5 de maio de 2009

Enfim, a caixa 3, '83/94', da coleção de Caetano

Com um atraso de - quase - dois anos em relação ao cronograma inicial da coleção Quarenta Anos Caetanos, a gravadora Universal Music põe nas lojas neste mês de maio de 2009 a terceira das quatro caixas da série. 83/94 reedita dez álbuns de Caetano Veloso, englobando os títulos Uns (de 1983), Velô (1984), Totalmente Demais (1986), Caetano Veloso (1986), Caetano (1987), Estrangeiro (1989), Circuladô (1991), Circuladô Vivo (1992), Tropicália 2 (1993 - dividido com Gilberto Gil) e Fina Estampa (1994). Como nas duas caixas anteriores, há em 83/94 um CD, intitulado Certeza da Beleza, com fonogramas avulsos da discografia do artista. Eis as 20 faixas mais ou menos raras da inédita coletânea:
1. Milagres do Povo
2. Falou Amizade
3. Banda Nova - com Vinicius Cantuária
4. Festa Imodesta - com Chico Buarque
5. Peço a Deus - com Mestre Marçal
6. Cidade Maravilhosa
7. Isto Aqui o que É
8. Certeza da Beleza
9. Coração Imprevisto - com Eugénia Mello e Castro
10. Asa Delta - com Marito e Banda Cooperativa
11. É tão Bom - com Luiz Caldas
12. Velhicidade - com Carlos Mendes
13. Luz e Mistério - com Beto Guedes
14. Preciso Aprender a Ser Só
15. Meu Bolero - com Péricles Cavalcanti
16. As Várias Pontas de uma Estrela - com Milton Nascimento
17. Acalanto
18. Pra Valer
19. Merda
20. Noites Olindenses

17 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Com um atraso de - quase - dois anos em relação ao cronograma inicial da coleção Quarenta Anos Caetanos, a gravadora Universal Music põe nas lojas neste mês de maio de 2009 a terceira das quatro caixas da série. 83/94 reedita dez álbuns de Caetano Veloso, englobando os títulos Uns (1983), Velô (1984), Totalmente Demais (1986), Caetano Veloso (1986), Caetano (1987), Estrangeiro (1989), Circuladô (1991), Circuladô Vivo (1992), Tropicália 2 (1993 - dividido com Gilberto Gil) e Fina Estampa (1994). Como nas duas caixas anteriores, há em 83/94 um CD, intitulado Certeza da Beleza, com fonogramas avulsos da discografia do artista. Eis as 20 faixas mais ou menos raras da inédita coletânea:
1. Milagres do Povo
2. Falou Amizade
3. Banda Nova - com Vinicius Cantuária
4. Festa Imodesta - com Chico Buarque
5. Peço a Deus - com Mestre Marçal
6. Cidade Maravilhosa
7. Isto Aqui o que É
8. Certeza da Beleza
9. Coração Imprevisto - com Eugénia Mello e Castro
10. Asa Delta - com Marito e Banda Cooperativa
11. É tão Bom - com Luiz Caldas
12. Velhicidade - com Carlos Mendes
13. Luz e Mistério - com Beto Guedes
14. Preciso Aprender a Ser Só
15. Meu Bolero - com Péricles Cavalcanti
16. As Várias Pontas de uma Estrela - com Milton Nascimento
17. Acalanto
18. Pra Valer
19. Merda
20. Noites Olindenses

5 de maio de 2009 16:21  
Anonymous Anônimo said...

"Falou Amizade" é uma das músicas mais bonitas da carreira do Caetano. Pouquíssimo conhecida, foi tema do filme 'Dedé Mamata', de 1988 e é mesmo uma raridade. Acho que é a primeira vez que sai em cd. Naquele ano, Simone a gravou, mas em registro que é melhor esquecer.

5 de maio de 2009 17:44  
Anonymous Anônimo said...

"Isto aqui o que é" e "Cidade maravilhosa" foram temas das novelas 'Vale tudo' (1988) e 'O dono do mundo'(1991), respectivamente, e só saíram nas trilhas. 'Isto aqui...' tem acordes inesquecíveis, basta ouvi-los e lembrar das agruras da Raquel Acioli de Regina Duarte.

5 de maio de 2009 17:47  
Anonymous Anônimo said...

Só me interesso pelas "raridades". O resto da caixa tenho todos. Sacanagem a venda não ser separada.

5 de maio de 2009 18:25  
Anonymous Anônimo said...

oi anonimo..

a faixa certeza da beleza é da onde??

eu preciso aprender a ser só é da novalea transas e caretas e só saiu lá nao é?

5 de maio de 2009 18:56  
Anonymous mauricio said...

mesmo q já tenhamos as ediçoes antigas,vale a pena por causa do encarte,textos,contra-capa originais e remasterização.

5 de maio de 2009 19:01  
Anonymous Anônimo said...

Valer a pena sempre vale. O Problema é o din-din. Sacanagem (2).

5 de maio de 2009 21:42  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade

Discordo do primeiro anônimo.
Falou Amizade com Simone é a única que salva aquele disco dela, na verdade. Um disco maramente açucarado demais, a com,eçar por Separação. Mas ali, Falou Amizade tem um arranjo diferente e foge do romantismo chato do disco. As duas interpretações são únicas, diferentes e legais. Ah, a de Caetano tem um tecladão meio churrascaria, que todo mundo usava na época.

5 de maio de 2009 22:45  
Anonymous Danilo said...

Nunca ouvi 'Luz e Mistério' com Caetano. Acho essa música de arrepiar, com a Zizi.Com ele não deve ficar muito atrás.

6 de maio de 2009 01:00  
Anonymous Anônimo said...

Também discordo do anônimo das 17:44(05/05). A versão de Simone para "Falou Amizade" é muito bacana.

6 de maio de 2009 08:43  
Blogger Fernando Dasilva said...

" Também discordo do anônimo das 17:44(05/05). A versão de Simone para "Falou Amizade" é muito bacana."

Ao contrario, a gravacao do Caetano so acrescentou um fato a mais - estar sendo cantada pelo autor da letra - ademais a versao de Simone eh belissima!

"...o sonho ja tinha acabado quando eu vim, e cinzas de sonhos desabam sobre mim..."

6 de maio de 2009 11:10  
Anonymous Anônimo said...

Também fico com Simone e "Luz e Mistério" é do CD "Ao Vivo" de Beto Guedes em que Caetano participa. ESTÁ EM CATÁLOGO.

6 de maio de 2009 19:23  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse..

MERDA é aquela música que não acrescenta nada, meio revolucionária, crítica social, que ele cantou no encerramento do primeiro especial Chico e Caetano
(1986) na Globo, ao lado de Luiz Caldas, Bethânia e Rita Lee.. Mas a emissora não deixou ir ao ar. Ai saiu no LP, só o áudio. A grande pérola aí, de arrepiar, coisa absoluta que não sei porque não se faz mais, é As várias pontas de uma estrela que tá lá disco Ânima do Miltão. É canção de se ouvir sem parar. Luz e Mistério com Beto é de arrebentar também no Cd ao vivo do mineiro onde Caetano ainda emplaca Amor de Índio. Noite OPlidenses ouço muito no carnaval de Pernambuco, e que tá lá no Asas da América. Meu Bolero é chatinha. E de onde vem essa Acalando?

6 de maio de 2009 20:26  
Anonymous Denilson said...

Oi, Emanuel

Discordo de você. Acho "Merda" uma música lindíssima. Veja só alguns pedaços da letra:

"Nem a loucura do amor, da maconha, do pó, do tabaco e do álcool, vale a loucura do ator quando abre-se em flor sob as luzes do palco."... "Já se disse não foi uma vez, nem três, nem quatro, não existe gente como a gente de teatro." ... "Gente que soube inverter para sempre o sentido da palavra merda!"

E por aí vai. É uma declaração de amor lindíssima ao ato de atuar, seja como ator, seja como cantor. Não tem nada de crítica social ou revolucionária.

Pena que foi tão mal gravada ao vivo e que não houve nenhuma gravação em estúdio.

Pelo menos é a minha opinião.

abração,
Denilson

7 de maio de 2009 09:17  
Anonymous Anônimo said...

acalanto é de um disco ra-ti-bum da gravadora eldorado... se eu não me engano....

e certeza da beleza??? é de onde??

7 de maio de 2009 12:20  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse,

Oi Denilson, de fato e desta vez passei batido, pensei noutra música da era Chico e caetano. Merda não tem nada a ver com essa história. E no mais é um áudio horrível naquele disco. Agora melhor seria que a Tv Globo lançasse os programas na íntegra, em vez de tanta porcaria que ficam jogando no mercado.

Valeu.

7 de maio de 2009 22:54  
Blogger Junior Silva said...

Faltou a música "Cantar" (Godofredo Guedes) gravada por Sylvia Patrícia e Caetano Veloso no disco da cantora - Curvas e Retas - lançado em 1992. Esta música entrou na trilha da novela Pantanal, da TV Manchete. Uma interpretação linda que não merecia ficar de fora!

6 de junho de 2014 01:03  

Postar um comentário

<< Home