4 de junho de 2009

'Pode Entrar' dá upgrade na discografia de Ivete

Resenha de CD e DVD
Título: Pode Entrar
- Multishow Registro
Artista: Ivete Sangalo
Gravadora: Caco
Discos / Universal
Music
Cotação: * * *

Por mais que o repertório seja bem irregular, Pode Entrar acerta porque faz Ivete Sangalo respirar outros ares musicais. CD e DVD dão ligeiro upgrade em discografia que vinha descendo ladeira abaixo em nome do marketing e das pressões do mercado fonográfico. A estrela baiana não mexe totalmente no time que está ganhando, mas apresenta produto bem-cuidado. Somente o dueto com Maria Bethânia, feito em suaves tons graves, já vale o projeto. Até porque a música - Muito Obrigado Axé, ijexá de Carlinhos Brown - é das melhores do gênero afro-pop-brasileiro. O belo arranjo, que combina cordas com a levada típica dos afoxés, valoriza o tema que reafirma o talento raro - ainda não reconhecido em toda sua extensão - de Brown. O tribalista também entra na casa de Ivete para cantar (muito bem, diga-se) uma balada - Quanto ao Tempo, parceria com Michael Sullivan - que tenta evocar o espírito soul dos sucessos românticos da gravadora Motown, mas que, a rigor, se parece mais com as canções empilhadas por Sullivan nas paradas nos anos 80. Com o grupo Aviões do Forró, a cantora dá rasante pelo universo mais ralo da música nordestina na faixa Sintonia e Desejo. O voo tem fôlego tão curto quanto o reggae Vale Mais, entoado com Saulo Fernandes. Já Marcelo Camelo contribui com canção, Teus Olhos, de textura delicada e guitarras havaianas, em sintonia com a obra solo do hermano. Por sua vez, Lulu Santos, munido de sua guitarra, entra no ritmo do samba-reggae ao reviver Brumário. Fechando o time de convidados, a irmã de Ivete, Monica San Galo, não diz a que veio em Completo, com o atenuante de que a música é tão inexpressiva quanto sua voz. Contudo, justiça seja feita, há também acertos no repertório. Balakbak figura entre os melhores temas da vertente micareteira da obra de Ivete. Assim como a balada Agora Eu Já Sei tem lá seus encantos dentro da esfera popular. Como compositora de músicas como Eu Tô Vendo, Ivete continua sendo uma boa cantora que, neste projeto, está cantando particularmente bem, em tons mais moderados, este repertório oscilante que flerta até com o rock (Viver com Amor) e com o zouk africano (Oba Oba). Por fim, vale dizer que os encontros musicais foram valorizados pela diretora e roteirista do DVD, Joana Mazzuchelli. As imagens captadas antes e depois da gravação propriamente dita ajudam a dar o clima de intimidade caseira pretendido pela anfitriã. Enfim, comparado com trabalhos anteriores da artista, Pode Entrar tem charme e sinaliza que, se quiser, Ivete Sangalo pode subir de novo a ladeira.

16 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Por mais que o repertório seja bem irregular, Pode Entrar acerta porque faz Ivete Sangalo respirar outros ares musicais. CD e DVD dão ligeiro upgrade em discografia que vinha descendo ladeira abaixo em nome do marketing e das pressões do mercado fonográfico. A estrela baiana não mexe totalmente no time que está ganhando, mas apresenta produto bem-cuidado. Somente o dueto com Maria Bethânia, feito em suaves tons graves, já vale o projeto. Até porque a música - Muito Obrigado Axé, ijexá de Carlinhos Brown - é das melhores do gênero afro-pop-brasileiro. O belo arranjo, que combina cordas com a levada típica dos afoxés, valoriza o tema que reafirma o talento raro - ainda não reconhecido em toda sua extensão - de Brown. O tribalista também entra na casa de Ivete para cantar (muito bem, diga-se) uma balada - Quanto ao Tempo, parceria com Michael Sullivan - que tenta evocar o espírito soul dos sucessos românticos da gravadora Motown, mas que, a rigor, se parece mais com as canções empilhadas por Sullivan nas paradas nos anos 80. Com o grupo Aviões do Forró, a cantora dá rasante pelo universo mais ralo da música nordestina na faixa Sintonia e Desejo. O voo tem fôlego tão curto quanto o reggae Vale Mais, entoado com Saulo Fernandes. Já Marcelo Camelo contribui com canção, Teus Olhos, de textura delicada e guitarras havaianas, em sintonia com a obra solo do hermano. Por sua vez, Lulu Santos, munido de sua guitarra, entra no ritmo do samba-reggae ao reviver Brumário. Fechando o time de convidados, a irmã de Ivete, Monica San Galo, não diz a que veio em Completo, com o atenuante de que a música é tão inexpressiva quanto sua voz. Contudo, justiça seja feita, há também acertos no repertório. Balakbak figura entre os melhores temas da vertente micareteira da obra de Ivete. Assim como a balada Agora Eu Já Sei tem lá seus encantos dentro da esfera popular. Como compositora de músicas como Eu Tô Vendo, Ivete continua sendo uma boa cantora que, neste projeto, está cantando particularmente bem, em tons mais moderados, este repertório oscilante que flerta até com o rock (Viver com Amor) e com o zouk africano (Oba Oba). Por fim, vale dizer que os encontros musicais foram valorizados pela diretora e roteirista do DVD, Joana Mazzuchelli. As imagens captadas antes e depois da gravação propriamente dita ajudam a dar o clima de intimidade caseira pretendido pela anfitriã. Enfim, comparado com trabalhos anteriores da artista, Pode Entrar tem charme e sinaliza que, se quiser, Ivete Sangalo pode subir de novo a ladeira.

4 de junho de 2009 15:09  
Anonymous Anônimo said...

Merecia 3 estrelas ou mais Mauro... isso ta soando como perseguição einh... Se foi um upgrade segundo você e se existem muitas coisas de qualidade no trabalho, por que não dar uma cotação boa?

4 de junho de 2009 15:28  
Anonymous mauricio said...

ão sou fã incondicional da Ivete mas acho uma boa cantora.esse negócio de subir ladeira-descer ladeira do post,dá a impressão q vc fala em decadência.

4 de junho de 2009 15:57  
Anonymous Anônimo said...

Eu hein! Dá upgrade e cota em 2 estrelas e meia?

4 de junho de 2009 16:29  
Anonymous Anônimo said...

E com certeza sera mais um sucesso, a musica eu to vendo e msm ruinzinha, eu tenho a letra, diz assim:


Eu tô vendo
Você tá balançando
Eu tô sentindo
Tá todo mundo gostando

Mas tem que ser aqui
Eu balanço daqui
Você suinga de lá

O teu corpo gostoso
Nesse movimento
A banda do bem
Já não quer mais parar

Agora escute o cantor
Faça o que ele mandar
Se ele disser bata palma
bata palma, bata palma.

4 de junho de 2009 19:21  
Anonymous Anônimo said...

Eu acho que vc foi generoso d+....

Na verdade as 2 estrelas são da Bethânia ...

Esse CD vale meia *

4 de junho de 2009 19:51  
Anonymous Márcia said...

Vou comprar esse CD/DVD só por causa da Maria Bethânia!

4 de junho de 2009 21:29  
Anonymous Caio said...

Bethânia é baiana, por isso aceitou participar desse DVD! Os baianos são assim, eles nunca falam mal um do outro e estão sempre trabalhando juntos! è bairrismo!

4 de junho de 2009 22:02  
Anonymous Anônimo said...

Nossa... Que tanto destaque para este DVD!!!!

Nâo entendi!!!

4 de junho de 2009 22:38  
Blogger Vinny said...

Pelo que Ivete vinha fazendo, ganhar 2 estrelas e meia é uma honra. Aquele CD PODRE 'As Super Novas' não merecia nem meio. Ô CD ruim!

Fico feliz em ver que ela melhorou. Tava perdendo as esperanças com ela.

5 de junho de 2009 01:17  
Anonymous Fernanda said...

Upgrade na discografia de Ivete? Significaria tampão urgente nos ouvidos de gente de bom gosto?
Oh, céus! Dá-lhe mais poluição auditiva...

5 de junho de 2009 04:30  
Anonymous Fábio Vasconcelos said...

Eu sou baiano. E de Salvador (graças a Deus!). Ser baiano é bom demais. E o motivo de postar aqui é para lamentar a declaração de Caio. Nós não fazemos bairrismo não, Caio. Nós sofremos bairrismo. Sofremos preconceito. Como todos os cidadãos de estados nordestinos. Em qualquer âmbito. O sistema de cotas nas universidades públicas vem para suprir um erro e dívida histórica que temos com a população negra, independente de ser a estratégia mais coerente. Mas ela é cabível pelo tamanho da injustiça. É a mesma coisa (mas em outros tempos mais democráticos) na música brasileira. Mas a força dos que têm supremacia (povo do sul e sudeste do Brasil), se dilui diante do talento de artistas nordestinos, que em outros tempos precisavam dos "palcos" cariocas e paulistas, e hoje não mais. Essa união de baianos que você supõe existir, se de fato houver, é justa. Repara injustiças que sofremos onde somos mais fracos. No poder da arte, que vem do talento, e não se aprende nas péssimas escolas que contemplam o nordeste do país, a Bahia mostra a sua cara e incomoda. Viva Gal, Bethânia, Caetano, Gil, João Gilberto, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Cláudia Leitte, Carlinhos Brown e outros e outros, que unidos ou não representam um canto do Brasil que ainda tem muita energia para gastar. Acredite!

5 de junho de 2009 08:55  
Anonymous Anônimo said...

Fábio, o seu comentário até é relevante, mas não dá para ser protecionista só por causa das injustiças.
Ivete só faz é procurar consonância nas platéias fora da Bahia e ganhar projeção e dinheiro. Um disco dela não dá pra escutar até o fim e show é uma festa de hits levanta a poeira com som eletrônico até a veia. A música da Bahia é mais que isso e tem gente usando o afã de ser baiano para fazer qualquer coisa por aí.

5 de junho de 2009 11:25  
Blogger Paula said...

Esquema morde e assopra... Assume logo que não gosta dela!! Este CD ta maravilhoso, vai ser um divisor de águas com certeza, mas não é pelas vendas não, é pela maturidade musical que Ivete mostrou neste trabalho, tanto como cantora, quanto compositora... a letra de Eu tô vendo, não é pra passar menasgem politicamente correta e simplesmente pra dançar e curtir mesmo, como a composição maravilhosa de Brown em Dalila, musicas para dançar e curtir o carnaval, e não pra ficar analisando letra!!

Enfim Mauro, a sua critica só me fez ter mais vontade de comprar o DVD!!

7 de junho de 2009 14:37  
Anonymous Letis said...

Oh dvd chato viu!
mto monótono! -tsc
não gostei muito, mas continuo admirando o trabalho de veveta!

7 de junho de 2009 20:09  
Anonymous Anônimo said...

CARLINHOS BROWN SE SENTE O PAVAROTTI NESSE DVD!
BOLA FORA!!!

8 de junho de 2009 16:24  

Postar um comentário

<< Home