13 de fevereiro de 2009

Dead Fish retorna fiel à sua tribo e ao hardcore

Resenha de CD
Título: Contra Todos
Artista: Dead Fish
Gravadora: Deckdisc
Cotação: * * * 1/2

Oitavo álbum do Dead Fish e o sexto CD de inéditas, Contra Todos flagra o heróico grupo capixaba mais fiel ao hardcore que o fez ser cultuado por devotada tribo na cena indie roqueira. Não há as experimentações do álbum anterior, Um Homem Só (2006). Há, sim, um flerte com o universo pop na faixa-título, Contra Todos, que não desvia a banda de sua rota habitual. Faixas como Não e Venceremos são hardcores velozes - compostos e gravados com a urgência do gênero, cujos cânones são seguidos pelo produtor do CD, Rafael Ramos. Contra Todos é o primeiro álbum do Dead Fish sem o guitarrista Hóspede e o último com o baterista Nô, que debandou após a gravação do disco, sendo substituído por Marcão (recrutado de uma outra banda da cena indie, Ação Direta). Parece ter havido a intenção de voltar às origens - o que explicaria a faixa cantada em inglês, Shark Attack. Entre o hardcore, o pop e o punk (cuja aura é evocada em um ou outro tema - como O Melhor Exemplo do que Não Seguir), o quarteto capixaba apresenta disco coeso. A crueza do som está em sintonia com o espírito crítico das letras. A tribo vai avalizar...

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Oitavo álbum do Dead Fish e o sexto CD de inéditas, Contra Todos flagra o heróico grupo capixaba mais fiel ao hardcore que o fez ser cultuado por devotada tribo na cena indie roqueira. Não há as experimentações do álbum anterior, Um Homem Só (2006). Há, sim, um flerte com o universo pop na faixa-título, Contra Todos, que não desvia a banda de sua rota habitual. Faixas como Não e Venceremos são hardcores velozes - compostos e gravados com a urgência do gênero, cujos cânones são seguidos pelo produtor do CD, Rafael Ramos. Contra Todos é o primeiro álbum do Dead Fish sem o guitarrista Hóspede e o último com o baterista Nô, que debandou após a gravação do disco, sendo substituído por Marcão (recrutado de uma outra banda da cena indie, Ação Direta). Parece ter havido a intenção de voltar às origens - o que explicaria a faixa cantada em inglês, Shark Attack. Entre o hardcore, o pop e o punk (cuja aura é evocada em um ou outro tema - como O Melhor Exemplo do que Não Seguir), o quarteto capixaba apresenta disco coeso. A crueza do som está em sintonia com o espírito crítico das letras. A tribo vai avalizar...

13 de fevereiro de 2009 11:52  

Postar um comentário

<< Home