20 de fevereiro de 2009

Aquilo Del Nisso faz festa jazzística para Sampa

Resenha de CD
Título: Piratininga
Artista: Aquilo del Nisso
Gravadora: Tratore
Cotação: * * *

Em 1989, o grupo Aquilo del Nisso deu o pontapé inicial na carreira profissional com um show no Free Jazz Festival, em cuja concorrida programação o grupo conseguiu vaga por meio de eleição que contava com cerca de 300 candidatos. De lá para cá, o quarteto conseguiu excelente reputação no meio da música instrumental por conta dos álbuns Aquilo del Nisso (1990), Tocando Tudo (1992), Chico Buarque Instrumental (1994), Festa Brasileira (1997) e 5 (2003). Piratininga é o sexto título dessa coesa discografia. Ao completar 20 anos de carreira, o Aquilo del Nisso celebra sua cidade natal, São Paulo, sem abrir mão de seu DNA jazzístico e sem lançar mão de clichês como um samba à moda de Adoniran Barbosa (1910 - 1982). Piratininga - para quem não sabe - é o nome da aldeia que deu origem à cidade de São Paulo. Cidade sem marcante identidade musical que o grupo festeja em temas instrumentais como Forrobodó, O Rio e A Lagarta, quase todos de autoria do saxofonista Celso Marques e do pianista Beba Zanettini, criador, aliás, da única letra do CD, escrita em tom cinematográfico para Praça da Sé, um dos postais populares de Sampa. Como de hábito na discografia do grupo paulista, a parte instrumental é impecável. As músicas é que nem sempre estão à altura do virtuosismo dos músicos do Aquilo del Nisso. Deu jazz...

1 Comments:

Blogger Mauro Ferreira said...

Em 1989, o grupo Aquilo del Nisso deu o pontapé inicial na carreira profissional com um show no Free Jazz Festival, em cuja concorrida programação o grupo conseguiu vaga por meio de eleição que contava com cerca de 300 candidatos. De lá para cá, o quarteto conseguiu excelente reputação no meio da música instrumental por conta dos álbuns Aquilo del Nisso (1990), Tocando Tudo (1992), Chico Buarque Instrumental (1994), Festa Brasileira (1997) e 5 (2003). Piratininga é o sexto título dessa coesa discografia. Ao completar 20 anos de carreira, o Aquilo del Nisso celebra sua cidade natal, São Paulo, sem abrir mão de seu DNA jazzístico e sem lançar mão de clichês como um samba à moda de Adoniran Barbosa (1910 - 1982). Piratininga - para quem não sabe - é o nome da aldeia que deu origem à cidade de São Paulo. Cidade sem marcante identidade musical que o grupo festeja em temas instrumentais como Forrobodó, O Rio e A Lagarta, quase todos de autoria do saxofonista Celso Marques e do pianista Beba Zanettini, criador, aliás, da única letra do CD, escrita em tom cinematográfico para Praça da Sé, um dos postais populares de Sampa. Como de hábito na discografia do grupo paulista, a parte instrumental é impecável. As músicas é que nem sempre estão à altura do virtuosismo dos músicos do Aquilo del Nisso. Deu jazz...

20 de fevereiro de 2009 10:01  

Postar um comentário

<< Home