7 de junho de 2009

Delicadeza pauta o disco mais autoral de Luiza

Resenha de CD
Título: Bons Ventos Sempre Chegam
Artista: Luiza Possi
Gravadora: LGK Music / Som Livre
Cotação: * * *

Nas lojas esta semana, Bons Ventos Sempre Chegam é o quinto CD de Luiza Possi, o quarto de estúdio e o primeiro de repertório mais autoral, contabilizando seis temas da novata compositora (cinco feitos em parceria com Dudu Falcão) em 13 faixas. Por mais que flerte com o pop sem identidade que impera nas rádios em faixas como De Graça, o álbum não se rende a ele. Trata-se de um disco pautado pela delicadeza, mérito do produtor Max Viana, hábil no tratamento da (ainda) irregular obra autoral da artista. Basta confrontar o registro de estúdio de Eu Espero - uma das parcerias de Luiza com Dudu - com as versões ao vivo dos shows para atestar o progresso da obra autoral da filha de Zizi.
Em essência, Bons Ventos Sempre Chegam sopra músicas melodiosas como Paisagem (faixa na qual a cantora se aventura como pianista) e Minha Mãe, destaque do repertório. O álbum foi urdidos com registros suaves e vocais harmoniosos, qualidades bem perceptíveis em Pipoca Contemporânea e na bela faixa de abertura, Vou Adiante, versão de Chico César para Plus Vivant, tema de Lokua Kanza, cantor e compositor africano que une sua voz à de Luiza na faixa. Entre inéditas de Lula Queiroga e de Moska (Agora É Tarde, com o típico dna melódico do autor), Luiza Possi reafirma a beleza de seu fraseado em Cantar, música de Godofredo Guedes (pai de Beto) que se ajusta com perfeição ao tom delicado do disco. Pena que tanto a música de Queiroga (Pode Dar) quanto a parceria de Samuel Rosa com Chico Amaral (Ao meu Redor) não estejam à altura de seus autores. No entanto, pela produção bem azeitada, o CD confirma a evolução contínua da cantora que agora também se revela compositora. Ventos já sopram a favor de Luiza.

14 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Resenha de CD
Título: Bons Ventos Sempre Chegam
Artista: Luiza Possi
Gravadora: LGK Music / Som Livre
Cotação: * * *


Nas lojas esta semana, Bons Ventos Sempre Chegam é o quinto CD de Luiza Possi, o quarto de estúdio e o primeiro de repertório mais autoral, contabilizando seis temas da novata compositora (cinco feitos em parceria com Dudu Falcão) em 13 faixas. Por mais que flerte com o pop sem identidade que impera nas rádios em faixas como De Graça, o álbum não se rende a ele. Trata-se de um disco pautado pela delicadeza, mérito do produtor Max Viana, hábil no tratamento da (ainda) irregular obra autoral da artista. Basta confrontar o registro de estúdio de Eu Espero - uma das parcerias de Luiza com Dudu - com as versões ao vivo dos shows para atestar o progresso da obra autoral da filha de Zizi.
Em essência, Bons Ventos Sempre Chegam sopra músicas melodiosas como Paisagem (faixa na qual a cantora se aventura como pianista) e Minha Mãe, destaque do repertório. O álbum foi urdidos com registros suaves e vocais harmoniosos, qualidades bem perceptíveis em Pipoca Contemporânea e na bela faixa de abertura, Vou Adiante, versão de Chico César para Plus Vivant, tema de Lokua Kanza, cantor e compositor africano que une sua voz à de Luiza na faixa. Entre inéditas de Lula Queiroga e de Moska (Agora É Tarde, com o típico dna melódico do autor), Luiza Possi reafirma a beleza de seu fraseado em Cantar, música de Godofredo Guedes (pai de Beto) que se ajusta com perfeição ao tom delicado do disco. No todo, o CD confirma a evolução contínua da cantora que agora também se revela compositora. Ventos sopram a favor.

7 de junho de 2009 13:19  
Anonymous Anônimo said...

Em,ahuel. Andrade disse..

mas via o reprtoiro fica só nisso. Luiza tem progrediso bem legal, mas precisa conhecer o turbilhão de compositores que temos. E uma dica: saia do pop. Que tal ela mergulhar no estilo dos três primeiros discos da mãe?

7 de junho de 2009 14:31  
Blogger kk.almeida said...

mauro,
cade a gravação tão propagada por voce de Luiza para "seu amor", que estaria nesse novo cd?

7 de junho de 2009 23:52  
Anonymous Anônimo said...

Já estava gostando muito da Luiza e depois de ver a sua apresentação no projeto Viradão Carioca no Leme em que dividiu com Marina Lima o palco sobre rodas, fiquei apaixonado por ela. O repertório é meio salada mista, mas acho que a definição vem com o tempo. Pelo menos ela não atira a esmo.

8 de junho de 2009 10:29  
Anonymous Anônimo said...

Não consigo ouvir o canto "chorado" da Luiza. Seria bom também ela parar de mexer as mãos como a mãe. O gestual é igual!!

8 de junho de 2009 11:47  
Anonymous Anônimo said...

não consigo ouvir nada demais no canto dela, sinto muito.

8 de junho de 2009 11:59  
Anonymous Anônimo said...

Eu ainda acho que Luiza vai demorar pra superar o "Escuta" que, pra mim, foi o melhor disco que ela fez. Esse soou bem mais pop do que ue gostaria, a banda nova não me passa tanta interação quanto a antiga e achei o CD bem abaixo do esperando, mesmo achando que Luiza tem evoluido e muito nos últimos anos, mas esse CD, nem gostei tanto...

8 de junho de 2009 12:44  
Anonymous Anônimo said...

Acho esta garota um biscuí. Foférrima, elegante, sofre nítida influência de mami mas sem imitá-la, passa uma integridade rara em tempos atuais.
Torço por ela embora conhecendo pouco seu trabalho. Ainda não comprei nenhum CD de sua lavra. Mas sempre que a vejo, me debruço para auscultar sua alma cristalina e bela.

8 de junho de 2009 15:53  
Anonymous Amelia Vellas Souto said...

15. 53, quem puxa aos seus não degenera. Vc deve conhecer a elegância cênica de Zizi Possi.
Esta menina realmente é das antigas no quesito sofisticação e postura. A léguas da vulgaridade, chega a soar anacrônica de estilo, educação e postura.
Uma menina de bom berço, dir-se-ia. Deve falar línguas e servir-se como uma verdadeira dama.
Leda Nagle teve um programa de domingo a noite (anos atrás) na TVE do Rio. Ali, Maria Bethânia, convidade de Zizi - a estrela da noite - já teceu elevadas considerações sobre o comportamento desta princesa, quase uma criança à época. Bethânia dizia: - quando a filha de Zizi chega, é um acontecimento...
E ainda atribuía à existência da criança, a guinada que Zizi dera em sua carreira (meio recente àquela altura)
Além de tudo canta como gente grande. E é belíssima. Misto de simplicidade (de alfazema) e sofisticação (YSL) esta pequena deusa tem muito a ensinar a sua geração.
Sou toda aplausos para ela.

8 de junho de 2009 20:01  
Anonymous Anônimo said...

Amelia, arrasou!!! Das antigas é vc, cherie. Escreve bonito e parece ter muita classe.
Luíza e Robertinha Sá são as duas grandes vertentes da MPB recente. E ambas tem esta leveza e sobriedade a qual vc (e mais alguem aí) se referiu.
Aguardo com ansiedade este lançamento (o último CD de Luiza tocou aqui em casa à exaustão)

9 de junho de 2009 08:44  
Anonymous Anônimo said...

É mais já esta passando da hora de Zizi dar linha na Luíza e retomar sua carreira logo.Luíza esta provando que sobrevive sozinha muito bem.

9 de junho de 2009 10:28  
Anonymous Anônimo said...

Sucessos para Luiza. Esta menina tem mesmo classe como atestaram alguns por aqui.

9 de junho de 2009 14:45  
Blogger deco said...

Mauro, estou ouvindo esse cd.
Está fantástico, me surpreendeu.
Pop, mas bem brasileiro e belíssimo.
Esse eh o 1o. de Luiza que eu gosto.
Mas... a pergunta q nao quer calar.
VC começa o texto com "Nas lojas esta semana".

Q lojas, cara palida?

Kkkkkk rsrsrsrs

Realmente a musica de Lula Queiroga é a bola fora do cd.

As melhores sao Cantar, Minha mãe e Pipoca contemporanea. Maravilha!!!

12 de junho de 2009 18:47  
Anonymous Anônimo said...

Pouco vento sopra a favor de Luiza...

13 de junho de 2009 22:24  

Postar um comentário

<< Home