8 de maio de 2009

Senise irmana os repertórios de Dolores e Sueli

Resenha de CD
Título: Lua Cheia - Mauro
Senise Toca Dolores
Duran e Sueli Costa
Artista: Sueli Costa
Gravadora: Biscoito Fino
Cotação: * * * 1/2

Mauro Senise fala a língua do jazz. Contudo, Lua Cheia não é exatamente um disco de jazz, embora o flautista e saxofonista usufrua da liberdade concedida aos jazzistas para dar um toque especial às melodias. No caso, às músicas de Dolores Duran (1930 - 1959) e Sueli Costa, compositoras de épocas distintas cujas obras se irmanam pela delicadeza e pela sensibilidade. Escorado nos arranjos do pianista Gilson Peranzzetta, que assina a boa direção musical do CD ao lado de Senise, o músico realça as afinidades entre Dolores e Sueli. Com a presença de ambas. Sueli fornece ao repertório a inédita Sonho - tema que, aliás, ostenta o refinamento melódico típico da autora - e toca piano na faixa. Dolores é ouvida na jazzística gravação de How High the Moon, feita em clima informal no fim dos anos 50 e somente lançada em disco neste ano de 2009. Trata-se de fonograma tomado emprestado do álbum Dolores Duran Entre Amigos, recém-lançado pela mesma Biscoito Fino que põe Lua Cheia no mercado fonográfico. Senise tomou a liberdade de acrescentar seu sax alto ao registro, caseiro.

Não espere ouvir as músicas de Dolores e Sueli em sua forma mais tradicional. A essência delas até está preservada. Contudo, Senise, Peranzzetta, Itamar Assiere (piano), Paulo Russo (baixo) e Ivan Conti, o Mamão (bateria), põem às músicas (baladas, em sua maioria) do seu jeito. Até mesmo a voz de Olivia Hime em Por Causa de Você - uma das parcerias de Dolores com Tom Jobim (1927 - 1994) - funciona como a cereja do bolo instrumental. De Dolores, Senise toca Fim de Caso, Olha o Tempo Passando (parceria com Edison Borges) e Ideias Erradas (com J. Ribamar), entre outras. De Sueli, entraram Alma (com Abel Silva), Vinte Anos Blues (com Vítor Martins), Jura Secreta (outra com Abel), Medo de Amar nº 2 (com Tite de Lemos) e Dentro de mim Mora um Anjo (com Cacaso) - esta última com o detalhe curioso de que sua gravação original (feita pela autora em 1975 para seu primeiro LP) contou com a flauta do então iniciante Senise. Lua Cheia abre e fecha com as cordas da Orquestra dos Sonhos nas faixas Cão sem Dono (Sueli Costa e Paulo César Pinheiro) e A Noite do meu Bem (Dolores Duran). Neste que é o clássico dos clássicos do repertório de Dolores, as cordas criam de fato um clima de sonho. É o ponto mais alto de um disco que reapresenta as músicas de Dolores Duran e Sueli Costa sem as letras às quais elas - as melodias - já parecem indissociáveis. E Lua Cheia embaralha de tal forma essas obras-irmãs que, no CD, elas (até) parecem uma só.

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Mauro Senise fala a língua do jazz. Contudo, Lua Cheia não é exatamente um disco de jazz, embora o flautista e saxofonista usufrua da liberdade concedida aos jazzistas para dar um toque especial às melodias. No caso, às músicas de Dolores Duran (1930 - 1959) e Sueli Costa, compositoras de épocas distintas cujas obras se irmanam pela delicadeza e pela sensibilidade. Escorado nos arranjos do pianista Gilson Peranzzetta, que assina a boa direção musical do CD ao lado de Senise, o músico realça as afinidades entre Dolores e Sueli. Com a presença de ambas. Sueli fornece ao repertório a inédita Sonho - tema que, aliás, ostenta o refinamento melódico típico da autora - e toca piano na faixa. Dolores é ouvida na jazzística gravação de How High the Moon, feita em clima informal no fim dos anos 50 e somente lançada em disco neste ano de 2009. Trata-se de fonograma tomado emprestado do álbum Dolores Duran Entre Amigos, recém-lançado pela mesma Biscoito Fino que põe Lua Cheia no mercado fonográfico. Senise tomou a liberdade de acrescentar seu sax alto ao registro, caseiro.

Não espere ouvir as músicas de Dolores e Sueli em sua forma mais tradicional. A essência delas até está preservada. Contudo, Senise, Peranzzetta, Itamar Assiere (piano), Paulo Russo (baixo) e Ivan Conti, o Mamão (bateria), põem às músicas (baladas, em sua maioria) do seu jeito. Até mesmo a voz de Olivia Hime em Por Causa de Você - uma das parcerias de Dolores com Tom Jobim (1927 - 1994) - funciona como a cereja do bolo instrumental. De Dolores, Senise toca Fim de Caso, Olha o Tempo Passando (parceria com Edison Borges) e Ideias Erradas (com J. Ribamar), entre outras. De Sueli, entraram Alma (com Abel Silva), Vinte Anos Blues (com Vítor Martins), Jura Secreta (outra com Abel), Medo de Amar nº 2 (com Tite de Lemos) e Dentro de mim Mora um Anjo (com Cacaso) - esta última com o detalhe curioso de que sua gravação original (feita pela autora em 1975 para seu primeiro LP) contou com a flauta do então iniciante Senise. Lua Cheia abre e fecha com as cordas da Orquestra dos Sonhos nas faixas Cão sem Dono (Sueli Costa e Paulo César Pinheiro) e A Noite do meu Bem (Dolores Duran). Neste que é o clássico dos clássicos do repertório de Dolores, as cordas criam de fato um clima de sonho. É o ponto mais alto de um disco que reapresenta as músicas de Dolores Duran e Sueli Costa sem as letras às quais elas - as melodias - já parecem indissociáveis. E Lua Cheia embaralha de tal forma essas obras-irmãs que, no CD, elas (até) parecem uma só.

8 de maio de 2009 21:09  

Postar um comentário

<< Home