2 de julho de 2009

Arlindo e Altay fecham noite especial de prêmio

Prêmio da Música Brasileira - 22ª edição
Rio de Janeiro (RJ) - Coube a Altay Veloso, a Arlindo Cruz e a ritmistas da bateria da Portela (em foto de Felipe Panfili) fechar - com apresentação do samba Mineira (João Nogueira) - o tributo a Clara Nunes (1942 - 1983) que pontuou a festa-show da 22ª edição do Prêmio da Música Brasileira, realizada na noite de 1º de julho de 2009, no Canecão. Foi, de fato, uma "noite especial", como enfatizou o idealizador do prêmio, José Maurício Machline, em discurso que o levou a ser aplaudido de pé pelos convidados que ocuparam as mesas da mais tradicional casas de shows do Rio de Janeiro. Foi noite especial porque a retirada do patrocínio por empresa de telefonia fez com que o prêmio fosse realizado pela garra e o esforço coletivo de todos os envolvidos na produção. Sem perda da qualidade - evidenciada, somente para citar um exemplo, na beleza dos cenários criados para cada apresentação dos artistas convidados a cantar na cerimônia. A homenagem a Clara ajudou a dar o brilho da noite. Dez números musicais - quase todos muito bons, como detalhado nos posts abaixo - garantiram a elegância da especialíssima noite, que premiou o empenho de Machline e, sobretudo, a (intensa) produção de música brasileira.

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Prêmio da Música Brasileira - 22ª edição
Rio de Janeiro (RJ) - Coube a Altay Veloso, a Arlindo Cruz e a ritmistas da bateria da escola de samba Portela fechar - com empolgante apresentação do samba Mineira (João Nogueira) - o tributo a Clara Nunes (1942 - 1983) que pontuou a festa-show da 22ª edição do Prêmio da Música Brasileira, realizada na noite de 1º de julho de 2009, no Canecão. Foi, de fato, uma "noite especial", como enfatizou o idealizador do prêmio, José Maurício Machline, em discurso que o levou a ser aplaudido de pé pelos convidados que ocuparam as mesas da mais tradicional casas de shows do Rio de Janeiro. Foi noite especial porque a retirada do patrocínio por empresa de telefonia fez com que o prêmio fosse realizado pela garra e o esforço coletivo de todos os envolvidos na produção. Sem perda da qualidade - evidenciada, somente para citar um exemplo, na beleza dos cenários criados para cada apresentação dos artistas convidados a cantar na cerimônia. A homenagem a Clara ajudou a dar o brilho da noite. Dez números musicais - quase todos muito bons, como detalhado nos posts abaixo - garantiram a elegância da especialíssima noite, que premiou o empenho de Machline e, sobretudo, a (intensa) produção de música brasileira.

2 de julho de 2009 11:35  

Postar um comentário

<< Home