Acompanhado do que há de melhor na nossa música. Tudo de primeira, entre músicos, arranjadores, cenógrafos e figurinistas.

E para não perder o hábito: SUELI COSTA EM 2010 !

28 de julho de 2009 19:07  
Anonymous Anônimo said...

Merecidíssimo. Ney é um grande intérprete de seu tempo. E o tempo de Ney é sempre hoje.

Para manter o nível e a coerência, a próxima deve ser Elba Ramalho. Dona absoluta de sua trajetória, tem uma assinatura toda própria, absolutamente personalizada.

Bethânia, Ney e Elba: triunvirato de coerência, carisma e profissionalismo na MPB. Os maiores intérpretes brasileiros. As mais expressivas personalidades cênicas do país.

28 de julho de 2009 19:42  
Anonymous Anônimo said...

Incluo João Bosco na lista. Vai de samba a bolero, passando por música "política"; samba-canção; música dor-de-cotovelo... com aquela voz e interpretação únicas.
E AINDA TOCA "O" VIOLÃO E É UM DOS MAIORES COMPOSITORES DO BRASIL - SEM NUNCA TER ESCORREGADO EM NADA ESQUISITO PARA APARECER OU POR ACHAR QUE SERIA "INTERESSANTE".

28 de julho de 2009 20:12  
Anonymous Rafael said...

Poucas vezes eu vi uma premiação tão merecida qto a deste Prêmio Shell pro Ney. Ney Matogrosso não é só o melhor intérprete brasileiro, mas tbem o mais criativo, o mais original e o mais dedicado artista dos nossos palcos. O capricho que Ney dispensa aos seus trabalhos, vai desde a emotividade e o cuidado c/ que trata suas canções às capas de seus cds, geralmente lindas. Trata-se de um gde e completo artista, que dá a possibilidade de muitos outros artistas brilharem, dos músicos aos artistas gráficos, do figurino à cenografia. Viva o sempre maravilhoso
Ney!

29 de julho de 2009 02:56  
Anonymous Ana Lívia said...

Melhor escolha, impossível! O grande Ney é merecedor de todos os prêmios e homenagens. Não costumo acreditar muito em prêmios, acho a maioria das premiações tão injustas, que acabo desacreditando nelas. Mas dessa vez, o juri acertou, tanto na escolha como na justificativa, que assinala "a atemporalidade de Ney" e "a capacidade de transitar em diversos estilos musicais c/ o mesmo brilho". Perfeito. Ney é ousado, e vai, sem qualquer restrição, do samba ao pop, passando inclusive pelo canto lírico, c/ a mesma desenvoltura e criatividade. Nenhum intérprete da Mpb consegue ser tão eclético, buscar um repertório tão variado e ao mesmo tempo ter um estilo tão próprio e característico.
Esse prêmio, sem dúvida, fecha c/ chave de ouro a deslumbrante fase de Ney, c/ "Inclassificáveis" e a surpreendente caixa "Camaleão", e marca o início de um novo e aguardado trabalho, "Beijo Bandido", que, ao que tudo indica, deve estar lindo.

29 de julho de 2009 04:54  
Anonymous Euterpe said...

Se forem insistir na premiação a intépretes, é Gal Costa ou Nana Caymmi.

29 de julho de 2009 20:16  
Anonymous siron said...

Olhem, eu acho que os jurados quiseram tirar o atraso, aproveitando-se da mudança de regras do prêmio (na minha opinião, muito louvável), premiaram os dois melhores e mais importantes intépretes brasileiros, Bethânia e Ney. Merecidíssimo, afinal, eles sempre deram voz aos gdes compositores, do passado e do presente. Mas, feito isso, creio que nas próximas edições esse tão cobiçado prêmio voltará às mãos dos compositores.
E são muitos os que mereceriam ganhar, difícil cogitar nomes.
E aproveitando, junto-me ao coro: Viva Ney Matogrosso!

30 de julho de 2009 01:17  
Anonymous dudu said...

É merecedor pela sua obra genial e genuína.

31 de julho de 2009 17:42  

Postar um comentário

<< Home