8 de fevereiro de 2009

Marchinhas agonizam, mas não morrem em CD

Resenha de CD
Título: As Melhores
Marchinhas
do Carnaval 2009
Artista: Vários
Gravadora: Viva Brasil
/ Fundição Brasil
Cotação: * * *

Nos últimos anos, a Fundição Progresso tem promovido no Rio de Janeiro (RJ) bem-vindo concurso nacional de marchinhas carnavalescas para revitalizar o gênero que, dos anos 30 aos 50, foi o principal fornecedor de repertório para a folia. O CD As Melhores Marchinhas do Carnaval 2009 reúne as 10 inéditas marchinhas finalistas da 4ª edição do concurso, que vai eleger a vencedora neste domingo, 8 de fevereiro de 2009. A safra é irregular, mas inclui algumas boas marchinhas e sinaliza que o gênero agoniza, mas não morre. A julgar pelo disco, a marchinha vitoriosa deveria ser Bendita Baderna. Apesar de defendida com pouca animação pelo autor, Edu Krieger (inspirado compositor não vocacionado para o canto), a marchinha remete à época áurea do gênero. Inclusive pelo caloroso arranjo de metais e pela letra espirituosa, que puxa a orelha de Deus pela criação do Homem, o elemento desarticulador da harmonia do Mundo. Na mesma linha tradicional de Bendita Baderna, e com arranjo similar, há Todo Mundo Nu (Marchinha da Raspadinha), mas o autor e intérprete, Eduardo Dussek, não reedita sua habitual verve neste tema que prega a nudez. Falta o humor que sobra em A Mãe do Paulo, marchinha maliciosa composta e cantada por Jorge Poeta. A partir de situação do cotidiano (uma mãe que quer embarcar o filho pela porta da frente do ônibus), Poeta criou delicioso verso de duplo sentido ("O motorista quer o Paulo atrás"), típico dos bailes dos antigos carnavais. Há também irreverência n'A Marcha do Fim do Mundo, na qual os autores Fito Bucha e Ramon Ramon brincam com a possibilidade de extinção do planeta. Quem defende a brincadeira é um coletivo de cantores formado por Alfredo Del Penho, Clarice Magalhães, Lali Maia e Pedro Paulo Malta - o mesmo quarteto que une vozes em Fui Eu!, marchinha de Nello. Já Velhinha Animada, composta e cantada por Vera Holanda (com adesão vocal do Coralito), não faz jus ao título. Da mesma forma que Paixão de Praia - marcha de Galvão Frade, defendida por Moyséis Marques - também não empolga. Já Canoa Furada, composta e gravada por Siba, se impõe na seleção por procurar se desvincular do tradicional formato melódico e rítmico das marchas. É a composição mais ousada, embora não necessariamente a mais empolgante de um concurso que termina neste domingo com a entrega ao vencedor do Prêmio Carmen Miranda. É um tributo à Pequena Notável pelo centenário de seu nascimento. Daí a inclusão no CD de duas faixas-bônus cantadas pela hors-concours Soraya Ravenle, Mamãe Eu Quero e Pra Você Gostar de mim (Ta-Hi), dois sucessos carnavalescos da pioneira Carmen Miranda (1909-1955), a eterna campeã da folia brasileira.

4 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Nos últimos anos, a Fundição Progresso tem promovido no Rio de Janeiro (RJ) bem-vindo concurso nacional de marchinhas carnavalescas para revitalizar o gênero que, dos anos 30 aos 50, foi o principal fornecedor de repertório para a folia. O CD As Melhores Marchinhas do Carnaval 2009 reúne as 10 inéditas marchinhas finalistas da 4ª edição do concurso, que vai eleger a vencedora neste domingo, 8 de fevereiro de 2009. A safra é irregular, mas inclui algumas boas marchinhas e sinaliza que o gênero agoniza, mas não morre. A julgar pelo disco, a marchinha vitoriosa deveria ser Bendita Baderna. Apesar de defendida com pouca animação pelo autor, Edu Krieger (inspirado compositor não vocacionado para o canto), a marchinha remete à época áurea do gênero. Inclusive pelo arranjo de metais e pela letra espirituosa, que puxa a orelha de Deus pela criação do Homem, o elemento desarticulador da harmonia do Mundo. Na mesma linha tradicional de Bendita Baderna, e com arranjo similar, há Todo Mundo Nu (Marchinha da Raspadinha), mas o autor e intérprete, Eduardo Dussek, não reedita a habitual verve neste tema que prega a nudez. Falta o humor que sobra em A Mãe do Paulo, marchinha maliciosa composta e cantada por Jorge Poeta. A partir de situação do cotidiano (uma mãe que quer embarcar o filho pela porta da frente do ônibus), Poeta criou delicioso verso de duplo sentido ("O motorista quer o Paulo atrás"), típico dos bailes dos antigos carnavais. Há também irreverência n'A Marcha do Fim do Mundo, na qual os autores Fito Bucha e Ramon Ramon brincam com a possibilidade de extinção do planeta. Quem defende a brincadeira é um coletivo de cantores formado por Alfredo Del Penho, Clarice Magalhães, Lali Maia e Pedro Paulo Malta - o mesmo quarteto que une vozes em Fui Eu!, marchinha de Nello. Já Velhinha Animada, composta e cantada por Vera Holanda (com adesão vocal do Coralito), não faz jus ao título. Da mesma forma que Paixão de Praia - marcha de Galvão Frade, defendida por Moyséis Marques - também não empolga. Já Canoa Furada, composta e gravada por Siba, se impõe na seleção por procurar se desvincular do tradicional formato melódico e rítmico das marchas. É a composição mais ousada, embora não necessariamente a mais empolgante de um concurso que termina neste domingo com a entrega ao vencedor do Prêmio Carmen Miranda. É um tributo à Pequena Notável pelo centenário de seu nascimento. Daí a inclusão no CD de duas faixas-bônus cantadas pela hors-concours Soraya Ravenle, Mamãe Eu Quero e Pra Você Gostar de mim (Ta-Hi), dois sucessos carnavalescos da pioneira Carmen Miranda (1909-1955), a eterna campeã da folia brasileira.

8 de fevereiro de 2009 11:48  
Anonymous Délio said...

Aê, Mauro, estás com um faro apurado! "Bendita baderna", do Edu Krieger, foi a campeã!

9 de fevereiro de 2009 09:31  
Anonymous Anônimo said...

Ai que saudades da Amélia... quer dizer, do Braguinha, do Antônio Almeida...

9 de fevereiro de 2009 19:36  
Anonymous Anônimo said...

Mauro,

Eu achei "A mãe do Paulo" uma marchinha horrorosa. Composição de um extremo mau gosto. Letra e música. Muito ruim.

Salve a "Bendita Baderna". Edu acertou em cheio (e vc também, Mauro).

9 de fevereiro de 2009 20:07  

Postar um comentário

<< Home