28 de fevereiro de 2009

Show de Elza com Farofa Carioca pode virar CD

Há intenção de gravar ao vivo, para edição em CD e DVD, o show em que Elza Soares divide o palco com o grupo Farofa Carioca. Já testado na Europa e em duas apresentações informais em São Paulo (SP), a estréia oficial do show - de título bem apelativo, Compulsivos e a Perigosa - está agendada para quinta-feira, 5 de março de 2009, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro (RJ). No entanto, além das três apresentações cariocas, nada está certo, por ora. Nem mesmo a provável continuidade do show em turnê nacional. No roteiro, estão previstas músicas do segundo CD do Farofa Carioca - Tubo de Ensaio, editado em 2008 com Mário Broder no posto de vocalista que foi de Seu Jorge no primeiro álbum do grupo, Moro no Brasil (1998) - e incursões pelos repertórios de Bezerra da Silva (Malandragem Dá um Tempo) e Jorge Ben Jor (Mas que Nada e W/Brasil), além de um tributo a Carmen Miranda (1909-1955) pelo centenário de seu nascimento. A homenagem vai ser feita com releitura do samba-enredo Alô! Alô! Taí Carmen Miranda, com o qual o Império Serrano desfilou no Carnaval de 1972. Resta saber se a farofa está bem temperada...

2 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Há intenção de gravar ao vivo, para edição em CD e DVD, o show em que Elza Soares divide o palco com o grupo Farofa Carioca. Já testado na Europa e em duas apresentações informais em São Paulo (SP), a estréia oficial do show - de título bem apelativo, Compulsivos e a Perigosa - está agendada para quinta-feira, 5 de março de 2009, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro (RJ). No entanto, além das três apresentações cariocas, nada está certo, por ora. Nem mesmo a provável continuidade do show em turnê nacional. No roteiro, estão previstas músicas do segundo CD do Farofa Carioca - Tubo de Ensaio, editado em 2008 com Mário Broder no posto de vocalista que foi de Seu Jorge no primeiro álbum do grupo, Moro no Brasil (1998) - e incursões pelos repertórios de Bezerra da Silva (Malandragem Dá um Tempo) e Jorge Ben Jor (Mas que Nada e W/Brasil), além de um tributo a Carmen Miranda (1909-1955) pelo centenário de seu nascimento. A homenagem vai ser feita com releitura do samba-enredo Alô! Alô! Taí Carmen Miranda, com o qual o Império Serrano desfilou no Carnaval de 1972. Resta saber se a farofa está bem temperada...

28 de fevereiro de 2009 09:42  
Anonymous Anônimo said...

Elza Soares é o maior exemplo brasileiro que idade não é desculpa pra acomodações. Com mais de 70 anos, Elza está ainda na ativa, se reinventando , fazendo shows e cantando bem. Se vê no palco, nas entrevistas e até nos cds um artista com brilho nos olhos e na voz, com vontade e gana de estar aonde está. Rita Lee e Maria Bethânia são outros exemplos. Parabéns a Elza!

1 de março de 2009 13:23  

Postar um comentário

<< Home