2 de julho de 2009

Milton e Zabé estão entre vencedores de Prêmio


Nem Milton Nascimento (que faturou dois troféus na Categoria MPB por conta do disco Novas Bossas, gravados com o Jobim Trio) e tampouco Zeca Pagodinho (que foi premiado duas vezes na Categoria Samba e ainda viu seu sucesso Uma Prova de Amor ser laureado com o prêmio de Melhor Canção). A artista mais aplaudida - de pé! - pelo público de convidados da cerimônia de entrega do 22º Prêmio da Música Brasileira foi Isabel Marques da Silva, a Zabé da Loca, que, do alto de seus 85 anos, recebeu o justo troféu de Revelação por conta do lançamento em 2008 de seu segundo álbum, Bom Todo, a rigor o disco que deu real projeção a essa compositora e tocadora de pífano que ficou confinada durante 25 anos com seus filhos numa gruta do interior da Paraíba depois que sua casa ruiu. Zabé e Milton (vistos em fotos de Mauro Ferreira) subiram felizes ao palco do Canecão na noite de 1º de julho de 2009 para receber seus prêmios. Eis a lista de vencedores de noite que premiou Lenine (destaque na Categoria Pop Rock pelo CD Labiata), fez justiça ao último grande disco de Chico César (Francisco, Forró y Frevo) e corrigiu falha da edição anterior ao indicar (e premiar) Paula Toller por seu trabalho solo:
CATEGORIA MPB
Melhor disco: Novas Bossas, de Milton Nascimento e Jobim Trio
Melhor grupo: Pedro Luis e a Parede
Melhor cantor: Milton Nascimento
Melhor cantora: Áurea Martins
CATEGORIA CANÇÃO POPULAR:
Melhor disco: Confete e Serpentina, de Maria Alcina
Melhor dupla: Zezé Di Camargo & Luciano
Melhor grupo: Doces Cariocas
Melhor cantor: Zé Renato
Melhor cantora: Maria Alcina
CATEGORIA REGIONAL
Melhor disco: Francisco Forró y Frevo, de Chico César
Mehor dupla: Chitãozinho & Xororó
Melhor grupo: Fim de Feira
Melhor cantor: Chico César
Melhor cantora: Renata Rosa
CATEGORIA INSTRUMENTAL:
Melhor disco: Passo de Anjo ao Vivo, de Spok Frevo Orquestra
Melhor solista: Hamilton de Holanda
Melhor grupo: Spok Frevo Orquestra
CATEGORIA POP/ROCK
Melhor disco: Labiata, de Lenine
Melhor grupo: Bangalafumenga
Melhor cantor: Lenine
Melhor cantora: Paula Toller
CATEGORIA SAMBA:
Melhor disco: Uma Prova de Amor, de Zeca Pagodinho
Melhor grupo: Grupo Fundo de Quintal
Melhor cantor: Zeca Pagodinho
Melhor cantora: Leci Brandão
ARRANJADOR: Jaques Morelenbaum
MELHOR CANÇÃO: Uma Prova de Amor (de Nelson Rufino
e de Toninho Geraes)
PROJETO VISUAL: Adams Carvalho por Francisco, Forró y Frevo
REVELAÇÃO: Zabé da Loca
DVD: Pros que Estão em Casa, de Toni Platão
DISCO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA: My Baby Just Cares for me
- Delicatessen
DISCO ERUDITO: Heitor Villa-Lobos Choros n° 2,3,10,12 - Osesp
DISCO INFANTIL: Carnaval Palavra Cantada - Sandra Peres
e Paulo Tatit
PROJETO ESPECIAL: Omara Portuondo e Maria Bethânia
DISCO ELETRÔNICO: 1 Real, de DJ Dolores

20 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Nem Milton Nascimento (que faturou dois troféus na Categoria MPB por conta do disco Novas Bossas, gravados com o Jobim Trio) e tampouco Zeca Pagodinho (que foi premiado duas vezes na Categoria Samba e ainda viu seu sucesso Uma Prova de Amor ser laureado com o prêmio de Melhor Canção). A artista mais aplaudida - de pé! - pelo público de convidados da cerimônia de entrega do 22º Prêmio da Música Brasileira foi Isabel Marques da Silva, a Zabé da Loca, que, do alto de seus 85 anos, recebeu o justo troféu de Revelação por conta do lançamento em 2008 de seu segundo álbum, Bom Todo, a rigor o disco que deu real projeção a essa compositora e tocadora de pífano que ficou confinada durante 25 anos com seus filhos numa gruta do interior da Paraíba depois que sua casa ruiu. Zabé e Milton (vistos em fotos de Mauro Ferreira) subiram felizes ao palco do Canecão na noite de 1º de julho de 2009 para receber seus prêmios. Eis a lista de vencedores de noite que premiou Lenine (destaque na Categoria Pop Rock pelo CD Labiata), fez justiça ao último grande disco de Chico César (Francisco, Forró y Frevo) e corrigiu falha da edição anterior ao indicar (e premiar) Paula Toller por seu trabalho solo:
CATEGORIA MPB
Melhor disco: Novas Bossas, de Milton Nascimento e Jobim Trio
Melhor grupo: Pedro Luis e a Parede
Melhor cantor: Milton Nascimento
Melhor cantora: Áurea Martins
CATEGORIA CANÇÃO POPULAR:
Melhor disco: Confete e Serpentina, de Maria Alcina
Melhor dupla: Zezé Di Camargo & Luciano
Melhor grupo: Doces Cariocas
Melhor cantor: Zé Renato
Melhor cantora: Maria Alcina
CATEGORIA REGIONAL
Melhor disco: Francisco Forró y Frevo, de Chico César
Mehor dupla: Chitãozinho & Xororó
Melhor grupo: Fim de Feira
Melhor cantor: Chico César
Melhor cantora: Renata Rosa
CATEGORIA INSTRUMENTAL:
Melhor disco: Passo de Anjo ao Vivo, de Spok Frevo Orquestra
Melhor solista: Hamilton de Holanda
Melhor grupo: Spok Frevo Orquestra
CATEGORIA POP/ROCK
Melhor disco: Labiata, de Lenine
Melhor grupo: Bangalafumenga
Melhor cantor: Lenine
Melhor cantora: Paula Toller
CATEGORIA SAMBA:
Melhor disco: Uma Prova de Amor, de Zeca Pagodinho
Melhor grupo: Grupo Fundo de Quintal
Melhor cantor: Zeca Pagodinho
Melhor cantora: Leci Brandão
ARRANJADOR: Jaques Morelenbaum
MELHOR CANÇÃO: Uma Prova de Amor (de Nelson Rufino e de Toninho Geraes)
PROJETO VISUAL: Adams Carvalho por Francisco, Forró y Frevo
REVELAÇÃO: Zabé da Loca
DVD: Pros que Estão em Casa, de Toni Platão
DISCO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA: My Baby Just Cares for me - Delicatessen
DISCO ERUDITO: Heitor Villa-Lobos Choros n° 2,3,10,12 - Osesp
DISCO INFANTIL: Carnaval Palavra Cantada - Sandra Peres e Paulo Tatit
PROJETO ESPECIAL: Omara Portuondo e Maria Bethânia
DISCO ELETRÔNICO: 1 Real, de DJ Dolores

2 de julho de 2009 12:11  
Anonymous Vagner - Lapa said...

Gostei bastante destes ganhadores. É claro que uma prova de amor não merecia ganhar. Mas só da Áurea Martins ter conseguido o prêmio, já estou feliz, sinal que a saída da TIM só fez bem ao prêmio.

2 de julho de 2009 12:35  
Anonymous Anônimo said...

Categoria Samba: quase perfeita!
Parabéns, Leci Brandão! Não ganhou na base da marmelada! Fez um belo disco de samba.
Esse é o segundo Prêmio de Música do Sr. Sharp (ex-Tim) que se premia COM JUSTIÇA uma cantora de Samba(a outra foi Marisa Monte).
Zeca Pagodinho não fez nenhum discaço como outros de sua discografia, mas não comprometeu. Zeca, Arlindo e Paulinho são hoje os maiores representantes masculinos do gênero. E Diogo desponta na trilha dos mestres.
Para ficar 100% perfeita eu premiaria o Versátil, do GRANDE Nelson Sargento, como melhor disco.
E grupo de Samba, qualquer um dos três eu ficaria contente até porque os três concorrentes são amadrinhados pela MAIOR cantora de Samba desse país. Mas se tivesse que escolher, daria esse prêmio aos Partideiros do Cacique que gravaram inéditas de qualidade e dois excelentes sambas do grande imperiano e caciqueano, Beto Sem Braço. Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

2 de julho de 2009 13:56  
Anonymous Anônimo said...

Nunca ouvi falar dessa senhora, me desculpem, mas parecem um tanto hipoócritas essas palmas sentimentais!

2 de julho de 2009 17:36  
Anonymous Anônimo said...

Que comentário deselegante... Emoção é no máximo "piegas". Hipocrisia não tem nada a haver - como o comentário.

2 de julho de 2009 21:25  
Anonymous Anônimo said...

Não confunda hipocrisia com respeito. Apesar de não conhecida foi uma homenagem - ainda que tardia - a uma senhora que não teve as chances que outras - merecidas ou não - tiveram.
Meu abraço ao Zé Maurício e meu "que bobagem" para você, anônimo. Ser Rei da Verdade também é hipocrisia. SEMPRE!

2 de julho de 2009 21:54  
Anonymous Anônimo said...

O que você faria, anônimo ? Vaiaria ? Xingaria ? Faria greve ? Taparia os ouvidos ? Ou apenas se retiraria para não ser "hipócrita" ?

2 de julho de 2009 21:56  
Anonymous Anônimo said...

Pois ouviu falar dessa senhora agora.Graças ao trabalho do José Maurício,graças ao Prêmio de Música que ele dirige muito bem obrigado.Respeito é bom e nunca é tarde.Vc é muito cruel com suas palavras anônimo.Seja generoso.

2 de julho de 2009 22:37  
Anonymous Anônimo said...

Não estou desmerendo o trabalho dessa senhora e não pedi pra ninguém xingar. Eu apenas bateria palma sentado e o faria normalmente como faria para qq artista. Esse exagero é que não me convence, nem por respeito.

3 de julho de 2009 00:09  
Anonymous Anônimo said...

Ao anônimo que não conhece a arte de Áurea Martins, esta é uma oportunidade de conhecê-la. A cantora é sempre citada com admiração pela grande Alaíde Costa. Tem uma trajetória longa e digna. Engrosso o coro dos contentes pela merecida premiação de Áurea Martins. Meus aplausos são sentimentais e mais que sentimentais pois sempre a ouço com grande admiração (e emoção).

3 de julho de 2009 11:59  
Anonymous Anônimo said...

Adorei a premiação de Maria Alcina.Única na MPB.Ela é a liberdade!Deus te abençoe Maria Alcina.Seu disco é maravilhoso.Vc é uma GRANDE cantora.Vc colocou vida nova em Roendo as Unhas do Paulinho da Viola.

3 de julho de 2009 15:50  
Anonymous Anônimo said...

Eu conheço Áurea Martins anônimo das 11.59...Nós estamos falando ness epost da senhora da foto acima. Áurea é ótima.

3 de julho de 2009 15:51  
Anonymous Anônimo said...

Maria Alcina sou aquela moça de cabelo encaracolado do Canecão.Se vc ler sabe quem é.Adorei seu disco.Vc foi premiada por merecimento.Que forma interessante de cantar nesse novo trabalho.Mais parabéns.
Cidinha do Rio

3 de julho de 2009 17:08  
Anonymous Anônimo said...

Que o bom que a humanidade ainda consegue se "emocionar" e ser "piegas". Nem tudo está perdido. Quem dera hipocrisia fosse isso aí. O mundo estaria muito melhor.

3 de julho de 2009 20:18  
Anonymous Anônimo said...

Zabé da Lorca é exemplo de vida!
Esperança para quem quer alguma coisa e não conseguiu.Assim a gente acredita na vida.Assim a gente acredita que vale a pena lutar,mesmo na terceira e quarta idade.Que maldade dessa pessoa que comentou o fato com ironia.´Como o mundo tem gente do mal.Deus nos proteja e parabéns ao Prêmio da Música Brasileira por premiar Zabé.

3 de julho de 2009 22:37  
Anonymous Anônimo said...

Faço minhas as palavras bem colocadas do anônimo das 22:37.

4 de julho de 2009 19:05  
Anonymous Anônimo said...

Sou músico paraibano de João Pessoa/PB e Zabé da Loca é um ícone aqui na nossa cidade e nosso estado, ela é uma mulher que no alto dos seus 85 anos consegue fazer uma música cheia de frescor e suingue, morando numa caverna junto com os filhos! O cd "Bom Todo" é lindíssimo e vocês precisam ir ao show dessa mulher, é uma celebração maravilhosa, pra dançar, sorrir e ficar de bem com a vida, é pra aplaudir de pé mesmo! E quem não ouviu falar abra os ouvidos!

5 de julho de 2009 03:46  
Anonymous Anônimo said...

Mais do que isso, anônimo, abram o coração, revejam (pré)conceitos e párem de só dar atenção ao que a mídia propraga, aos artistas que adoram provocar polêmica, enfim, aprendam a garimpar música. O que cai do céu é chuva e bala perdida.

5 de julho de 2009 13:20  
Anonymous Anônimo said...

Eu não me canso de admirar esse sorriso de Bituca. Tem gente que nasce iluminado. Esse não tem de fazer o menor esforço para agradar almas e corações.
SUCESSO SEMPRE PARA O CARIOCA MAIS MINEIRO NO BRASIL.

8 de julho de 2009 20:23  
Blogger ADEMAR AMANCIO said...

Já que eles querem ser tão simpáticos premiando quase toda a humanidade.Deviam criar tais categorias:melhor cantor de sarjeta-melhor cantor de coreto de igreja-melhor cantor de fundo de quintal-melhor música pra ninar criança hiperativa-melhor música pra ninar gente grande-melhor música pra embalar tiroteio e por aí vai...

24 de setembro de 2012 14:56  

Postar um comentário

<< Home