14 de fevereiro de 2009

Galocantô resiste e lança o CD 'Lirismo do Rio'

Parceria de Sereno com Nei Lopes e Zé Luiz que deu título ao álbum lançado por Alcione em 1987, Nosso Nome: Resistência ganha regravação do Galocantô em seu segundo CD, Lirismo do Rio, já em fase de masterização e com lançamento previsto para março. O Galo - cujo canto começou a ecoar nos redutos do samba carioca em 2006 com a edição do álbum Fina Batucada - reúne 15 músicas no novo trabalho. Dez são da lavra própria do grupo. O repertório autoral apresenta inéditas como Alforria no Morro, A Felicidade É um Poema, Ilha do Abandono, Oriundo do Jongo, Roçado, Sei Chorar e A Velha Estrada. O amor pelo Rio de Janeiro dá o tom do disco. Em músicas como Fotografias de Papel, Pátria Amada e a faixa-título, Lirismo do Rio, o Galocantô ambiciona retratar poeticamente a realidade de sua cidade natal. Entre as regravações, há Arte do Povo (Paulo Franco, Anderson Baiaco e Mingo), Baile de Saci (Toninho Geraes e Toninho Nascimento), O Som do Samba (Trio Calafrio) e Meu Baio, meus Balaios (Wilson Moreira). O septeto é formado por Edson Cortes, Léo Costinha, Lula Matos, Pedro Arêas, Rodrigo Carvalho - todos os cinco se revezando nos vocais e nas percussões - Marcelo Correia (violão de sete cordas) e Pablo Amaral (cavaco e voz). CD sai após a folia.

5 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Parceria de Sereno com Nei Lopes e Zé Luiz que deu título ao álbum lançado por Alcione em 1987, Nosso Nome: Resistência ganha regravação do Galocantô em seu segundo CD, Lirismo do Rio, já em fase de masterização e com lançamento previsto para março. O Galo - cujo canto começou a ecoar nos redutos do samba carioca em 2006 com a edição do álbum Fina Batucada - reúne 15 músicas no novo trabalho. Dez são da lavra própria do grupo. O repertório autoral apresenta inéditas como Alforria no Morro, A Felicidade É um Poema, Ilha do Abandono, Oriundo do Jongo, Roçado, Sei Chorar e A Velha Estrada. O amor pelo Rio de Janeiro dá o tom do disco. Em músicas como Fotografias de Papel, Pátria Amada e a faixa-título, Lirismo do Rio, o Galocantô procura retratar poeticamente a realidade de sua cidade natal. Entre as regravações, há Arte do Povo (Paulo Franco, Anderson Baiaco e Mingo), Baile de Saci (Toninho Geraes e Toninho Nascimento), O Som do Samba (Trio Calafrio) e Meu Baio, meus Balaios (Wilson Moreira). O septeto é formado por Edson Cortes, Léo Costinha, Lula Matos, Pedro Arêas, Rodrigo Carvalho - todos os cinco se revezando nos vocais e nas percussões - Marcelo Correia (violão de sete cordas) e Pablo Amaral (cavaco e voz). CD sai após a folia.

14 de fevereiro de 2009 10:53  
Anonymous OLIVEIRA said...

Olha o samba de verdade aí gente!
Belo conjunto. Aliás, da nova safra, só eles o Arranco de Varsóvia e o Casuarina.
Sejam bem-vindos.

14 de fevereiro de 2009 10:54  
Anonymous Anônimo said...

ótima notícia. Viva o Galo!

14 de fevereiro de 2009 18:09  
Anonymous OLIVEIRA said...

Perdão, Mauro, mas é para fazer justiça e para o Marcelo não ficar chateado (o cara entende): esqueci do "Quinteto em Branco & Preto".
I'm sorry.

14 de fevereiro de 2009 18:45  
Anonymous Malu Cabral said...

Que maravilha!
O Galocantô é tudo de bom! É samba de primeira grandeza e mostra como o samba de verdade nasce e corre nas veias de poetas do partido alto.
Parabéns!

15 de fevereiro de 2009 21:19  

Postar um comentário

<< Home