4 de fevereiro de 2009

Calcanhotto inclui hit de Ricky Vallen em 'Maré'

Intérprete que sempre dialogou de forma astuta e inteligente com a música de contorno mais popular(esco), Adriana Calcanhotto tem surpreendido seu público ao inserir no roteiro do show Maré - ainda em turnê nacional ao longo deste primeiro semestre de 2009 - um sucesso do cantor Ricky Vallen incluído na trilha da novela Negócio da China e em rotação em emissoras de rádio que atuam nesse segmento popular. Trata-se de Vidro Fumê, música de Carlos Colla e Kaliman Chiappini que segue na forma e no conteúdo o estilo dito cafona dos repertórios de cantores como Waldick Soriano (1933 - 2008). Como o show Maré vai ser registrado em DVD, não será surpresa se Vidro Fumê virar hit radiofônico na voz da cantora - assim como Devolva-me (2000) e Fico Assim sem Você (2004), músicas lançadas pelas duplas Leno & Lilian e Claudinho & Buchecha, respectivamente, e regravadas com êxito com Calcanhotto, diluindo conceitos de brega e chique.

23 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Intérprete que sempre dialogou de forma inteligente com a música de contorno mais popular, Adriana Calcanhotto tem surpreendido seu público ao incluir no roteiro do show Maré - ainda em turnê nacional ao longo deste primeiro semestre de 2009 - um sucesso do cantor Ricky Vallen incluído na trilha da novela Negócio da China e em rotação em emissoras de rádio que atuam nesse segmento popular. Trata-se de Vidro Fumê, música de Carlos Colla e Kaliman Chiappini que segue na forma e no conteúdo o estilo dito cafona dos repertório sde cantores como Waldick Soriano (1933 - 2008). Como o show Maré vai ser registrado em DVD, não será surpresa se Vidro Fumê virar hit radiofônico na voz da cantora - assim como Devolva-me (2000) e Fico Assim sem Você (2004), músicas lançadas pelas duplas Leno & Lilian e Claudinho & Buchecha, respectivamente, e regravadas com êxito com Calcanhotto, diluindo conceitos de brega e chique.

4 de fevereiro de 2009 10:40  
Anonymous Anônimo said...

Adoro Caetano, adoro Adriana, adoro Mílton e Gil, adoro Chico, mas essa mania de dialogar com música de contornos mais populares já está enchendo o saco.

4 de fevereiro de 2009 10:43  
Anonymous Anônimo said...

tá !

4 de fevereiro de 2009 10:50  
Anonymous Anônimo said...

"um sucesso do cantor Ricky Vallen"

É tão sucesso que graças a DEUS EU nunca escutei isso! Abraços,

Marcelo Barbosa - Brasília (DF)

Ainda bem que não ouço rádio!

4 de fevereiro de 2009 11:34  
Anonymous Anônimo said...

Não vejo nisso tentativa de diluição de conceito nenhum apenas um ar egóico de dizer que sua releitura é "chique" e o tal do rick continua brega.

4 de fevereiro de 2009 12:23  
Anonymous Anônimo said...

Confesso que me irritam um tanto Devolva-me e Fico Assim com Você pelo jeito "grudentinho" das melodias.

4 de fevereiro de 2009 13:07  
Anonymous Anônimo said...

Calcanhotto não se atrapalha ...
Mas seu último album é sonolento que só ...

4 de fevereiro de 2009 13:29  
Anonymous Anônimo said...

Pois é, é um erro dizer que isso dilui conceitos de brega e chique quando, na verdade, reitera os dois e afirma a supremacia do 'chique'. As releituras da Calcanhoto só realçam o quão brega (para ela) são as versões anteriores, ao mesmo tempo que revindicam uma estética 'moderna' e burguesa para ela mesma.

4 de fevereiro de 2009 14:28  
Anonymous Anônimo said...

Isso já está dando na vista! O Artista está afastado do público, vive em torres de marfim conceituais e modismos localistas e depois para limpar a barra com as gravdoras, faz essas aproximações oportunistas, justificadas com um discurso que mistura marxismo, cultura de massa e pitadas de Umberto Eco.
Emfim, são os tempos pós-pós-modernos onde nada se cria tudo se reclica e fica tudo na mesma.

4 de fevereiro de 2009 14:44  
Anonymous Anônimo said...

Essa coisa de pegar umas breguices e cantar de maneira cool já deu o que tinha q dar. Pode ficar engraçadinho uma, duas vezes....Agora já tá cansativo.
Precisamos ouvir Adriana cantando coisas bacanas como, Esquadros, Inverno, Ela é Carioca ou Senhas, por exemplo.

4 de fevereiro de 2009 14:56  
Anonymous Anônimo said...

Já está enchendo o saco mesmo. Essa necessidade de TER que tocar no rádio dá nisso: regravações supostamente "chiques" de músicas que normalmente nem seriam levadas a sério. Só assim pra estourar nas rádios. E como as outras duas músicas citadas na matéria estouraram, ela quer de novo. Que saco...

4 de fevereiro de 2009 15:01  
Anonymous Anônimo said...

Tb bão conheço a música mas AC sabe fazer isso muito bem; fica um charme...
Adoraria Bethania cantando Fogo e Paixão do Wando com a mesma verve com que canta Lama, Preconceito, etc...

4 de fevereiro de 2009 15:20  
Anonymous Anônimo said...

Apesar de brega, esta musica é interessante; é uma espécie de mistura de Elimar Santos, Waldick Soriano, solo de guitarra de Santanna com sertanejo. Vale a pena escutar, apesar do apelo popular.

Leandro

4 de fevereiro de 2009 17:18  
Anonymous ella said...

Seja lá qual for o motivo que os levam a cantar algo 'popular' isso me agrada quase sempre. Adriana cantando Devolva-me, Bethânia cantando Vai Ficar na Saudade, Caetano de Vc Nao me Ensinou a te Esquecer, Rorô de Fica Comigo Esta Noite, Gal com Chuva de Prata, Simone com A Distância são gravações que ouço sempre com prazer.
Os tais CDS elaboradérrimos e 'cabeça' destes mesmos artistas, até os compro, mas raramente volto a eles, a não ser, talvez, para mostrar a um amigo uma canção 'sacadíssima' de um deles. Achamos a letra fantástica, elogiamos a fera mas o que ouvimos sempre mesmo são aquelas que servem para todas as horas.
Canções que vão direto ao ponto. Ui!!!!

4 de fevereiro de 2009 17:21  
Anonymous Isabela Guedes said...

Sou suspeita por falar dos discos da intérprete Adriana Calcanhotto.

Escutei a música de Ricky Vallen "in loco" no domingo e não achei brega.

Engraçado é a forma, o nome "brega" a quem se refere a um gênero popular nacional. Forró é brega e Ricky Vallen, que é do interior do estado do Rj, Volta Redonda, também é brega.



Um abraço,
Isabela Guedes.

4 de fevereiro de 2009 19:16  
Anonymous Anônimo said...

Forró não é brega. Dominguinhos, Luiz Gonzaga não são bregas. Pelo contrário. A culpa não é deles se os Calypsos da vida dizem que fazem forró (mas não fazem)...

4 de fevereiro de 2009 21:00  
Anonymous Anônimo said...

ELLA, concordo com teu comentário. Vários CDs que acho bacanaços qdo compro, uma semana depois já estão fora de circulação. Tenho todos os CDs da Bethania, por ex, mas desde Brasileirinho os ouço pouquíssimo. Em compensação, MEL, ÁLIBI, TALISMÃ, ouço sempre com prazer renovado.
Adriana é naturalmente elegante. Com seu charme, estilo e inteligência musical pode realmente cantar o que quiser. Passa a leguas de qualquer vulgaridade e consegue lustrar canções a princípio inexpressivas.

5 de fevereiro de 2009 08:13  
Anonymous Anônimo said...

A Adriana acerta muitas vezes, mas também erra. Mas erra com gosto, quer dizer com mau gosto.Ainda não digeri e nem vou, o trabalho visual deste CD/ show. Musicalmente, somente por ter redescoberto mulher sem razão, fica tudo certo.

5 de fevereiro de 2009 11:43  
Anonymous Anônimo said...

Emanuel Andrade disse

O problema é o que digo sempre, Adriana quer ser cuilt. Mas não emplaca mais, acabou a MPB de verdade, vou à entrevista do Alceu Valença ao JC de PE. Quem viu essa moça cantar Meu mundo e nada mais, do Guilherme Arantes num show recente, não sentiu dores nos ouvidos? Que tal ela ficar só compondo. Agora esse negócio de Rick Vallen. O nome do cara já dose de catuaba. Não suporto mais as invenções dela e nem das Marisas Montes que insistem por aí, assim como as cópias dos Zézes
de Camargos que aparecem todo semana na TV, pior do que o real. Fuiiiiiii

5 de fevereiro de 2009 22:27  
Anonymous ANDRÉ 2 - "A MISSÃO" said...

A-D-O-R-O essa menina, seja cantando suas belas composições, músicas alheias ou transformando algo insuportável como "Assim Sem Você" em beleza perene e singela, quase infantil.

7 de fevereiro de 2009 18:04  
Anonymous Anônimo said...

É André, até de "Partimpim" ela agrada marmanjos - COMO EU!

9 de fevereiro de 2009 19:38  
Anonymous Lauro Meneses said...

Tudo soa extremamente sofisticado na voz de ADRIANA! Portanto ela pode cantar e tocar o que quiser! LAURO MENESES - Aracaju

16 de fevereiro de 2009 01:09  
Anonymous OLIVEIRA said...

É Lauro, qualidade de excelentes intérpretes que sabem recompor uma canção ao darem seu tratamento a ela. Porcaria vira música, feiúra vira beleza e por aí vai. E ADRIANA AINDA É UMA BAITA COMPOSITORA. Precisa mais ?
ASSINO EMBAIXO.
Abraços.

17 de fevereiro de 2009 17:56  

Postar um comentário

<< Home