6 de maio de 2009

Ana Costa foca novos alvos sem sair de sua roda

Resenha de CD
Título: Novos Alvos
Artista: Ana Costa
Gravadora: Zambo Discos
Cotação: * * * *

"Quem viver verá meus sonhos / Mudando todos os planos / E voltando pro mesmo lugar", sintetiza Ana Costa em versos de Novos Alvos, balada pop que dá título ao seu sedutor segundo CD. Sem sair da roda do samba, gênero que pontua todo o repertório, a cantora foca outros ritmos e levadas em disco produzido por Alê Siqueira. Por provável intermédio de Alê, veio a irresistível faixa que abre o álbum, Samba Cria Lei, da lavra de Carlinhos Brown, que volta a dirigir seu olhar para o Rio de Janeiro em letra que remete a um outro samba de autoria do bom baiano, Vide Gal, lançado em 1996 por Daniela Mercury. Aliás, Brown introduz o eletrizante samba com sua percussão bucal. Em cadência mais carioca e tradicional, Coisas Simples une a voz de Ana Costa ao canto de seu padrinho Martinho da Vila. Já Batendo Perna (Ana Costa e Jorge Agrião) - destaque do repertório coeso - transita entre a batida do maxixe e a levada do samba de gafieira por conta do arranjo de sopros de Dirceu Leite. Há na faixa uma vivacidade que se dilui na Crônica de uma Cidade Armada (Celso Fonseca), triste sambossa de batida seca, intencionalmente fúnebre por retratar a morte do Rio de Janeiro mais romantizado e pacífico de tempos idos. Em sintonia com seu título, Antiga - inédita de Ana Costa com Zélia Duncan, cantada por Ana em dueto com Leila Pinheiro - evoca sonoridades de outros tempos enquanto Almas Gêmeas, samba torto de Luiz Tatit, é defendido pela harmoniosa união vocal de Ana com Moska. A propósito: há todo um cuidado nos arranjos, perceptível na ficha técnica das faixas, que faz Novos Alvos superar Meu Carnaval (2006), primeiro CD solo da cantora, revelada no grupo Roda de Saia. O bandolim de Nilze Carvalho, por exemplo, adorna Estranho (Mario Lago Filho e Délcio Carvalho) enquanto o violão de Carlinhos 7 Cordas pontua E Vai que Dá (Marceu Vieira e Tuninho Galante). Fechando o CD, Quer Amar Mamãe - samba de Martinho da Vila que desencava raízes profundas do gênero - dialoga com a levada efervescente do Samba Cria Lei que abre o disco. É como se Ana, em 11 faixas, saísse de sua roda sem deixar, contudo, de gravitar em torno dela.

12 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

"Quem viver verá meus sonhos / Mudando todos os planos / E voltando pro mesmo lugar", sintetiza Ana Costa em versos de Novos Alvos, balada pop que dá título ao seu sedutor segundo CD. Sem sair da roda do samba, ritmo que pontua todo o repertório, a cantora foca outros ritmos e levadas em disco produzido por Alê Siqueira. Por provável intermédio de Alê, veio a irresistível faixa que abre o álbum, Samba Cria Lei, da lavra de Carlinhos Brown, que volta a dirigir seu olhar para o Rio de Janeiro em letra que remete a um outro samba de autoria do bom baiano, Vide Gal, lançado em 1996 por Daniela Mercury. Aliás, Brown introduz o eletrizante samba com sua percussão bucal. Em cadência mais carioca e tradicional, Coisas Simples une a voz de Ana Costa ao canto de seu padrinho Martinho da Vila. Já Batendo Perna (Ana Costa e Jorge Agrião) - destaque do repertório coeso - transita entre a batida do maxixe e a levada do samba de gafieira por conta do arranjo de sopros de Dirceu Leite. Há na faixa uma vivacidade que se dilui na Crônica de uma Cidade Armada (Celso Fonseca), triste sambossa de batida seca, intencionalmente fúnebre por retratar a morte do Rio de Janeiro mais romantizado e pacífico de tempos idos. Em sintonia com seu título, Antiga - inédita de Ana Costa com Zélia Duncan, cantada por Ana em dueto com Leila Pinheiro - evoca sonoridades de outros tempos enquanto Almas Gêmeas, samba torto de Luiz Tatit, é defendido pela harmoniosa união vocal de Ana com Moska. A propósito: há todo um cuidado nos arranjos, perceptível na ficha técnica das faixas, que faz Novos Alvos superar Meu Carnaval (2006), primeiro CD solo da cantora, revelada no grupo Roda de Saia. O bandolim de Nilze Carvalho, por exemplo, adorna Estranho (Mario Lago Filho e Délcio Carvalho) enquanto o violão de Carlinhos 7 Cordas pontua E Vai que Dá (Marceu Vieira e Tuninho Galante). Fechando o CD, Quer Amar Mamãe - samba de Martinho da Vila que desencava raízes profundas do gênero - dialoga com a levada efervescente do Samba Cria Lei que abre o disco. É como se Ana, em 11 faixas, saísse de sua roda sem deixar, contudo, de gravitar em torno dela.

6 de maio de 2009 14:25  
Anonymous Anônimo said...

Adoro a Ana Costa ela só deveria se libertar do carioca da gema e realente alçar novos vôos.

6 de maio de 2009 15:09  
Anonymous Anônimo said...

Gravitar com o pé no samba pode,né Mauro?Definitivamente esse bairrismo carioquês com o samba esta excessivo.

6 de maio de 2009 15:46  
Anonymous lia souto said...

EU ME RENDO!!!DESISTO!!!

Não darei conta JAMAIS de ficar a par das (novas???) cantoras deste país. Quando penso que sou antenadérrima por conhecer Marcia Castro me aparece esta outra que pelos acompanhantes do CD nem nasceu ontem...

6 de maio de 2009 16:42  
Anonymous Anônimo said...

E bota cantora nisso Lia...

Meu Carnaval já era excelente CD e esse Novos Alvos supera em tudo. Arranjos, seleção de repertório, convidados e a voz da Ana tmb, mas leve e solta.

Cd bacaníssimo!!!

P.S: Mauro, o grupo dela era O Roda e não Roda de Saia!

6 de maio de 2009 23:00  
Anonymous Anônimo said...

O Roda e Roda de Saia é a mesma coisa. Antes de se chamar O Roda chamava-se Roda de Saia!

7 de maio de 2009 08:22  
Anonymous Anônimo said...

Essa é das melhores- cantora de timbre perfeito pro SAMBA e o que ela mais quiser, compositora inspirada que fez um lindo primeiro CD - Meu Carnaval, e agora parece que vem com algo melhor ainda. Salve Ana, Salve o SAMBA, salve a LAPA de todos os BONS de lá: de Teresa Cristina ao Casuarina, de Anjos da Lua a Alfredo Delpenho( esse tem que lançar logo um CD), de Nilze Carvalho a Ana Luisa,de Moisés Marques a Elisa Ador, de Maklei Matos a Luisa Dionísio, do Galocantô, do Sururu na Roda e tantos outros BONS...

7 de maio de 2009 10:30  
Blogger Rodrigo Santiago said...

Sobre o Carioca da Gema, não acho qeu seja exatamente uma "perda de tempo".

Concordo que a Ana seja uma estrela. Das ascendentes. Esse disco não vai ser ignorado pelo público. Se ela não tratar de guardá-lo na gaveta, vai sair pelo mundo pra cantá-lo, com certeza. Desligamento do Carioca ou não, vai ser um processo natural da coisa toda.

7 de maio de 2009 10:59  
Anonymous ari said...

Se mantiver o nível do primeiro, está de bom tamanho.

9 de maio de 2009 17:07  
Anonymous Anônimo said...

Ótimo trabalho!
Muito esperta é Ana Costa.

11 de maio de 2009 15:00  
Anonymous Anônimo said...

onde compro o novo cd de ana costa?
não encontrei em nenhum site!

obrigada

2 de junho de 2009 17:35  
Blogger Luiza said...

Ana Costa é uma excelente cantora de samba. As participações neste cd dela estão geniais.

Pra quem perguntou onde comprar esse álbum: No site da biscoito fino (www.biscoitofino.com.br)!

12 de março de 2010 11:11  

Postar um comentário

<< Home