8 de fevereiro de 2009

Volume 2 exibe mais social no clube do samba

A gravadora EMI Music já está distribuindo nas lojas o segundo bom volume do Samba Social Clube, o projeto fonográfico criado por uma rádio carioca, a MPB FM, para badalar o programa que dá título ao CD e ao DVD gravados ao vivo em dois espetáculos coletivos apresentados na Fundição Progresso (RJ) em 28 e 29 de julho de 2008. E é justamente pelo fato de o evento ser uma criação de uma emissora de rádio que tantos nomes de peso aceitaram fazer uma social no clube do samba. O CD reúne 14 interpretações de sambas antigos nas vozes de bambas como Jorge Aragão (Vai Passar, última parceria de Chico Buarque com Francis Hime), Beth Carvalho (Amor de Verdade, samba de Flávio Moreira e Liete de Souza que foi sucesso nos anos 70 na voz de Roberto Ribeiro), Roberta Sá (Meu Sapato Já Furou, samba gravado por Clara Nunes em 1974), Gilberto Gil (Amor até o Fim, samba de sua autoria, lançado por Elis em 1973, mas até então nunca registrado por Gil), Fundo de Quintal (Mel e Mamão com Açúcar, de Wilson Moreira e Nei Lopes), Moinho (Besta É Tu, da seara dos Novos Baianos), Casuarina (Retalhos de Cetim, primeiro grande hit de Benito Di Paula nos anos 70), João Bosco (sublime ao abordar Tudo se Transformou, de Paulinho da Viola) e Serjão Loroza (Eu Bebo Sim). O DVD exibe 18 números, apresentando quatro músicas limadas do CD. Os números exclusivos do DVD são A Tonga da Mironga do Kabuletê (com Elza Soares), Da Melhor Qualidade (Moyséis Marques), Água na Boca (Sandra de Sá) e Saudades da Guanabara (com o quarteto formado por Ana Costa, Anna Luisa, Nilze Carvalho e Moacyr Luz, parceiro de Aldir Blanc no samba que deu título ao álbum lançado por Beth Carvalho em 1989). Já estão previstas pela MPB Brasil e a EMI Music outras edições do projeto Samba Social Clube. Não vão faltar sócios...

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

A gravadora EMI Music já está distribuindo nas lojas o segundo bom volume do Samba Social Clube, o projeto fonográfico criado por uma rádio carioca, a MPB FM, para badalar o programa que dá título ao CD e ao DVD gravados ao vivo em dois espetáculos coletivos apresentados na Fundição Progresso (RJ) em 28 e 29 de julho de 2008. E é justamente pelo fato de o evento ser uma criação de uma emissora de rádio que tantos nomes de peso aceitaram fazer uma social no clube do samba. O CD reúne 14 interpretações de sambas antigos nas vozes de bambas como Jorge Aragão (Vai Passar, última parceria de Chico Buarque com Francis Hime), Beth Carvalho (Amor de Verdade, samba de Flávio Moreira e Liete de Souza que foi sucesso nos anos 70 na voz de Roberto Ribeiro), Roberta Sá (Meu Sapato Já Furou, samba gravado por Clara Nunes em 1974), Gilberto Gil (Amor até o Fim, samba de sua autoria, lançado por Elis em 1973, mas até então inédito na voz de Gil), Fundo de Quintal (Mel e Mamão com Açúcar, de Wilson Moreira e Nei Lopes), Moinho (Besta É Tu, da seara dos Novos Baianos), Casuarina (Retalhos de Cetim, primeiro grande hit de Benito Di Paula nos anos 70), João Bosco (sublime ao abordar Tudo se Transformou, de Paulinho da Viola) e Serjão Loroza (Eu Bebo Sim). O DVD exibe 18 números, apresentando quatro músicas limadas do CD. Os números exclusivos do DVD são A Tonga da Mironga do Kabuletê (com Elza Soares), Da Melhor Qualidade (Moyséis Marques), Água na Boca (Sandra de Sá) e Saudades da Guanabara (com o quarteto formado por Ana Costa, Anna Luisa, Nilze Carvalho e Moacyr Luz, parceiro de Aldir Blanc no samba que deu título ao álbum lançado por Beth Carvalho em 1989). Já estão previstas pela MPB Brasil e a EMI Music outras edições do projeto Samba Social Clube. Não vão faltar sócios...

8 de fevereiro de 2009 13:37  
Anonymous OLIVEIRA said...

Nem preciso dizer: já tá comprado. Estou só esperando chegar. É um belo exemplo de OPORTUNIDADE e não de OPORTUNISMO.
Tomara ser tão bom quanto o 1º.

8 de fevereiro de 2009 16:29  
Anonymous Anônimo said...

Amor até o fim foi REGRAVADA por Elis em 74. Elis lançou essa música no Disco "Dois na Bossa nº 2", de 66.

10 de fevereiro de 2009 12:56  
Anonymous Anônimo said...

Faço minhas as palavras do Oliveira. Eu só queria complementar uma coisa: acho um absurdo excluírem da capa do projeto determinados artistas. Se Ana Costa, Anna Luisa e Nilze Carvalho participaram do projeto não acho justo boicotá-las! E se a desculpa for espaço, deveriam pesar a importância dos artistas, pois tem alguns canastrões que não mereceriam nem o rodapé da contracapa. Abs,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

PS: Espero que Sandra de Sá não tenha destruído o belo samba carnavalesco do BC Cacique de Ramos.

11 de fevereiro de 2009 08:22  
Anonymous OLIVEIRA said...

Marcelo, quanto às fotos concordo, mas é aquela história: atrair os menos escolados com os rostinhos já conhecidos.
Quanta à Sandra de Sá, gosto dela, é só não exagerar na garganta. Soul Music é uma coisa. Samba é outra. (jura!!!!)
Abraços.

11 de fevereiro de 2009 17:43  

Postar um comentário

<< Home