13 de julho de 2009

LeRoi inspira disco pop de Dave Matthews Band

Resenha de CD
Título: Big Whiskey and
The Groogrux King
Artista: Dave Matthews
Band
Gravadora: Sony Music
Cotação: * * * *

Ao sair de cena em 2008, o saxofonista LeRoi Moore - integrante da Dave Matthews Band - acabou inspirando o grupo neste álbum de estúdio que está sendo lançado no mercado brasileiro após ter sido bem recebido nos EUA. A inspiração é explícita no desenho da capa (feito pelo próprio Dave Matthews), no título do disco - que alude ao apelido de LeRoi (Groogrux) - e no solo de saxofone que abre o CD (Grux). Tal inspiração também está implícita no vigor que pontua o álbum, um dos melhores da discografia do grupo, diluída nos últimos tempos por conta de redundantes registros ao vivo. Produzido por Rob Cavallo, Big Whiskey and The Groogrux King é um CD melódico e pop, de ambiência acústica. Opção que salta aos ouvidos em faixas como Dive in (irresistível), Shake me Like a Honey, Funny the Way It Is (o single que bombou nos EUA), Lying in the Hands of Good e Why I Am. Mesmo os temas ocasionalmente mais pesados - caso de Seven - não tiram o álbum de seu harmonioso trilho pop. Ouça!

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Ao sair de cena em 2008, o saxofonista LeRoi Moore - integrante da Dave Matthews Band - acabou inspirando o grupo neste álbum de estúdio que está sendo lançado no mercado brasileiro após ter sido bem recebido nos EUA. A inspiração é explícita no desenho da capa (feito pelo próprio Dave Matthews), no título do disco - que alude ao apelido de LeRoi (Groogrux) - e no solo de saxofone que abre o CD (Grux). Tal inspiração também está implícita no vigor que pontua o álbum, um dos melhores da discografia do grupo, diluída nos últimos tempos por conta de redundantes registros ao vivo. Produzido por Rob Cavallo, Big Whiskey and The Groogrux King é um CD melódico e pop, de ambiência acústica. Opção que salta aos ouvidos em faixas como Dive in (irresistível), Shake me Like a Honey, Funny the Way It Is (o single que bombou nos EUA), Lying in the Hands of Good e Why I Am. Mesmo os temas ocasionalmente mais pesados - caso de Seven - não tiram o álbum de seu harmonioso trilho pop. Ouça!

13 de julho de 2009 23:52  
Anonymous Anônimo said...

Sou um fã do trabalho desta banda. Apesar dos ao vivo e os primeiros trabalhos ainda nos anos 90 serem mais interessantes este disco eh o melhor dos ultimos trabalhos da banda.

Recomendo. Mas pra quem quer conhecer a Dave Matthews Band, recomendo primeiro um DVD ao vivo. Nao tem nada melhor!

14 de julho de 2009 08:54  

Postar um comentário

<< Home