8 de abril de 2009

Kurt Cobain deu sopro de vida ao imortal rock

O rock é imortal, mas, volta e meia, ele precisa de um sopro de vida para recuperar o fôlego e reabastecer a energia de milhões de adolescentes que o descobrem simultaneamente nos quatro cantos do mundo. Assim como o Sex Pistols na década de 70, para citar somente um exemplo, Kurt Cobain (1967 - 1994) foi um dos caras que, na virada dos anos 80 para os 90, deu esse sopro num rock que já parecia moribundo e definitivamente enquadrado nos sistemas. É por isso que tanto se fala de Cobain nesta quarta-feira, 8 de abril de 2009. Há 15 anos, o corpo de Cobain era encontrado em sua casa, em Seattle (EUA), dilacerado por um tiro de espingarda disparado pelo próprio artista. Que saiu cedo da vida para entrar na história, alimentando toda uma mitologia em torno de sua figura. Como acontece com os ídolos que, voluntaria ou involuntariamente, partem cedo. Destaque maior da cena grunge que emergiu mundialmente a partir de Cobain, o grupo Nirvana deixou ao menos uma obra-prima, Nevermind, álbum de 1991 que tem cacife para figurar em qualquer lista de dez mais do rock de todos os tempos. Difícil imaginar como estaria o Nirvana hoje se Cobain não tivesse saído de cena. Talvez o grupo tivesse implodido. Talvez estivesse entronizado de forma burocrática na própria fama, afundado no vômito dos que se embriagam com as glórias e com a fama. Mas o grupo morreu com Cobain. E este virou mito. Mas, justiça seja feita, o rapaz merece o culto feito em torno de sua atormentada figura. Que certamente não descansa em paz, pois ninguém haverá de esquecer seu legado e seu talento.

8 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

O rock é imortal, mas, volta e meia, ele precisa de um sopro de vida para recuperar o fôlego e reabastecer a energia de milhões de adolescentes que o descobrem simultaneamente nos quatro cantos do mundo. Assim como o Sex Pistols na década de 70, para citar somente um exemplo, Kurt Cobain (1967 - 1994) foi um dos caras que, na virada dos anos 80 para os 90, deu esse sopro num rock que já parecia moribundo e definitivamente enquadrado nos sistemas. É por isso que tanto se fala de Cobain nesta quarta-feira, 8 de abril de 2009. Há 15 anos, o corpo de Cobain era encontrado em sua casa, em Seattle (EUA), dilacerado por um tiro de espingarda disparado pelo próprio artista. Que saiu cedo da vida para entrar na história, alimentando toda uma mitologia em torno de sua figura. Como acontece com os ídolos que, voluntaria ou involuntariamente, partem cedo. Destaque maior da cena grunge que emergiu mundialmente a partir de Cobain, o grupo Nirvana deixou ao menos uma obra-prima, Nevermind, álbum de 1991 que tem cacife para figurar em qualquer lista de dez mais do rock de todos os tempos. Difícil imaginar como estaria o Nirvana hoje se Cobain não tivesse saído de cena. Talvez o grupo tivesse implodido. Talvez estivesse entronizado de forma burocrática na própria fama, afundado no vômito dos que se embriagam com as glórias e com a fama. Mas o grupo morreu com Cobain. E este virou mito. Mas, justiça seja feita, o rapaz merece o culto feito em torno de sua atormentada figura. Que certamente não descansa em paz, pois ninguém haverá de esquecer seu legado e seu talento.

8 de abril de 2009 15:40  
Anonymous Anônimo said...

Uau!!

Kurt Cobain deu sopro de vida ao imortal rock e você Mauro, deu ânimo ao meu fim de tarde com essa foto lindíssima dele. Simplesmente hipnótica !

8 de abril de 2009 17:43  
Anonymous Danilo said...

Não conheço banda mais honesta e visceral que o Nirvana,que surgiu justamente numa época em que bandas poser como Poison/Skid Row/Motley Crue e outros lixos eram chamados de Rock.

Acho que o legado do Nirvana foi justamente resgatar essa honestidade, além das canções perfeits, é claro.

8 de abril de 2009 17:51  
Anonymous Anônimo said...

Pra mocinha(o) das 5:43, a nova Rolling Stone Brazuca tá com o cara na capa em uma foto mais bacana do que essa.
Vc vai ficar bem animadinha(o).

Concordo com o Danilo em gênero, número e grau.

Pra o melhor cd deles é o In Utero e o acústico.

Grande Cobain!

Jose Henrique

9 de abril de 2009 01:19  
Anonymous 5:43 said...

Ao atencioso Jose Henrique,

Vi a tal foto na tal revista e não achei mais interessante que essa do post não ... Quem sabe o conteúdo é bom né ?

9 de abril de 2009 10:49  
Blogger Pedro said...

Salve.
----

9 de abril de 2009 13:27  
Anonymous Diogo ! said...

O músico não me intriga tanto quanto a pessoa. Gostei dessa declaração :

" Eu sempre fui cronicamente depressivo, ou pelo menos pessimista, por uma grande parte de cada dia. Agora eu apenas preciso ver a Frances por dez minutos que meu espírito é elevado a um nível em que eu me sinto uma pessoa completamente diferente "

Ele, falando sobre a filha

9 de abril de 2009 14:32  
Anonymous Anônimo said...

Realmente.......essa foto tá tudo de bom.


Carlos Maurício

14 de abril de 2009 12:57  

Postar um comentário

<< Home