13 de março de 2009

Centenário de Ataulfo motiva gravação de disco

O centenário do compositor mineiro Ataulfo Alves (1909 - 1969) - a ser celebrado em 2 de maio de 2009 - motivou o produtor Thiago Marques Luiz a fazer um álbum duplo com gravações inéditas das principais músicas do parceiro de Mário Lago (1911 - 2002) em sambas como Ai, que Saudades da Amélia! e Atire a Primeira Pedra. O elenco do disco inclui artistas da nova geração.

12 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

O centenário do compositor mineiro Ataulfo Alves (1909 - 1969) - a ser celebrado em 2 de maio de 2009 - motivou o produtor Thiago Marques Luiz a fazer um álbum duplo com gravações inéditas das principais músicas do parceiro de Mário Lago (1911 - 2002) em sambas como Ai, que Saudades da Amélia! e Atire a Primeira Pedra. O elenco do disco inclui artistas da nova geração.

13 de março de 2009 12:48  
Anonymous Anônimo said...

Repertório, Mauro? Cadê a lista?

13 de março de 2009 13:07  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse..

Agora sim, com o pessoal dessa geração, não havia q q q e nem frescura. Era musica boa e pronto. Já existe um Cd songbook, com um elenco legal de cantores, e destaque oara as leituras de Sandra de Sá, Gilberto Gil e Benjor. Se esse for ter convidados, que não traga os chatos da nova geração. Ataulfo não pode se mover na cova. Ah e não pode faltar Leva meu samba. Nota dez para o idealizador, o Brasil precisa de memória em todos os sentidos.

13 de março de 2009 13:45  
Anonymous Anônimo said...

Principais músicas de novo???
Pô, alguém vai cantar as músicas do cara melhor que o sensacional Noite Ilustrada?
Deviam gravar as obscuras!

Jose Henrique

13 de março de 2009 14:39  
Anonymous OLIVEIRA said...

"Songbooks" de grandes compositores são sempre benvidos. A não ser que os intérpretes sejam horrorosos, o que não acredito que seja o caso. ATAULFO MERECE E NÓS TAMBÉM.

13 de março de 2009 18:28  
Blogger Mauricio Coutinho said...

Essa coisa de releitura é preguiça embaralharda com interesse exclusivamente comercial dos "produtores". A nova geração citada no post, hoje em dia, se resume praticamente (ainda existem novas boas músicas) a releituras (seja de filhos ou não). Nesse caminho o Ataulfo, infelizmente, passa a ser mais um no meio de tantas outras releituras. Nunca se criou tanta coisa nova e nunca se falou tão pouco delas. Viva então as releituras!!!

14 de março de 2009 10:36  
Anonymous Anônimo said...

Bem, mas releitura também é "coisa nova", não?

14 de março de 2009 11:07  
Anonymous Anônimo said...

Se essas releituras vem com uma roupagem modernosa aí que mora o perigo. Normalmente fico com as gravações originais, pq essa nova geração tem uma idéia muito equivocada das canções desses grandes mestres. Se cair nas mãos de um Moska, de um Baleiro ou de uma Ana Carolina então...nós estaremos perdidos...

14 de março de 2009 13:13  
Anonymous OLIVEIRA said...

Mil vezes um "Bossacucanova" interpretando "modernosamente" "Essa moça tá diferente" do que Caetano e Roberto Carlos interpretando "respeitosamente" "Chega de Saudade". Cada caso é um caso. Em música não existe regra, não é ciência exata. Envolve emoção, coragem, bom gosto, talento do intérprete e boa vontade do ouvinte.
Abaixo ao preconceito e ao "não ouvi e não gostei".

14 de março de 2009 18:06  
Anonymous Anônimo said...

Invés das pessoas exaltarem a iniciativa de homenagear um grande compositor, preferem atacar. Cuidado pra não perder o emprego, Mauro... Tá cheio de crítico aqui...rs

15 de março de 2009 19:34  
Anonymous Anônimo said...

Ataulfo merece ser exaltado e homenageado à altura do artista que foi.Esperamos um trabalho grandioso.Beijos

4 de maio de 2009 19:06  
Anonymous Anônimo said...

Esperamos uma homenagem digno de um grande artista que foi Ataulfo.Abraços

4 de maio de 2009 19:07  

Postar um comentário

<< Home