4 de fevereiro de 2009

Zeca Pagodinho faz 50 anos com jeito moleque

Zeca Pagodinho está completando 50 anos nesta quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009, com o mesmo jeito moleque que deu título a um de seus discos. Zeca é do samba, mas é dos raros artistas que são queridos em todos os redutos da música brasileira. Não é à toa que seu mais recente disco, Uma Prova de Amor (2008), reúne gravações do artista com nomes tão improváveis quanto João Donato e Jorge Ben Jor. Zeca é do bem. Fiel aos amigos e ao seu estilo de vida, ele não muda de cara quando vende muito disco. E olha que Zeca já chegou arrebentando: seu primeiro LP, de 1986, beirou o milhão de cópias vendidas no embalo daquela euforia pagodeira e consumista do Plano Cruzado. O repertório, aliás, é praticamente um best of deste sambista cuja verve desde o início já lhe rendeu comparações com ninguém menos do que Noel Rosa (1910 - 1937). Depois de um impulso inicial na extinta gravadora RGE, Zeca amargou período de baixa comercial ao migrar para a BMG. Mas reencontrou o sucesso, a mídia e o público a partir de seu ingresso, em 1995, na gravadora hoje denominada Universal Music. Citando outro título de sua discografia, Zeca é um boemio feliz. Não tira onda, sabe se manter autêntico e fiel a si mesmo. Nem parece que ele já tem 50 anos. Porque o jeito moleque é o mesmo desde que apareceu em cena, em 1983, num dueto com Beth Carvalho em Camarão que Dorme a Onda Leva, faixa do LP Suor no Rosto. Tímido ao extremo, o artista aos poucos foi se soltando com a irreverência e a espontaneidade que cativam todo mundo. Que venham mais 50 anos de vida para Zeca Pagodinho!!!!

11 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Zeca Pagodinho está completando 50 anos nesta quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009, com o mesmo jeito moleque que deu título a um de seus discos. Zeca é do samba, mas é dos raros artistas que são queridos em todos os redutos da música brasileira. Não é à toa que seu mais recente disco, Uma Prova de Amor (2008), reúne gravações do artista com nomes tão improváveis quanto João Donato e Jorge Ben Jor. Zeca é do bem. Fiel aos amigos e ao seu estilo de vida, ele não muda de cara quando vende muito disco. E olha que Zeca já chegou arrebentando: seu primeiro LP, de 1986, beirou o milhão de cópias vendidas no embalo da euforia consumista do Plano Cruzado. O repertório é praticamente um best of deste sambista cuja verve desde o início já lhe rendeu comparações com ninguém menos do que Noel Rosa (1910 - 1937). Depois de um impulso inicial na extinta gravadora RGE, Zeca amargou período de baixa comercial ao migrar para a BMG. Mas reencontrou o sucesso, a mídia e o público a partir de seu ingresso, em 1995, na gravadora hoje denominada Universal Music. Citando outro título de sua discografia, Zeca é um boemio feliz. Não tira onda, sabe se manter autêntico e fiel a si mesmo. Nem parece que já tem 50 anos. Porque o jeito moleque é o mesmo desde que apareceu em cena, em 1983, num dueto com Beth Carvalho em Camarão que Dorme a Onda Leva, faixa do LP Suor no Rosto. Tímido ao extremo, o artista aos poucos foi se soltando com a irreverência e a espontaneidade que cativam todo mundo. Que venham mais 50 anos de vida para Zeca Pagodinho!!!!

4 de fevereiro de 2009 16:42  
Anonymous Anônimo said...

Só em 1995 um sambista chegou a vender 1 milhão e não foi Zeca e sim Martinho da Vila com o seu album " Tá delicia, Tá Gostoso ". Graças ao estouro de " Devagar, Davagarinho " e " Mulheres " !

4 de fevereiro de 2009 17:22  
Anonymous Anônimo said...

ZECA ALGUMA VEZ VENDEU 1 MILHÃO DE DISCOS ?

4 de fevereiro de 2009 17:23  
Anonymous OLIVEIRA said...

Parabéns para ele, nesta data querida, muitas felicidades e muitos pagodes de vida.
Viva Zeca!

4 de fevereiro de 2009 18:32  
Anonymous Anônimo said...

Zeca chegou próximo ao milhão meu povo! Leiam com atenção a resenha. Mas, faltou MUITO POUCO!
Parabéns ao embaixador de Xerém! Grande cantor e compositor! SOU FÃZAÇO! A grandeza dele está justamente na sua simplicidade! É o mesmo Zeca do Boêmios de Irajá, o mesmo descoberto no Cacique de Ramos e o mesmo Zeca superstar do samba! Parabéns! Saúde e muitos anos de vida! Que venham mais 50! Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: Mauro, muito bom você sinalizar aos carentes de informação o primeiro registro do Zeca no disco pelas mãos da Rainha do Samba. E esse lp/cd é a perfeita trilha sonora para os dias de folia! Como tem samba para carnaval nesse cd da Beth! Saudades dessa época.
PS2: É tão importante para o Samba que além de ser respeitado ainda faz o mesmo papel que sua madrinha faz: descobre músicos, compositores e dá oportunidade para novos artistas. Salve ele!

4 de fevereiro de 2009 19:27  
Anonymous Felipe dos Santos Souza said...

Mauro disse bem: o moço de Xerém começou explodindo na RGE (apadrinhado por Beth - não que precisasse, mas a mulher tem bom faro para ver quem manja de samba, vide também o Quinteto em Branco e Preto), enfraqueceu na BMG, mas, desde que chegou à Universal, voltou a subir - e para não mais descer.

Se há dúvidas, é só ver os sambas que o Jessé Ramos da Silva Filho transformou em membros do subconsciente nacional desde então: "Samba pras Moças", "Verdade", "Coração em Desalinho", "Vai Vadiar", "Deixa a vida me levar"... a lista é longa.

Isso, sem contar o raro talento para interagir com gente de outras ondas musicais.

Pois é: mais do que competência, quem tem talento se estabelece.

Zeca é camarão que não dorme. Por isso nunca se deixou levar por onda alguma. E, com ele, sempre é dia da caça - e do caçador.

Merece os parabéns.

Felipe dos Santos Souza

4 de fevereiro de 2009 19:56  
Anonymous OLIVEIRA said...

Só em andar pelas ruas da pseudo-emergente-chique-Barra-da-Tijuca (quem não pode morar no Leblon ou Ipanema, mora lá...) arrastando carrinho com latinhas da sua cervejinha sagrada já diz tudo.
Ele não tá nem aí se é Barra ou Xerém - para horror das pseudo-Madames.
Aliás, se fosse no Leblon ou em Ipanema não ia virar notícia. Os moradores de lá andam de chinelo e bermuda. Coisa que na Barra-"Miami" seria um sacrilégio.
Viva ele de novo.

4 de fevereiro de 2009 20:07  
Anonymous Felipe dos Santos Souza said...

"Erremo": Jessé GOMES da Silva Filho.

Trata de pesquisar antes de ler, rapaz!

4 de fevereiro de 2009 20:13  
Anonymous Denilson said...

Zeca é gente boa à beça.

Vide o churrasco que ele promove periodicamente na praia de Grumari, no Rio de Janeiro, que os marketeiros queriam transformar num evento de celebridades do tipo "Caras" e ele recusou terminantemente. Preferiu manter o churrasco aberto a todo mundo que chegar, famosos (vão vários lá) ou não (também vão vários).

Os meus amigos que o conheceram na época em que ele era contínuo da empresa em que eu trabalhava dizem que ele sempre foi assim: sincero, amigável e prestativo.

Muitos anos para esse excelente artista e ser humano.

abração,
Denilson

5 de fevereiro de 2009 08:54  
Anonymous Anônimo said...

Gostei dessa Felipe: "Zeca é camarão que não dorme. Por isso nunca se deixou levar por onda alguma."
Abração,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

5 de fevereiro de 2009 09:40  
Anonymous OLIVEIRA said...

É por isso que vai longe, Marcelo. Nadar contra a maré na nossa triste indústria/mídia/ouvintes de ocasião é sinal de sabedoria e vida longa.
De resto, para variar: palmas para você, Denilson e Felipe - vida inteligente sempre "nadando" por aqui.
Abraços.

5 de fevereiro de 2009 20:04  

Postar um comentário

<< Home