28 de março de 2009

'Transambas' vira subtítulo do álbum 'Zii e Zie'

Bom nome inicialmente cogitado (e logo depois descartado) por Caetano Veloso para batizar o álbum de estúdio que ele gravou em 2008 com a Banda Cê, Transambas acabou sendo um dos dois subtítulos de Zii e Zie (Tios e Tias, em italiano), o CD que a gravadora Universal Music vai lançar em 14 de abril de 2009 (o outro subtítulo, Transrock, aparece na contracapa). Gravado no estúdio AR, no Rio de Janeiro (RJ), o álbum expõe na capa foto da praia do Leblon, o bairro carioca que inspirou uma das músicas inéditas testadas pelo compositor em duas temporadas do show Obra em Progresso para inclusão no disco. O repertório traz regravações de dois sambas, Incompatibilidade de Gênios (João Bosco e Aldir Blanc) e Ingenuidade, dos repertórios dos saudosos Clementina de Jesus e Roberto Ribeiro. A música de trabalho é Sem Cais, parceria de Caetano com o guitarrista Pedro Sá. Eis as 13 faixas de Zii e Zie, que segue estilo indie do inspirador (2006):

1. Perdeu ( Caetano Veloso)
2. Sem Cais (Caetano Veloso e Pedro Sá)
3. Por Quem? (Caetano Veloso)
4. Lobão Tem Razão (Caetano Veloso)
5. A Cor Amarela (Caetano Veloso)
6. Base de Guantánamo (Caetano Veloso)
7. Falso Leblon (Caetano Veloso)
8. Incompatibilidade de Gênios (João Bosco e Aldir Blanc)
9. Tarado Ni Você (Caetano Veloso)
10. Menina da Ria (Caetano Veloso)
11. Ingenuidade ( Serafim Adriano)
12. Lapa (Caetano Veloso)
13. Diferentemente (Caetano Veloso)

31 Comments:

Anonymous Diogo ! said...

Gostei da capa e já tinha aprovado o (então) título " Transambas " ...

28 de março de 2009 14:11  
Anonymous Anônimo said...

De quem ele (re)gravou " Ingenuidade " ?

28 de março de 2009 18:01  
Anonymous OLIVEIRA said...

Torço e até rezo muito para vir um grande Caetano. O Caetano sem invenções, sem esquisitices, sem tentar fazer melhor o que já é perfeito.
Tomara estar vindo mais um grande disco de Caetano.
Tá comprado e vou conferir.

28 de março de 2009 19:31  
Anonymous Geraldo said...

Caetano sem invencionices, sem esquisitices, sem falar mal dos outros... Não é Caetano.

Por isso torço que venha um novo Caetano. Como Caetano é.

29 de março de 2009 11:16  
Blogger Rafael Rodriguez said...

e tem transrock atrás.

29 de março de 2009 15:53  
Anonymous Anônimo said...

Não vejo a hora que ele saia da fase "Indie".Foi bom, tudo certo, vamos voltar ao classico Caetano.
Bertino

30 de março de 2009 07:37  
Anonymous Anônimo said...

De quem ele (re)gravou " Ingenuidade " ? (2)

30 de março de 2009 07:38  
Anonymous Anônimo said...

De quem ele (re)gravou " Ingenuidade " ? (3)

30 de março de 2009 12:41  
Anonymous Anônimo said...

Aos afoitos anônimos ...

" Ingenuidade " é de Serafim Adriano e foi gravado por D. Clementina de Jesus !


Joguem no Google !

30 de março de 2009 14:40  
Anonymous Anônimo said...

Que é isso, pessoal, Caetano é Caetano por ser assim, mutante, revolucionário, inquieto e ousado, buscando sempre novas formas de música e de poesia, sem ter a "necessidade obrigatória" de "agradar" ouvidos.

Compositores repetitivos e "normais" tá cheio por aí, Caetano é único, deixem ele ousar e recriar à vontade...

Pelo que vimos no site Obra em Progresso e estando com a mesma banda, o disco parece um novo contato ( mas alterado)com o som do fabuloso "Cê" e daí já damos um conselho de amigo: ouçam o disco diversas ( e diversas) vezes antes de opinar sobre ele.

Um disco de Caetano Veloso exige isso, o entendimento da "proposta" via várias audições... Quem ficar esperando ouvir uma "Lindeza" ou uma nova "Trem das Cores" não vai "entender nada"...

30 de março de 2009 17:20  
Anonymous OLIVEIRA said...

Música é beleza e prazer - além de bom gosto, claro. Deixemos raciocínio para matemática, física, enfim ciências exatas.
Experimentalismos é para cientistas que como diz Jô Soares "não têm o que fazer".
Continuo rezando para o GRANDE Caetano de "Trem das Cores" SIM e não para o CIENTISTA Caetano de "Araça Azul" ou "A Foreign Sound", que possuo por ser colecionador mas que ou não estão à altura de Caetano ou é aquele Caetano que, antes do belo compostitor e intérprete, precisa mostrar à Humanidade que é intelectual e coisa e tal.
CHICO BUARQUE E MILTON NASCIMENTO SÃO REIS, sem precisar inventar... NEVER!

30 de março de 2009 19:40  
Anonymous Anônimo said...

Pôxa, como eu queria ser burro e "não entender nada". Aliás, eu "não entendo nada" é quando Caetano Veloso vem com suas esquisitices como disseram aqui.
Lindeza, Trem das Cores, Qualquer Coisa, Odara, Não Enche e outras eu entendo. Por que será ? Sou burro ou não ? TEM ALGUM "PROFESSOR" PARA RESPONDER POR AÍ ?

30 de março de 2009 20:04  
Anonymous Anônimo said...

Por que não "Tios e Tias" ? Já começou inventando, forçando o diferencial. Não sei d'aonde vem tanta insegurança em Caetano. Um terapeuta poderia ajudar.

30 de março de 2009 20:53  
Anonymous Anônimo said...

obrigado pela informação anônimo das 2:40. Adoro a música Ingenuidade na voz da Clementina! Não imaginei que pudesse ser a mesma.
Um Anônimo Afoito (rsss)

31 de março de 2009 09:42  
Anonymous Anônimo said...

Qto se trata de Caetano Veloso os puristas entram na área com sua ortodoxia e começam a demonstrar a sua limitação musical, ouvidos pouco preparados e aversão a tudo que é ousado. E, principalmente, seu incômodo com a genialidade plural de Caetano. Tanto que eles vêm num post do baiano genial "chorar seus incômodos". Nada de novo no front, puristas gostam do...normal.

Ah, e "Chico Buarque é "rei" foi ótima". É rei mesmo, rei da repetividade e da mesmice. Compõe bem dentro do estilo noelroseano mas prefiro Noel Rosa e Ary Barroso, os originais.

Já Milton Nascimento,original,inventivo e criativo, esse é baita compositor.

31 de março de 2009 12:29  
Anonymous Anônimo said...

Caramba, a capacidade poética e musical diversificada de Caê incomoda à beça, hein?, hehe. Tá decidido, os 'tradicionais' estão certinhos e Caetano está erradíssimo, hehe. O homem vai do rock 'indie' ( como falou o Mauro)de Cê ao 'samba transcendental'de Zii e Zie como se fosse a coisa mais normal do mundo. Não sei se vai ser tão legal qto o Cê mas Caê se arrisca em mais uma empreitada corajosa, a conferir...

31 de março de 2009 12:46  
Anonymous Anônimo said...

Agora fiquei ainda mais aflito pra ouvir o disco e Ingenuidade, rs.

31 de março de 2009 12:48  
Anonymous Carlos said...

Já que falaram no grande Milton, vou dizer, não é pra falar não, mas vez por outra dou de cara com ele aqui em Três Pontas! Sabe muuuito! Um disco de Caetano é sempre um acontecimento. Entendo o anômino que fala do Caetano tropicalista e arrojado. Até prefiro o Caetano mais antigo mas é bem bacana - e um exemplo- ele ainda tentar coisas novas já beirando 70 anos. E a garotada que está com ele é mto boa, o Pedro Sá é um guitarrista e tanto.

31 de março de 2009 15:24  
Anonymous Anônimo said...

Nada contra "novidades", mas nenhuma de Caetano - música ou disco - superou sua fase "Trem das Cores" como citaram aqui.
Seu colega Gilberto Gil - outro que adora "inventar" acertou MUUUUUUITO mais.
PS: "Araça Azul" é brabo mesmo. ô disquinho ruim metido à obra-prima intelectual.

31 de março de 2009 18:56  
Anonymous Anônimo said...

"Lobão tem razão" dá até medo.

31 de março de 2009 18:59  
Anonymous Anônimo said...

Nossa, não imaginei que Caetano ainda gerasse tanto falatório, e aliás, que não entendo, há anos ouvia pessoas criticando que ele tinha virado mais do mesmo, hj em dia ouço q ele experimenta demais, e acho que ele num ta é nem aí pra isso tudo, ele ta curtindo pra caralho as vontades e "loucuras" [pelo jeito q o povo fala parece q ele ficou maluco] dele, enquanto ta todo mundo aqui brigando por qual fase é melhor, se ele quer ser isso ou aquilo, feliz é ele, bobo é a gente!

PS: curioso por ouvir o CD, independente do que vier.

31 de março de 2009 20:02  
Anonymous Anônimo said...

Neste país musical difícil é não ter garotada competente. A "concorrência" é que faz muitos desistirem de seus talentos. NOVIDADE NENHUMA.

31 de março de 2009 20:03  
Anonymous Anônimo said...

Caetano é gênio, muito bom SIM! Mas melhor do que Chico Buarque sem chance.
Sem citar uma das páginas da história da MPB que conta o "deboche" de Caetano quando gravou "Carolina". Inveja ou mais uma "esquisitice" de Caetano para chamar à atenção ? Coisa feia... Caetano não precisava e Chico não merecia.

31 de março de 2009 20:12  
Anonymous Anônimo said...

Concordo com o anônimo com relação ao título. Pra que em italiano ?

31 de março de 2009 20:18  
Anonymous Anônimo said...

Que é sempre um acontecimento, claro que é. Mas concordo com os que aguardam com cautela, já que o acontecimento pode ser uma obra-prima ou uma baita porcaria como aquele disco só cantado em inglês.

31 de março de 2009 20:47  
Anonymous Alexandre said...

Lá se vão 40 anos de Tropicalismo e tem gente que até hoje não entende a genialidade de Caetano Veloso, como é que pode? Depois são chamados de puristas que só "entendem" o tal normal, como disseram aí e se irritam. Citaram até que Chico Buarque ( ótimo compositor mas que só tem 01 jeito de fazer música, falta criatividade e ainda tem medo de arriscar)seria melhor que Caetano que faz música de todos os jeitos, revoluciona, tem poética e arrojo musical. Só pode ser brincadeira.

A conclusão é uma só: purista não entende de música, ele "gosta de músicas que soam agradáveis no ouvido", ficam só no campo harmônico. Saiu disso e o purista não chega lá, é "invenção" e bla-bla. Imagine o que eles não pensaram do Cê, o melhor disco do ano na época. Se dependesse deles a música estaria na idade da pedra...Viva Caetano Veloso! Música tb é coragem e risco, é pra mestres, não para medrosos musicais. Favor que fazem é nos poupar de ler tanta bobagem...

1 de abril de 2009 15:12  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse..

Caetano é sempre genial, criativo, inventivo, negue isso quem quiser. Mas falando desse repertório, ouvi Incompatibilidade de Gênios. É um tanto chata. Tinha tanta coisa melhor do João Bosco pra ele regravar. Talvez caísse bem outra coisa do infinito(!), repertório do mineiro. Prefiro Maior Abandonado, que ele refez, do Cazuza. Mas vou aguradr Tios e tias. Sim, não simpatizo com a língua italiana...prefero o sertanês.

1 de abril de 2009 21:49  
Blogger PedroPeter said...

Sem Cais, Por quem?, Lobão, A cor, Base, Falso, Tarado, Lapa (e principalmente) Diferentemente são ótimas. São super Caetano.

Esse álbum conta com a mesma banda de Cê e não tem quase nada de Cê. É mais Cores, Nomes, Circuladô e Noites do Norte.

Quanto a ser ou não ser novo, Caetano sempre foi Caetano. Não tem nada de experimental em A foreign sound. Existe muito estilo na música dos estadounidenses, isso sim.

Caetano está muito vivo e musical. Retrata o tempo de hoje como nenhum outro atista.

Esse lance de italiano ou não... é questão do artista... Por que a Monalisa não sorri de uma vez?

2 de abril de 2009 19:14  
Anonymous Beth said...

a capa me traz à memória um disco que não sei o nome

4 de abril de 2009 10:20  
Anonymous Anônimo said...

Araçá Azul disco ruim? Leia o que vc escreveu pra ver se vc mesmo concorda com isso...

22 de abril de 2009 15:23  
Anonymous Anônimo said...

Mais um Lixo à la Caetano....

5 de maio de 2009 08:52  

Postar um comentário

<< Home